Gestão de RH do Futuro – O Guia Completo Para Sua Empresa

gestao de rh introducao

Na maioria das vezes quando um candidato é selecionado para realizar uma entrevista de emprego, sua primeira conversa é com alguém relacionado ao Recursos Humanos da instituição.

Agora, se eu te perguntasse qual a primeira coisa que vem na sua cabeça em relação à função do RH, o que você diria?

Geralmente, as respostas mais comuns são que esse departamento é responsável pela folha de pagamentos, pela contratação de funcionários e por garantir que a empresa fique dentro de todas as leis trabalhistas.

E se eu te contasse que, na verdade, o RH tem um papel muito mais abrangente e importante do que esses.

A gestão de RH vai muito além dessas questões burocráticas, e seu trabalho também visa garantir um bom relacionamento entre a empresa e os funcionários para que todos atinjam seus objetivos.

E saber exatamente como ele funciona é um grande passo para o sucesso de sua empresa. Mas não se preocupe, vou explicar tudo o que você precisa saber sobre a gestão de RH neste artigo.

Antes de começarmos, confira abaixo os principais tópicos que serão discutidos ao longo do texto:

  • Esclarecendo a gestão de recursos humanos
  • Quais a principais atribuições do departamento de RH
  • Como fazer a gestão do RH na minha empresa
  • RH do futuro: usando a tecnologia a seu favor

Vamos começar?

Esclarecendo a gestão de recursos humanos

Antes de tudo, eu preciso definir o que é a gestão de recursos humanos, considerada como uma área estratégica dentro das empresas.

Sua missão, como eu já disse na introdução, é garantir que a empresa e seus funcionários alcancem seus objetivos e mantenham uma relação profissional vantajosa.

Além disso, ela também é essencial para o desempenho da empresa no mercado; para sua produtividade; e para assegurar um ambiente de trabalho agradável para todos.

Se você já trabalhou em um lugar onde não se sentiu valorizado ou que não tivesse um bom plano de carreira, então saiba que o RH também é responsável por atuar diretamente nessa questão.

Toda empresa pode enfrentar diversos problemas se seus funcionários acreditarem que não estão recebendo o devido valor pelo o que fazem. A motivação de cada um, nesse caso, também interfere diretamente na produtividade do colaborador e, consequentemente, na contratante.

Dessa forma, é extremamente importante que esse departamento saiba como engajar e motivar as pessoas. Quanto mais motivado e engajado ele estiver, maior será a produtividade da empresa, assim como a visão que ela passa para os outros.

banner Planilha de Controle de Ponto - Gestão de RH do Futuro - O Guia Completo Para Sua Empresa
gestao de rh o que e

O que é a gestão de RH

É impossível falar o que é gestão de RH sem falar do profissional responsável por essa área. Todo gestor deve estar antenado principalmente aos negócios da empresa, além de, é claro, ações que melhorem o clima organizacional, a produtividade, o lucro e o desenvolvimento da instituição.

O curso de gestão de RH é o responsável por habilitar esse profissional. Seu trabalho será focado nas pessoas e em seu papel dentro da organização, garantindo que haja um bom gerenciamento das relações humanas na empresa, ou seja, fazendo a gestão de RH.

De forma resumida, eu posso dizer que a gestão de RH é um conjunto de habilidades, métodos e práticas desse gestor que visa o desenvolvimento e potencialização do capital humano da empresa, assim como o gerenciamento do comportamento dos funcionários aproveitando as diferentes características e habilidades de cada um.

Já deu para perceber que o RH é muito importante dentro da empresa, né? Agora, você deve estar se perguntando: mas como eles fazem para lidar com tudo isso e garantir uma boa gestão?

Nós iremos discutir isso mais para frente. Agora, eu quero detalhar as principais atribuições deste departamento.

Quais a principais atribuições do departamento de RH

Como já discutimos, o RH hoje deixou de ser meramente um setor de recrutamento e seleção, e passou a desempenhar uma função extremamente importante na gestão de pessoas.

Justamente por serem responsáveis por uma ampla gestão, os profissionais desse departamento acabam tendo que lidar com diversas atividades e atribuições.

Hoje, um departamento de recursos humanos bem gerido, é um que possui uma série de componentes, como recrutamento, política de pessoas e pagamentos.

Antes de comentar e explicar cada uma das principais atribuições, eu quero falar sobre o profissional responsável por essa área.

Para ter um bom desempenho na gestão de RH, o principal fator é ter um bom gestor. Todos os tecnólogos que se formam nessa área devem ser capazes de lidar com as questões diárias que envolvem os trabalhadores e as empresas.

Para isso, existem algumas características essenciais que todos que desempenham essa função devem ter, como por exemplo:

  • Atuar como coach treinando, ensinando e desafiando pessoas continuamente;
  • Ser produtivo, evitando procrastinação e focando em resultados;
  • Comunicar-se, ouvindo e compartilhando informações com a equipe;
  • Proporcionar um ambiente de trabalho inclusivo, livre de preconceitos;
  • Conversar sobre performance com todos os funcionários;
  • Usar habilidades técnicas e visão estratégica para aconselhar colaboradores e apoiar o desenvolvimento de carreira;
  • Tomar decisões com confiança, baseando-se em dados.

Agora que sabemos um pouco mais sobre como são esses profissionais, vamos entender como funcionam as principais atividades desses gestores.

Recrutamento e seleção

Essa área é responsável pelo processo de atração, seleção, entrevista e contratação de funcionários.

Este procedimento pode ser feito tanto internamente, por meio da abertura de vagas e do recrutamento dos seus colaboradores para outras áreas, quanto externamente, quando os profissionais são encontrados no mercado e ainda não tem nenhum vínculo empregatício com a instituição.

Como eles lidam diretamente com pessoas todo dia, essa acaba sendo a principal função do departamento, e uma das mais importantes, já que, um funcionário que possui boas experiências profissionais e um bom perfil, possui grandes chances de trazer bons resultados para a empresa.

Mas agora, qual o melhor jeito de organizar um processo seletivo assertivo? Hoje, não basta somente ter um gestor bem preparado, e o candidato deve estar alinhado com a cultura organizacional da empresa.

A primeira dica que te dou é ter um bom planejamento. Ele irá definir o caminho que o candidato deverá percorrer, e será estruturado de acordo com as necessidades da empresa. Nele, é essencial explicar todas as etapas do programa e quais os perfis desejados, por exemplo.

Para atrair uma grande quantidade de candidatos, as redes sociais são ferramentas estratégicas que podem aumentar o alcance da vaga e seu engajamento. Também é importante que toda a equipe esteja alinhada em relação aos objetivos do processo seletivo, e quais as habilidades desejadas.

Por fim, é importante evitar processos seletivos longos e cansativos, que podem causar um alto índice de desistência. Como solução, as etapas podem ser organizadas em um único dia, para que houvesse uma economia de tempo e recursos.

gestao de rh politica de pessoal

Política de Pessoal

Como eu disse no começo do texto, é importante que o RH saiba fazer a gestão de seus funcionários de forma estratégica, visando um bom relacionamento entre eles e a empresa, além é claro de prestar atenção no desenvolvimento da instituição.

Para isso, a política de pessoal é uma ótima ferramenta que serve como guia para os gestores.

De acordo com o autor Chiavenato, especialista em administração de empresas e recursos humanos, “a importância da política de gestão de pessoas consiste em olhar para o trabalhador como parceiro, como indivíduo que oferece conhecimentos, habilidades, competências e, sobretudo, o principal aporte para as organizações, sejam elas públicas ou privadas: a inteligência, que proporciona decisões racionais e que imprime significado e rumo aos objetivos do trabalho”.

Já deu para perceber que ter uma boa política de pessoal é um fator essencial para ter sucesso na gestão de pessoas.

É a partir dela também que a empresa estabelece as condutas que devem ser seguidas no dia a dia organizacional, permitindo que todos os colaboradores tenham mais facilidade em cumprir as metas e objetivos da contratante.

Mas não se preocupe, eu irei explicar mais para frente como fazer uma boa gestão de RH a partir dessa política de pessoal. Por enquanto, eu vou continuar citando outras atribuições desse setor.

Pagamentos

Como o RH é responsável por lidar diretamente com os funcionários da empresa, uma de suas funções dentro disso é controlar a folha de pagamento. Você sabe o que ela é e como funciona?

Eu irei falar melhor sobre ela mais para frente, mas já vou te adiantar um pouco: a folha de pagamento é um documento obrigatório de toda instituição, e é a forma que ela contabiliza os valores devidos aos funcionários, prestadores de serviço, entre outros que estão de alguma forma conectados ao seu dia a dia.

Ela é um espelho das informações das atividades trabalhistas de cada funcionário da empresa, e é usada para demonstrar os salários bruto e líquido, além de conter as informações fiscais, contábeis e trabalhistas de cada funcionário.  

Mas, como eu disse, eu irei falar melhor sobre ela em outro tópico dentro da questão de política de benefícios. Por enquanto, vamos continuar falando das atribuições do RH.

Treinamento e Desenvolvimento

O principal objetivo dessa atividade é levar aprendizado para os colabores de uma empresa, que, por meio desse incentivo, pode proporcionar uma melhora das habilidades dos funcionários.

Além disso, um bom treinamento é capaz de motivar características importantes para qualquer nível hierárquico, como a proatividade, empatia, criatividade e liderança.

Dessa forma, é por meio de programas de treinamento e desenvolvimento que o RH consegue investir na evolução dos funcionários. Com isso, ele consegue não só aprimorar as habilidades profissionais de cada um, mas também as emocionais e comportamentais.

Para isso, é importante que o departamento saiba escolher os profissionais responsáveis por liderarem o projeto, além do melhor treinamento que deve ser usado e saber otimizar os recursos da empresa para que esse resultado seja atingido da melhor forma.

gestao de rh processos burocraticos

Estruturação de processos burocráticos

Por mais que o RH tenha diversas atividades, saber otimizar a estrutura dos processos burocráticos da empresa é essencial para o seu funcionamento.

Independente do tamanho da instituição, todas elas sempre possuem uma grande quantidade de documentos que precisam ser organizados diariamente, e saber a melhor forma de fazer isso irá ajudar na gestão e produtividade de todas as equipes.

Para garantir isso, uma das melhores formas, como também já comentamos, é sempre se manter atualizado.

Procurar inovar constantemente os procedimentos do departamento para lidar com a gestão das pessoas é essencial, assim como procurar dar mais autonomia aos colaboradores.

Quando os funcionários dependem de seus supervisores para realizarem uma série de tarefas, isso gera uma burocracia excessiva que poderia ser facilitada.

Com uma gestão descentralizada, sua empresa gera uma maior autonomia aos funcionários, otimizando não apenas os processos, mas também melhorando a motivação de cada um.

Outra estrutura de processos que pode ser feita, até para evitar as situações de conflito, é o organograma da empresa.

Ele define não só a hierarquia do local, mas também as funções e responsabilidades de cada um. Com uma boa definição desses itens, o trabalho irá fluir de forma muito mais simples e organizada.

Ficou curioso para saber mais sobre a organograma, então continue a leitura que vou falar mais detalhes desse processo mais a frente.

Por fim, um bom gerenciamento do clima organizacional é uma ótima ferramenta para  ajuda nos processos burocráticos. Mas, para falar melhor sobre ele, separei um outro subtópico especial.

Gerenciamento do clima organizacional

Certamente você já ouviu falar sobre clima organizacional, mas a verdade é que poucos profissionais sabem realmente o que ele significa ou como gerenciá-lo.

O clima organizacional nada mais é do que a percepção geral  que os funcionários têm do local onde trabalham, levando em consideração diferentes aspectos.

Muitos pessoas acreditam que clima organizacional está apenas relacionado a estrutura da empresa, mas vai muito além disso.

Para analisá-lo temos que levar em consideração a relação dos funcionários com seus colegas e lideranças, as estruturas físicas e tecnológicas, os processos, as práticas, as políticas, bem como salários, benefícios e oportunidade de desenvolvimento.

Dessa forma, analisar o clima organizacional é buscar entender os sentimentos, desejos e vontades dos colabores em relação à contratante é algo extremamente importante para o seu negócio.

Essa análise é importante pois, acaba ajudando na diminuição do turnover dentro da empresa, uma vez que ela permite o reconhecimento dos problemas internos e como resolvê-los.

Além disso, esse gerenciamento ajuda a maximizar e melhorar a relação entre os funcionários, ao oferecer condições de trabalho melhores, novas oportunidades profissionais e sempre visando o desenvolvimento da contratante.

Plano de cargos e salários da empresa

Sempre quando recebemos uma proposta de trabalho, os benefícios do cargo e o salário que aquela vaga oferece são com certeza um dos fatores determinantes na hora de aceitar ou não a oportunidade.

Nesse caso, o RH também é o responsável por, além de distribuir esses benefícios com um plano de cargos e salários, implementar uma política de gestão de carreira, mostrando as oportunidades de crescimento dentro da empresa e como conquistá-lo.

Para uma boa gestão de cargos e salários é necessário realizar pesquisas de mercado para saber se o valor da remuneração oferecida pela sua empresa é atrativa ou não.

A função de um gestor, nesse caso, é garantir que os colaboradores recebam uma remuneração justa, com políticas de benefícios atrativas.

Além disso, é a partir dele que será possível que o colaborador consiga enxergar um crescimento profissional na empresa de acordo com suas aptidões, e como conquistá-lo.

gestao de rh legislacao trabalhista

Cumprimento da Legislação Trabalhista

Após a aplicação da Reforma Trabalhista, a legislação brasileira sofreu algumas mudanças em relação às normas que devem ser seguidas pelas empresas. Mas, antes de comentar as principais, dá uma olhada nessa curiosidade:

Uma pesquisa feita com presidentes, diretores de marketing e gestores de RH de todo o país, e organizada pela Associação Paulista de Recursos Humanos e de Gestores de Pessoas (AAPSA), perguntou a esses profissionais o que eles pensavam sobre as mudanças estabelecidas após a Reforma.

E essa foi a resposta: 27% dos entrevistados projetam efeitos positivos, 30%  aguardam resultados pouco positivos das mudanças; e 9% acreditam que as consequências serão negativas.

Mesmo que a pesquisa não tenha mostrado opiniões muito diferentes, um fato é certo: as empresas que adotarem seu sistema se adequando à legislação, com certeza irão se destacar no mercado de trabalho. Que tal conferir quais as principais mudanças?

1. Jornada de Trabalho

Essa é uma das maiores mudanças da Reforma Trabalhista. Antes, a jornada de trabalho era única para categorias sem regulamentação específica: de 44 horas semanais e 220 mensais. Hoje, a diária poder chegar a 12h, desde que sejam seguidas por 36h de descanso.

banner Controle de Ponto - Gestão de RH do Futuro - O Guia Completo Para Sua Empresa

 2. Demissões

Desde antes da Reforma Trabalhista, era comum que a empresa e o funcionário fizessem um acordo quando o empregado fizesse um pedido de demissão. O problema, contudo, era que esse acordo não era previsto na legislação, e acabava se tornando ilegal.

Agora, apesar da Reforma ter criado uma regulamentação para isso, o RH precisa tomar cuidado, pois não é todo acordo que foi permitido. Como exemplo, todo funcionário tem direito a receber o pagamento da metade do valor relativo ao aviso-prévio, mas, como consequência, ele não terá direito ao seguro-desemprego.

Criação de programas de incentivo

Como já dissemos, é comum que alguns funcionários se sintam desvalorizados dentro da empresa, e acabem pedindo demissão após terem recebido uma proposta mais atraente e que tenha mais benefícios.

Para evitar que isso aconteça, outro dever do RH é promover ações e programas de motivação e incentivo para os colaboradores que, se forem bem organizados, podem aumentar a produtividade da empresa e a qualidade do ambiente de trabalho.

A maioria dessas campanhas de incentivo se baseia em três conceitos básicos: motivação individual, reconhecimento organizacional e recompensa. Apesar de muitas pessoas logo pensarem na bonificação como forma de incentivo, existem diversos outros tipos que podem ser utilizados.

Um dos exemplos são prêmios físicos como computadores ou tablets, que devem ser escolhidos de acordo com os perfis dos colaboradores e suas necessidades. Outro tipo que pode ser adotado são viagens concedidas a funcionários que alcançarem suas metas dentro da empresa.

Além de ter um baixo custo para a contratante, esse tipo de incentivo acaba proporcionando um alto engajamento dos trabalhadores.

Você deve estar pensando: mas qual o melhor jeito de fazer isso?

Existem várias formas de promover esse incentivo. Como exemplo, manter um bom canal de comunicação entre todos e promover um feedback contínuo ajuda o funcionário a ver os resultados de seu trabalho e o que pode fazer para melhorar.

Além disso, organizar treinamentos internos por meio de cursos, palestras ou até oficinas podem contribuir para a capacitação dos colaboradores.

Todo RH precisa se inovar constantemente. Isso pode ser aplicado de diversas formas, como por exemplo com uma maior flexibilidade em relação à jornada de trabalho.

Por fim, promover momentos de descontração e de interação entre todos é um ótimo mecanismo para diminuir o estresse, incentivar a criatividade e promover a integração de novos funcionários.

gestao de rh politica pontos facultativos

Definição de política de pontos facultativos

Tratar de questões como faltas, atrasos e justificativas são assuntos normais de todo RH. Agora, quando o assunto é ponto facultativo, isso acaba causando muita dúvida em algumas pessoas.

Mas, na verdade, ele é bem simples. O ponto facultativo ocorre nos dias em que o trabalho não é obrigatório, e geralmente é visto em datas comemorativas que não fazem parte do calendário.

Ao contrário dos feriados, a Consolidação das Leis do Trabalho não diz nada sobre os pontos facultativos, e os empregadores são totalmente livres para conduzir suas atividades nesses dias.

Além disso, como se trata de um dia de trabalho normal, o funcionário deve receber seu salário normalmente. Ele só deverá ter remuneração extra, se nesse dia fizer horas extras por exemplo.

Uma alternativa utilizada por muitas empresas é o revezamento, ou seja, um acordo entre os próprios funcionários para que alguns trabalhem e outros folguem durante algumas pontes de feriados.

Mas vale ressaltar que nesses casos é necessário que a empresa utilize o sistema de banco de horas, uma vez que ao folgar as horas daquele funcionário serão debitadas de seu banco de horas.

Gestão de conflitos

Em todo ambiente de trabalho, é comum que ocorram algumas situações de conflito entre os funcionários. Apesar de serem naturais devido à convivência diária com pessoas com personalidades totalmente diferentes, os motivos que podem levar à isso são variados.

Antes de te ajudar a resolver esses conflitos quando acontecerem, eu preciso explicar melhor quais são as principais causas deles.

1. Conflitos Hierárquicos

Esse tipo de conflito é mais comum de ser visto entre os membros de uma mesma equipe.

Nesse caso, é possível que alguns funcionários comecem a questionar o trabalho de seu líder, e, quando isso acontece, a empresa pode sofrer consequências em relação à entrega de projetos ou nas atividades diárias de cada um.

Dentro dessa categoria, as desavenças podem ocorrer por um excesso de autoritarismo; quando algum membro da equipe não respeita a hierarquia existente; ou quando um funcionário não se sente reconhecido pelo seu trabalho.

Como resultado, é comum ver uma desmotivação da equipe, dificuldades do time em gerir projetos, desmotivação do próprio líder e até uma quantidade grande de demissões.

2. Conflitos dentro da equipe

Mesmo que a questão da hierarquia dentro da empresa seja respeitada, ainda é possível que diversos conflitos ocorram dentro de uma mesma equipe.

Como exemplo, essas situações podem ser vistas quando existe um excesso de competitividade (que pode envolver o líder do setor);

Quando existe uma comparação entre benefícios e salários entre funcionários que desempenham a mesma função; ou até mesmo por falta de cooperação, principalmente quando alguns desempenham uma quantidade de tarefas muito maior do que outra pessoa.

Nesses casos, as mesmas consequências dos conflitos hierárquicos podem ser vistas.

Mas calma que tudo tem um jeito! Vou te dar agora duas dicas principais de como o RH pode resolver essas situações, afinal, lidar com pessoas pode ser uma tarefa complicada às vezes.

gestao de rh solucionar conflitos

Dicas para solucionar os conflitos dentro da empresa.

Dica 1: Revise a política de seu RH

Todo RH precisa renovar constantemente sua política de gestão. Ela tem que se adaptar às mudanças do mercado de trabalho e às da própria empresa

Dica 2: Feedback

Como já dissemos, um funcionário que recebe feedbacks constantes sobre seu trabalho e o que pode ser melhorado proporciona ótimos benefícios para a empresa, além de, é claro, para a motivação de cada colaborador.

Criar um calendário de avaliações, anotar os principais questionamentos das pessoas e entregar respostas completas é um ótimo esquema de gestão de funcionários.

Além dessas dicas, é muito importante que o RH mantenha uma boa comunicação entre todos, desde a entrevista com os candidatos até o momento da demissão.

Um bom diálogo pode até evitar que esses conflitos aconteçam, e deve sempre ser feita com o gestor de cada área.

Departamento pessoal aliado na gestão de pessoas

Como eu já disse algumas vezes ao longo do texto, a seleção de novos talentos é uma das principais atribuições dos profissionais do setor de recursos humanos, assim como os benefícios oferecidos, que são um dos fatores determinantes na hora do candidato aceitar ou não a vaga.

Essa é uma das diversas atividades burocráticas que esse departamento é responsável. Além dela, outras como organizar a folha de pagamento, o banco de horas e controlar questões como atrasos, faltas, atestados médicos e férias, são processos que podem ser otimizados, e diminuindo consequentemente a burocracia que os envolvem.

Que tal entender um pouco mais sobre cada um desses itens?

Folha de pagamento

Apesar de assustar muita gente, a folha de pagamento é bem simples: ela é o documento que contabiliza os valores devidos ao funcionários, prestadores de serviço e terceirizados, que estão de algumas forma conectados ao dia a dias da empresa.

Pode até parecer fácil, mas processar a folha de pagamento é uma tarefa muito trabalhosa e que demanda tempo e dedicação dos profissionais de RH.

Isso porque na folha de pagamento vão diversas informações trabalhistas importantes, dentre os encargos que estão previstos nela, se destacam: o INSS; o FGTS; o Imposto de Renda; 13º salário e o RAT. Todos são um direito do trabalhador que estão previstos na CLT.

Por ser responsável por juntar todas as informações de pagamentos, ela acaba sendo muito importante, já que deve ser muito bem organizada para que os dados sejam sempre atualizados e estejam em ordem.

Outro ponto sobre a folha de pagamento e que ela gera dúvidas em quase todos os profissionais da empresa, afinal todo mundo que trabalha com RH, alguma vez teve que fazer atendimento para tirar dúvidas dos funcionários sobre as informações do holerite.

Por isso o RH é a principal ponte entre a empresa e os funcionários, uma vez que essa área é responsável diretamente por tirar dúvidas e solucionar os problemas que surgirem.

gestao de rh banco de horas

Banco de Horas

O uso de banco de horas pelas empresas se tornou ainda mais  comum após a Reforma Trabalhista.

Isso porque as jornadas de trabalho ficaram mais flexível, e trouxe benefícios para todos, tanto para o colaborador quanto para a empresa.

Para aqueles que não sabem, o banco de horas é um regime compensatório, do qual o as horas excedentes trabalhadas pelo funcionário são acumuladas podendo ser utilizadas posteriormente com a correspondente redução da jornada quando solicitado.  

Se você quer saber mais sobre como funciona o banco de horas e como controlá-lo, temos um outro artigo no nosso blog que pode te ajudar, clica no link: “Controle de Banco de Horas: Como Fazer? [Baixe Planilha Grátis]”!

Mas aqui, eu irei abordar outro foco: como o RH pode fazer uma boa gestão de banco.

Apesar dessa modalidade de compensação de jornada trazer inúmeros benefícios, por outro lado, o Art. 59 da Consolidação das Leis do Trabalho estabelece que nenhum funcionário pode fazer mais do que duas horas extras por dia, já que o excesso de horas pode prejudicar sua produtividade.

Então, as empresas devem ficar sempre de olho para não ultrapassar o limite de máximo de horas extras permitido.

Mas agora você deve estar se perguntando como as empresas fazem para controlar o banco de horas dos funcionários.

A resposta é por meio de sistemas de controle de horas.

Soluções como o PontoTel auxiliam empresas de todos os tamanhos a gerenciarem suas jornadas de trabalho bem como o banco de horas.

Essa ferramenta de controle de ponto é muito simples, toda vez que o colaborador entra ou sai da empresa ele registra seu horário de trabalho, dessa forma o sistema calcula com base nas na jornada de trabalho cadastrada todas as informações pertinente.

Ou seja, ele calcula se há horas extras, atrasos, faltas, saídas antecipadas. E todas essas informações podem ser consultadas por meio do painel de gestão e dos relatórios gerenciais.

Viu só, muito simples. O sistema de gestão de banco de horas também é otimizado por meio desse sistema que calcula automaticamente as horas extras e as atrasos e faltas que deverão ser computados do banco de horas.

Com uma boa gestão do banco de horas, o RH consegue não apenas otimizar os processos como também ajuda a controlar as despesas da empresa.

Controle de atrasos, faltas e atestados

Independente do tipo de jornada de trabalho de cada um, o controle do ponto dos funcionários já foi considerado como um grande problema em todo RH.

Como vimos acima, controlar as horas trabalhadas pode ser um grande desafio para as empresas, principalmente para aquelas que possuem muitos funcionários.

Entretanto esse processo foi muito facilitado pelo desenvolvimento de tecnologias responsáveis por esse processo.

Hoje, a legislação prevê que toda empresa com mais de 10 funcionários é obrigada a adotar algum sistema de controle de ponto seja ele manual, mecânico ou eletrônico.

Ele possui diversos benefícios, como ter uma melhor administração das jornadas de trabalho de todos os funcionários e dar mais autonomia ao contratado, uma vez que ele também terá controle sobre suas horas trabalhadas e até horas extras.

No tópico anterior eu te falei como o sistema de controle de frequência auxilia a gestão de banco de horas, mas e para aqueles casos onde a falta ou atraso é abonado?

Nesses casos uma ferramenta como essa também é uma ótima medida para controlar esses eventos.

Imagina que um gestor precisa saber quantas faltas justificadas um colaborador possui, ou então quem sabe ele queira saber da equipe inteira, como o pessoal do Departamento pessoal conseguiria essa informação.

Muitos diriam que eles teriam que abrir a pasta de morto e contar manualmente quantas atestados foram entregues. Mas se pararmos para pensar isso é um processo muito burocrático.

E se sua empresa tivesse um sistema de controle, será que esse processo seria mais rápido?

Se o sistema de ponto for o da PontoTel a resposta é sim. Essa ferramenta possui mais de 20 relatórios que auxiliam as equipes com informações sobre faltas, atrasos, horas extras e muito mais.

Desse jeito fica fácil manter uma boa gestão do ponto não é mesmo?

gestao de rh controle de ferias

Controle de Férias

Além de ser responsável pelo gerenciamento de atrasos, faltas e atestados, o RH também deve cuidar do controle de férias de todos os funcionários, já que a empresa pode se prejudicar caso muitos colaboradores tirem esse período de descanso ao mesmo tempo.

Para isso, o primeiro passo que deve ser tomado é criar um histórico de férias, que contenha informações como os dados dos funcionários, seus períodos aquisitivos e os dias que irão tirar férias. Elas podem ser negociadas entre a contratante e o contratado, desde que haja um acordo mútuo.

Vale lembrar que, após a Reforma Trabalhista, esse período de férias pode ser dividido em até três, sendo que nenhum deles seja inferior a cinco dias, e pelo menos um tem que ser maior o que 14 dias.

Como fazer a gestão do RH na minha empresa

Se você chegou até aqui, com certeza já conseguiu entender a importância de uma boa gestão do RH para sua empresa.

Agora que você já sabe como ele funciona e todas as principais atividades que esse departamento é responsável, eu vou te dar algumas dicas das melhores formas de garantir um bom desempenho nessa área.

banner 13 trabalho temporario - Gestão de RH do Futuro - O Guia Completo Para Sua Empresa

Estipule metas desafiadoras

Definir metas para o RH é essencial por um motivo em especial: para garantir que as políticas e processos desenvolvidos por essa área tenham uma boa estratégia para a empresa.

Qualquer empresa que tenha uma gestão de qualidade começa tendo um bom direcionamento de seus objetivos.

Geralmente, essas metas são planejadas para serem alcançadas a curto prazo, e tendem a ser mais específicas e quantitativas. Como exemplo, as empresas podem buscar aumentar o nível de satisfação de seus funcionários.

Além disso, ter metas bem definidas ajuda a aumentar a motivação dos colaboradores, uma vez que, quando eles sabem os objetivos que querem ser alcançados, isso o ajuda a motivar a continuar seu trabalho.

Recrute profissionais acima da média

Quando eu comentei sobre o que era a atração e seleção de novos talentos, eu expliquei o quão importante esse processo é para formar uma equipe de trabalho com ótima qualidade para aumentar o desempenho da empresa.

Na prática, ele possui várias etapas para garantir esse objetivo, e a primeira delas é procurar a melhor estratégia para contratar profissionais acima da média.

Um jeito de conseguir isso é trabalhar na imagem da empresa, que, quanto melhor for, maior será a quantidade de candidatos que irá atrair.

Mas qual o melhor lugar para realizar esse recrutamento?

Essa é outra estratégia que deve ser bem pensada. Para isso, é essencial saber qual seu público-alvo, para depois analisar questões como: em quais redes sociais eles mais se encontram? Qual o melhor horário para entrar em contato? Quais as melhores páginas de emprego?

Depois de fazer uma triagem com os candidatos que deseja conhecer, criar um clima agradável para a entrevista pode deixar a pessoa mais tranquila no dia, permitindo que haja uma boa comunicação entre eles.

Depois que finalmente esse processo acabar e você escolher quem irá ser contratado, também é preciso criar estratégias de integração ao time, para que o novo integrante se sinta parte da empresa.

gestao de rh canais de comunicacao

Melhorar os canais de comunicação

Manter um bom canal de comunicação entre a empresa e seus funcionários é essencial em todos os sentidos.

Dentre os principais benefícios de manter um bom canal, está o fato de que é possível evitar mal-entendidos, e permitir que as informações estejam disponíveis para todos.

Para alcançar isso, o RH pode adotar algumas estratégias como: adotar programas de comunicação interna; métodos em comum para comunicar coisas simples; ter mais agilidade na hora de dar respostas; e evitar passar suas funções para outra pessoa que não está acostumada a desenvolvê-las.

Criar uma política de cargos e salários atrativa

Especialmente em empresas de grande porte, às vezes é impossível saber exatamente quantos cargos ela oferece e transmitir essa informação a seus funcionários.

Isso muitas vezes faz com que os profissionais se percam durante o processo seletivo e que surjam conflitos internos sobre quem é o responsável por alguma tarefa específica.

Dessa forma, o plano de cargos e salários surge como solução para esse conflito. Ele nada mais é do que uma ferramenta de gestão do RH que organiza as tarefas e responsabilidades de cada funcionário.

Além disso, esse documento também detalha as demandas de cada cargo, as competências que seus ocupantes deve ter, e o salário que é oferecido.

Quando bem elaborado, esse plano pode contribuir para a retenção de talentos, e diminuir, consequentemente, o processo de turnover.

Isso acontece porque, quando o funcionário possui uma melhor visão da empresa e seus cargos, ele pode despertar interesse por algum específico, e se dedicar para conquistá-lo.

Outro benefício é o impulsionamento da atração de novos talentos, que também acabará fortalecendo a marca empregadora da contratante.

Defina um regulamento interno de política organizacional

Como eu disse há pouco tempo, definir metas para o RH é essencial para garantir que as políticas e processos desenvolvidos por essa área tenham uma boa estratégia para a empresa.

Para ajudar que essas metas sejam cumpridas, outra ferramenta disponível pelo RH são as políticas organizacionais. Elas são orientações gerais que funcionam como guia e que servem de base para as tomadas de decisões em qualquer nível da empresa.

Existe uma grande variedade de políticas organizacionais, como: as de recursos humanos, de vendas, de produção, e de créditos. Cada uma delas ainda possui detalhes específicos e se desdobram, como as de RH que são: políticas de seleção, de recrutamento, de benefícios, de treinamento e de saúde.

Dentre seus benefícios, essas políticas facilitam a uniformização dos comportamentos dentro da organização, possibilitando que as pessoas produzam resultados semelhantes. Além disso, elas tendem a dar estabilidade para a empresa alcançar suas metas.

gestao de rh futuro tecnologia

RH do futuro: usando a tecnologia a seu favor

Mesmo que hoje já existam diversas ferramentas que facilitam o dia a dia dos responsáveis pela gestão de RH, eu te pergunto: é possível inovar ainda mais nessa área e ter novas estratégias para lidar com todas essas atividades?

Todos os gestores devem sempre estar atentos às mudanças do mercado, e se adaptar para garantir um melhor gerenciamento para sua empresa.

Em um mundo marcado por inovações tecnológicas, é de se esperar que elas também sejam usadas nesse contexto.

Por isso, eu separei algumas dessas novas tendências que podem ser adotadas pelo setor de recursos humanos.

Automação de Processos

Antigamente, era comum que o RH demorasse cerca de 15 dias para fechar a folha de pagamentos, e mais de 30 dias para realizar todo um processo seletivo. Hoje, com a ajuda da automação de processos, essa atividade ficou muito mais fácil e rápida.

Sistemas responsáveis pelo controle de ponto online; softwares de gestão, aplicativos de recrutamento e folhas de pagamento integradas ao sistema de frequências são algumas das ferramentas que foram criadas com o objetivo de auxiliar toda a burocracia que o RH precisa enfrentar.

Dessa forma, essas ferramentas de automação surgem como alternativa para os processos repetitivos e para incentivar o desenvolvimento intelectual dos profissionais, além de também ajudar a reduzir custos e aumentar a produtividade da empresa.

banner Gestão de pessoal - Gestão de RH do Futuro - O Guia Completo Para Sua Empresa

Employer Branding

Além da gestão de RH também usar tecnologias como Big Data e People Analytics como forma de facilitar a execução de suas atividades, elas não são suficientes para o processo de atração de novos talentos.

Em meio a um cenário de grande competitividade no mercado de trabalho, é essencial que as empresas tenham uma boa imagem e reputação para quando precisarem organizar processos seletivos.

Para ajudá-las a manter essa boa reputação, foi criado o conceito de Employer Branding, que nada mais é do que um conjunto de técnicas utilizadas pelas contratantes para reforçar sua imagem no mercado.

Dessa forma, ele se torna uma importante ferramenta de estratégia, já que também contribui para aproximar seus funcionários e criar um ambiente colaborativo agradável a todos.

Teletrabalho

É impossível falar do futuro do RH sem mencionar o teletrabalho, que também é conhecido como trabalho remoto.

Uma pesquisa realizada pela CandaLife aponta que 91% dos trabalhadores acreditam ser mais produtivos trabalhando de casa, além de que apenas 35% dos funcionários de empresas mais flexíveis pensam em deixar a organização no prazo de dois anos.

Um dos principais benefícios para as empresas que adotam o trabalho remoto é a eliminação de distâncias. Sem a obrigatoriedade do funcionários ter que ir trabalhar todo dia na empresa, ela pode contratar pessoas até de regiões mais afastadas de sua sede.

gestao de rh conclusao

Conclusão

Como podemos observar, ter uma boa gestão de RH é extremamente importante não só para questões burocráticas da empresa, mas também para garantir um bom relacionamento entre a contratante e seus funcionários.

Para isso, além de sempre se manter informado sobre as mudanças do mercado, todo gestor precisa buscar jeitos de garantir que o contratado se sinta valorizado, além de que tenha uma boa qualidade em seu ambiente de trabalho.

Estar aberto às novas tendências do RH também é essencial para que o setor esteja em constante mudança para garantir um melhor gerenciamento. Para aqueles que quiserem entender mais sobre o assunto, é só dar uma olhada neste artigo publicado no nosso blog, basta clicar no link acima.

Só para lembrar: nesse texto vimos muitas tecnologias que podem auxiliar na automação de alguns processos burocráticos como o controle de jornada.

Se você ficou interessado em conhecer o controle de ponto digital marque agora sua demonstração.

banner PontoTel - Gestão de RH do Futuro - O Guia Completo Para Sua Empresa

botão cadastre2 - Gestão de RH do Futuro - O Guia Completo Para Sua Empresa