A relação entre aquisição de novos talentos e o planejamento financeiro

aquisição de novos talentos

Aquisição de novos talentos e planejamento financeiro. Se o conceito primeiro é crucial para a montagem de equipes eficientes, o segundo é o pilar para o sucesso e a estabilidade de qualquer empresa. Mas qual a relação entre os dois?

A aquisição de novos talentos é uma das atividades mais relevantes de qualquer empresa, independentemente de seu tamanho ou área de atuação. Preencher o time com profissionais qualificados, com hard e soft skills que se encaixem nas necessidades da empresa, pode ser o diferencial necessário para se destacar da competição.

Na mesma medida em que é importante, esse processo é complexo. Isso porque, além do desafio de encontrar talentos que se adequem à cultura organizacional, é preciso batalhar por eles em um mercado de trabalho deveras competitivo.

Assim, para conseguir os melhores profissionais, é necessário contar com um departamento financeiro organizado, que possibilite não só o oferecimento de salários atrativos, mas também um ambiente estável em médio e longo prazo. É aí que entra o planejamento financeiro.

Neste post, vamos falar mais sobre essa prática e passar dicas para que você as execute da melhor forma possível. 

Além disso, falaremos sobre como um orçamento bem gerenciado pode ser fundamental em cada um dos processos envolvidos na contratação de novos talentos. Continue a leitura!

  • O que é planejamento financeiro?
  • Como fazer um bom planejamento financeiro?
  • Qual a importância de adquirir novos talentos para a empresa?
  • Quais os processos envolvidos na aquisição de talentos?
  • Como um bom planejamento financeiro pode auxiliar em cada processo da aquisição de talentos?

O que é planejamento financeiro?

Um bom planejamento financeiro é o alicerce para o crescimento de qualquer negócio. É ele que dá aos tomadores de decisão um norte em relação aos investimentos que devem e podem ser realizados. Posto de forma simples, trata-se de um guia para que os objetivos da empresa sejam atingidos de forma sustentável e lucrativa.

Para tal, um planejamento financeiro estipula quanto pode ser gasto em um determinado período, realizando um levantamento de todas as fontes de renda da empresa. 

Nesse processo, é claro, deve-se levar em consideração as despesas fixas e variáveis, o que inclui os gastos relacionados ao período de seleção e recrutamento de talentos.

Outro ponto importante desse guia é estabelecer uma visão clara sobre a realidade geral da empresa, determinando a sua saúde financeira e avaliando possíveis oportunidades.

Como estamos falando do mundo dos negócios, em que qualquer situação pode mudar repentinamente, o planejamento deve projetar formas de agir sob diferentes situações.

Para tornar essa análise mais simples e certeira, é comum que as companhias optem por dividi-la em três níveis: estratégico, tático e operacional.

Estratégico

Ao nível estratégico, o planejamento financeiro adota uma abordagem mais abrangente, cobrindo um período mais amplo, geralmente superior a 5 anos. Aqui, são realizadas as projeções de investimento em longo prazo, fundamentais para negócios que planejam movimentos de expansão.

Por conta de suas características, essa etapa costuma ser menos detalhada, deixando espaço para mudanças estratégicas caso o cenário, externo ou interno, sofra alterações significativas.

Tático

Se o planejamento estratégico foca o longo prazo, o tático pensa em um futuro mais próximo. No entanto, a imperatividade de se manter flexível para lidar com possíveis mudanças permanece.

As atividades esboçadas nesse nível de planejamento têm como principais objetivos controlar o fluxo financeiro e definir investimentos em médio prazo.

Operacional

Aqui, estamos falando de um prazo mais curto, geralmente restrito a um ano. A fase operacional do planejamento financeiro é mais ligada a planos de ações, e cuida das atividades realizadas no cotidiano da empresa.

Nesse nível, são tratadas as operações financeiras diárias, como os custos de deslocamento de um vendedor e os rendimentos da venda de um produto. A parte operacional é, portanto, o que garante a base para que os planejamentos táticos e operacionais possam ser colocados em prática.

Como fazer um bom planejamento financeiro?

Não existe fórmula mágica. Entender isso é o primeiro passo para desenvolver um planejamento financeiro eficiente para sua empresa. Dada a diversidade de características que compõem diferentes mercados e organizações, tentar replicar um plano pré-desenvolvido é receita certa para o fracasso.

Sua missão é compreender as especificidades do seu negócio, focando, é claro, nas transações financeiras. Dito isso, vamos passar algumas dicas essenciais para a criação do seu plano de finanças. Acompanhe!

Realize um mapeamento de custos

Parte de entender as particularidades do seu negócio é compreender de onde vêm seus gastos, desde os menores até os maiores. Cada movimentação financeira deve ser devidamente registrada, não apenas para fins fiscais, mas para dar à gestão uma visão detalhada sobre os custos do negócio.

Sendo assim, implemente um sistema de mapeamento. Para tal, você pode usar ferramentas especializadas ou simplesmente criar relatórios ressaltando todos os recursos financeiros gastos nas diferentes atividades da empresa.

Compra de insumos, pagamento de salários, gastos com manutenção e ações de vendas/publicidade são alguns dos elementos mais comuns de um mapa de custos.

Trace uma estratégia clara

Se você tem um mapeamento adequado, pode tomar decisões mais certeiras sobre os meios para alcançar seus objetivos. 

Mas, que metas são essas? 

Elas precisam estar detalhadas em seu planejamento, de modo que você e os membros da equipe sejam capazes de monitorar o desenvolvimento da estratégia.

Para traçar sua estratégia, faça uso de análises internas e externas para entender a totalidade do ambiente que cerca e compõe seu negócio. Trabalhar com uma matriz SWOT é uma opção interessante nesse sentido.

No fim, o fundamental é que os seus objetivos sejam alcançáveis de modo que não comprometam seu balanço financeiro.

Utilize ferramentas de automação

Com ajuda da tecnologia certa, é possível tornar seu planejamento financeiro muito mais dinâmico e intuitivo. Para começar, as ferramentas de automação realizam ações corriqueiras de forma extremamente mais rápida e eficiente que um colaborador.

Isso significa a ausência de gargalos formados por erros humanos e a aceleração dos processos, além de benefícios para a gestão de tempo.

Além disso, tais ferramentas são capazes de registrar e processar enormes volumes de dados. O que significa que você terá acesso a relatórios detalhados sobre cada ação que importa ao departamento financeiro.

Uma empresa com muitos colaboradores, por exemplo, precisa controlar exatamente as horas trabalhadas para realizar o pagamento dos honorários. Nesse processo, é preciso levar em conta horas extras, abstenções e coisas do tipo. 

Com a simples instalação de um ponto eletrônico, os gestores ganham total controle sobre esses aspectos.

banner-sistema-orc

Qual a importância de adquirir novos talentos para a empresa?

Voltemos à aquisição de novos talentos. Essa atividade, que já destacamos como um dos pilares de qualquer negócio, possibilita a formação de times que se encaixam tanto na cultura da empresa quanto em suas ambições.

Encontrar os talentos certos para realizar as tarefas incluídas na estratégia é a única forma de executá-la eficientemente.

Além disso, a contratação de novos profissionais é imprescindível em qualquer negócio que ambicione o próprio crescimento.

Qualquer tipo de expansão exige o fortalecimento da equipe, que precisará de novos membros para lidar com as novas demandas. Negligenciar isso significa expor seus profissionais a uma sobrecarga que vai afetar diretamente sua produtividade.

É preciso mencionar, também, que alguns negócios lidam com altas taxas de rotatividade

Nesses casos, adquirir novos talentos se torna uma prática ainda mais essencial. No entanto, é sempre importante implementar táticas direcionadas a otimizar a taxa de retenção.

Quais os processos envolvidos na aquisição de talentos?

Encontrar o talento certo nem sempre é fácil, mas basta uma abordagem estratégica para aumentar consideravelmente suas chances. O primeiro passo é definir o tipo de profissional que você está procurando.

É preciso descrever o perfil de profissional que melhor se encaixa nos seus objetivos, levando em conta suas habilidades, análise comportamental e a aderência cultural.

Como já mencionamos, é preciso contar com profundo conhecimento sobre o mercado de trabalho, de modo a segmentar as buscas em plataformas e canais que possam realmente entregar resultados.

Se você tem em mente as características do talento que está buscando, poderá conduzir essa busca nos locais mais certeiros.

Encontrar o talento, porém, não é tudo. É preciso superar a concorrência, o que passa por algo que chamamos de employer branding. Sua empresa precisa se posicionar como um local atrativo para se trabalhar. Ações de Marketing de Conteúdo podem ser satisfatoriamente utilizadas nesse sentido.

A partir da primeira interação com o candidato, é preciso oferecer uma experiência diferenciada, antes mesmo de falar em valores e benefícios. Cuide para que o processo seletivo seja inclusivo, mantendo os candidatos engajados e motivados durante todas as atividades. Como consequência, a taxa de turnover vai diminuir.

Depois de encontrar e engajar os potenciais contratados, é hora de analisar o que melhor se encaixa em seu negócio e agir para finalizar sua aquisição. Esse movimento final depende, além do relacionamento estabelecido entre as duas partes, do oferecimento de valores e benefícios atrativos para o profissional.

Como um bom planejamento financeiro pode auxiliar na aquisição de novos talentos?

Um bom planejamento financeiro é o que possibilita um processo de aquisição de novos talentos eficiente.

O guia, que estabelece a forma e intensidade que os recursos podem ser gastos, ajuda os gestores a tomarem decisões em relação ao processo seletivo, desde o número de candidatos entrevistados até o teto do salário que pode ser oferecido.

Além disso, uma empresa que se planeja bem financeiramente é, de forma perceptível, um negócio mais sólido que concorrentes que não contam com estratégias bem definidas.

No fim das contas, isso gera uma sensação de maior segurança nos candidatos, que tendem a optar por empresas que se provem sustentáveis não apenas em curto, mas também em longo prazo.

Portanto, além de permitir que os responsáveis pelo processo de seleção se preparem e contem com recursos para adquirir os melhores talentos, o planejamento financeiro serve como fator de convencimento para que o profissional escolha a sua empresa, não sua concorrente.

Se basear em um planejamento financeiro bem estruturado gera segurança para tomadas de decisões mais eficientes em todas as áreas da empresa. No que toca a aquisição de novos talentos, essa prática é fundamental tanto para a projeção de seleções certeiras quanto para a criação de uma vantagem competitiva para a companhia.

Se gostou deste conteúdo, compartilhe em suas redes sociais! 

Este conteúdo foi produzido em parceria com o time da Rock Content.

Compartilhe em suas redes!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Rolar para cima