Saiba tudo sobre a liderança situacional e como aplicá-la em sua empresa

lideranca situacional

Nos dias de hoje, não é muito incomum ouvir as pessoas falando obsessivamente sobre o tipo de líder que elas são. Elas parecem sedentas de recursos para solidificar seus entendimentos sobre esses arquétipos. Mas ficar batendo nessa tecla é bastante improdutivo. Alguns métodos de liderança já estão datados e também não existe somente uma certa ferramenta que funcionará para todas as situações. Uma saída? A liderança situacional.

E quais seriam as características desse tipo de liderança? Desenvolvido por Ken Blanchard e Paul Hersey no livro Management of Organizational Behavior, o modelo de liderança situacional segue uma abordagem profunda, contextual e focada no desenvolvimento.

Se você quer construir um time eficiente e de alta performance que permanecerá relevante por anos a fio, considere a liderança situacional. Vamos aprender mais sobre o tema a seguir!

O que é liderança situacional?

A liderança situacional é um estilo de liderança adaptativo. Essa estratégia encoraja líderes a fazerem um balanço dos membros do time, avaliar todas as variáveis do ambiente de trabalho e escolher o tipo de liderança que melhor se adequa seus objetivos e circunstâncias.

Nas palavras de Ken Blanchard, “no passado o líder era o chefe. Hoje, líderes não podem mais se basear somente em uma posição de poder”. A liderança situacional é a saída para organizações ao redor do mundo que querem:

  • desenvolver pessoas e grupos de trabalho;
  • estabelecer rapport e trazer à tona o melhor das pessoas;
  • usar um tipo de liderança comum entre todas as unidades da organização, seja em nível local, nacional ou internacional.

O líder situacional é flexível. Ele se adapta ao ambiente de trabalho existente e às necessidades da organização. Esse tipo de liderança não se baseia em uma habilidade específica do líder.

Pelo contrário. Ele modifica seu estilo de gestão para se adaptar aos requisitos da empresa. Por isso, um dos pontos principais da liderança situacional é adaptabilidade. Líderes devem podem mudar de um estilo para outro para atingir novos objetivos da empresa e de seus colaboradores.

Esses líderes devem ter o insight de entender quando mudar sua gestão e qual tipo de liderança é requerida para o novo paradigma.

Então, qual a diferença entre a liderança situacional e outros tipos?

Como dito, a principal diferença da liderança situacional é que ela incorpora muitas técnicas de gestão diferentes. O estilo escolhido depende do ambiente da empresa, seu ramo de indústria e a competência e comprometimento dos colaboradores.

Como é a liderança situacional de acordo com Blanchard e Hersey?

A teoria dos dois autores é baseada em dois conceitos: a própria liderança e o nível de desenvolvimento dos subordinados. Eles desenvolveram uma matriz que consiste em quatro estilos:

  • direção (E1): esses líderes tomam decisões e as comunicam aos outros. Eles criam as funções e objetivos e esperam que todos aceitem. Comunicação é essencial. Esse estilo é mais efetivo em situações emergenciais ou quando resultados repetitivos são a meta.   
  • orientação (E2): esses líderes podem criar as funções e objetivos, mas também estão abertos a sugestões e opiniões. Eles “vendem” suas ideias com o intuito de ganharem cooperação.
  • apoio (E3): esses líderes deixam a decisão para seus funcionários. Mesmo que eles participem do do processo de tomada de decisão, a última escolha é dos colaboradores.

autonomia (E4): esses líderes são responsáveis pelos times, mas providenciam mínima orientação para os funcionários resolverem o problema. Isso pode funcionar para ajudar nas decisões e para criar um sentimento de pertencimento e criatividade nas equipes.

Um modelo de liderança flexível

Um estilo mais de “direção” pode ser necessário no início de um projeto, quando os subordinados não tem tanta responsabilidade ou conhecimento para trabalharem por si só. Mas assim que a equipe se torna mais experiente, o líder pode mudar para uma aproximação mais de “orientação”.

O modelo de liderança situacional foca na flexibilidade para que líderes possam se adaptar de acordo com as demandas da situação. Esse modelo também evita as armadilhas de uma abordagem única de liderança ao reconhecer que existem várias maneiras de lidar com um problema.

Por fim, a liderança situacional oferece bastante consideração para a complexidade da dinâmica das situações sociais e das idiossincrasias de cada um envolvido nos projetos e atividades da empresa.

Como é o modelo de liderança situacional II?

A liderança situacional não é uma teoria estática e o próprio autor Kenneth Blanchard a revisou, desenvolvendo a teoria original. De acordo com a nova versão (chamada de SLII), líderes eficazes devem basear seu comportamento no nível de desenvolvimento dos membros da equipe em tarefas específicas.

Esse nível é determinado pelo nível de competência e comprometimento de cada indivíduo. Esses níveis incluem:

  • iniciante entusiasta: grande comprometimento, mas pouca competência;
  • aprendiz desiludido: alguma competência, mas alguns contratempos geraram pouco comprometimento;
  • colaborador capaz, mas cauteloso: a competência está crescendo, mas o nível de comprometimento varia;
  • empreendedor autossuficiente: alta competência e comprometimento.

O autor também sugere que cada uma das abordagens deve ser usada em conjunto com diferentes níveis de maturidade entre os membros dos times. Por exemplo, o nível de maturidade mais baixo (M1) deve funcionar melhor com o estilo “direção”, enquanto o nível de maturidade mais alto (M4) deve dar mais resultado com a abordagem autônoma.

Quais as vantagens e desvantagens da liderança situacional?

Como nada é perfeito, a liderança situacional pode não funcionar tão bem em todas as circunstâncias. Tome um tempo para analisar a sua situação e descobrir se a flexibilidade é a resposta para o crescimento da sua empresa.

Veja abaixo as vantagens e desvantagens da liderança situacional para ajudar em sua decisão:

Vantagens:

  • é fácil de usar: quando o estilo de liderança é o certo, o líder consegue identificá-lo;
  • simples: tudo o que o líder precisa fazer é avaliar a situação e aplicar o estilo de liderança correto;
  • apelo intuitivo: com o tipo certo de líder, esse estilo é confortável;
  • os líderes têm permissão para alterar os estilos de gerenciamento conforme entenderem.

Desvantagens:

  • essa teoria não leva em consideração todos os tipos de cultura de todos os países;
  • ignora as diferenças entre homens e mulheres;
  • líderes situacionais podem tirar a atenção de estratégias e políticas a longo prazo.

Então, pronto para considerar em usar a liderança situacional em sua empresa? O que você achou do tema? Conte para a gente nos comentários!

yH5BAEAAAAALAAAAAABAAEAAAIBRAA7 - Saiba tudo sobre a liderança situacional e como aplicá-la em sua empresa
Rolar para cima
WhatsApp chat

Receba todas as novidades do nosso blog

Inscreva-se na nossa newsletter
e receba matérias exclusivas
no seu email

popup newsletter teste5 3 - Saiba tudo sobre a liderança situacional e como aplicá-la em sua empresa

Não saia agora! Venha conhecer o PontoTel

O aplicativo de controle de ponto em tempo real
que você economiza tempo e dinheiro com cálculos automáticos e gestão de ponto completa.