Soft skills: guia completo e tudo sobre o assunto

Ao longo dos últimos anos, os profissionais precisaram se reinventar cada vez mais para estarem sempre atualizados em relação aos requisitos do mercado de trabalho. 

A inovação decorrente dos avanços tecnológicos fez com que a adaptação às mudanças tivesse que ser rápida e, para isso, estudar é a solução. 

Cursos, certificações, especializações e idiomas entraram na lista de requisitos obrigatórios ou preferíveis para diversas vagas de emprego. 

Estar um passo à frente de seus concorrentes é o desejo da maioria dos candidatos que buscam uma recolocação no mercado de trabalho. Afinal, essa é a chave para ter vantagens em um processo seletivo.

E, para que isso aconteça, é necessário estar em constante desenvolvimento, não é mesmo? 

No entanto, não pense que somente as habilidades técnicas são requeridas durante o processo de recrutamento e seleção. Já ouviu falar em soft skills? 

Surgindo como uma nova forma de destacar-se no mercado de trabalho, as soft skills aparecem presentes no currículo e portfólio de muitos profissionais. Mas, afinal, o que esse termo significa? 

Se você quer saber tudo sobre as soft skills, está no texto certo! Veja os tópicos que iremos abordar ao longo da sua leitura:

Vamos lá?

O que significa soft skills

Basicamente, as soft skills são habilidades de comunicação, sobretudo interação social, que vão muito além de capacidades técnicas de um profissional. Em tradução livre, soft skills significam habilidades interpessoais no local de trabalho. 

Na maioria das vezes, os profissionais colocam em seus currículos ou portfólios as soft skills que apresentam e merecem ser vistas por recrutadores. 

Por não serem consideradas capacidades técnicas e sim características interpessoais, as soft skills podem servir para que o recrutador avalie se o candidato está de acordo com o fit cultural do time, empresa ou projeto.

Soft skills na prática: conheça as principais

imagem de uma mulher fazendo anotações

São tantas soft skills que existem, que pode ser um pouco difícil entender como identificá-las logo de início. Todavia, não se preocupe que iremos dar exemplos ainda neste tópico para que você compreenda melhor. 

Como é uma avaliação muito subjetiva, fica difícil pontuar especificamente tudo o que você precisa saber para se tornar um excelente profissional com boas soft skills.

No entanto, é possível ter uma ideia e uma direção a seguir para desenvolvê-las. 

Como falamos, geralmente as soft skills estão relacionadas com habilidades comunicativas, liderança e trabalho em equipe.

A partir daí, podem vir variações. Mas, como assim?  Bom, por exemplo, em um trabalho em equipe precisa-se compreender o próximo, saber escutar, mas saber responder também, ter empatia. E todas essas características também são soft skills!

Já em cargos de liderança, desenvolve-se também um pouco do trabalho em equipe, resolução de problemas e conflitos, confiança, entre outros…

A seguir, confira exemplos de soft skills que separamos:

  • Respeito;
  • Confiança;
  • Empatia;
  • Bom ouvinte;
  • Curiosidade;
  • Criatividade;
  • Organização;
  • Analítico; 
  • Otimista;
  • Observação;
  • Tomador de decisões;
  • Persuasão, entre outros.

No próximo tópico, confira dicas para desenvolver as suas soft skills!

Como desenvolver as soft skills?

O que define as soft skills são as características comportamentais. Portanto, aprimorar essas características acaba sendo um desenvolvimento que pode variar de acordo com cada indivíduo.

Então, o primeiro passo certamente é o autoconhecimento. Para isso, indicamos que você passe a se observar mais e identifique quais são os seus pontos fracos e fortes. 

Isso pode parecer besteira, mas podemos garantir que esse é o ponto inicial para desenvolver as suas soft skills. 

O autoconhecimento é fundamental para se reconhecer como profissional e entender quais são as suas melhores qualidades e piores defeitos, afinal, essa é a pergunta clichê de qualquer entrevista de emprego, não é mesmo? 

Agora que ficou claro qual é a importância do autoconhecimento e você já sabe quais são os seus pontos fracos e fortes, basta praticar até se aperfeiçoar, assim como em muitas outras habilidades que desenvolvemos ao longo da vida.

Um exemplo disso é que para trabalhar bem em equipe, é necessário que você se coloque em situações onde essa característica será exigida. Para isso, é importante se arriscar e colocar-se nessas situações. 

Escolha sempre trabalhos em grupo ou atividades nas quais não é possível realizar individualmente. Dessa forma, quando estiver vivendo essa situação, observe-se e identifique quais foram as suas dificuldades e, a partir disso, busque aprimorá-las.

O mesmo vale para as demais características. Existem pessoas, por exemplo, que têm uma habilidade nata de liderança, enquanto existem outras que a aprimoraram. E tudo isso é possível através da prática e conhecimento pessoal.

Qual é a importância das soft skills no mercado de trabalho?

Quem trabalha no RH e realiza o recrutamento e seleção de novos talentos sabe que é difícil conhecer, de fato, os candidatos em poucos minutos de entrevista. 

Nesse sentido, colocar as soft skills que você apresenta no seu currículo ou em uma carta de apresentação pode te diferenciar dos demais candidatos. 

Isso, pois você estará oferecendo mais ferramentas para que o recrutador saiba mais sobre você mesmo com um tempo tão curto de bate-papo. 

Soft skills e a vida na pandemia 

Ao longo da crise sanitária que estamos vivenciando devido à pandemia de COVID-19, muitos profissionais precisaram se reinventar para que se adaptassem ao cenário atual. 

Grande parte das empresas optaram pelo modelo de trabalho home office ou teletrabalho. No entanto, a adaptação não foi fácil para todos os colaboradores que estavam acostumados com o dia a dia na sede da empresa.  

Profissionais que já tinham as soft skills de organização e produtividade sentiram mais facilidade para gerenciar o próprio tempo ao longo desse período. Já os que precisavam de um empurrãozinho do chefe, precisaram desenvolver essas características para não ficarem para trás e se igualarem aos colegas de trabalho. 

Aqui, já podemos adiantar que já existem diversas soft skills em alta devido ao home office e que já estão sendo exigidas por recrutadores nos processos seletivos. Veja algumas que separamos:

  • Adaptação a novas tecnologias;
  • Gerenciamento de tempo;
  • Senso de dono;
  • Motivação;
  • Persistência;
  • Organização, entre outras.

E na gestão de projetos?

Um gestor de projetos, além de supervisionar e direcionar o andamento das atividades, deve escolher quais são os colaboradores adequados para participar desse plano. 

Em vista disso, é responsabilidade desse profissional buscar por funcionários com soft skills compatíveis às características do projeto a ser desenvolvido.

Alguns profissionais produzem mais quando trabalham individualmente e possuem mais autonomia nas tarefas do dia a dia, pois se sentem mais confortáveis e menos distraídos. Ser individualista no ambiente de trabalho nem sempre é considerado uma característica positiva. 

No entanto, existem profissões que exigem esse tipo de soft skill, como redatores, escritores, designers, analistas de sistemas, entre outros.  

Agora, imagine que você está gerenciando um projeto que precisa de um colaborador que seja produtivo mesmo trabalhando em equipe. Para essa tarefa, você precisa buscar um funcionário que se saia bem interagindo em grupo, certo?

Se você tem autonomia nas suas atividades profissionais e não consegue produzir em equipe, não pense que isso é algo ruim. Afinal, como vimos, você também tem espaço no mercado de trabalho. 

A seguir, entenda finalmente a diferença entre soft skills e hard skills.

Soft skills x hard skills: quais são as diferenças?

Como você já sabe, as soft skills estão relacionadas às habilidades comportamentais. Há uma avaliação mais subjetiva e a necessidade de um conhecimento pessoal para desenvolvê-las.

Já as hard skills estão relacionadas às suas habilidades técnicas. As hard skills são mais objetivas com relação à avaliação e podem ser desenvolvidas através de cursos, leituras ou conhecimentos vindos de terceiros da mesma área.

Para ficar mais fácil de entender, vamos utilizar um exemplo.

Imagine que um candidato enviou o seu currículo para uma vaga de engenheiro de software, na qual, como hard skills, ele deve saber programar em 2 linguagens diferentes e também precisa conhecer sobre as metodologias ágeis.


Para se qualificar a essa vaga, esse profissional fez alguns cursos de linguagens de programação e tirou uma certificação tecnológica sobre a metodologia ágil exigida. 

Por ter que trabalhar sob uma liderança e em meio a uma equipe, esse mesmo candidato deveria ter desenvoltura para trabalho em equipe. 

Porém, ele nunca fez nenhum curso sobre isso e sempre trabalhou sozinho, por esse ser o seu primeiro emprego.

A soft skill de trabalho em equipe então foi desenvolvida nesse emprego, onde teve que escutar mais de uma opinião e seguir ordens, saindo de sua zona de conforto.

Como não existe um certificado que ateste suas soft skills, muitas vezes, elas são medidas baseadas em conversas, na entrevista ou até mesmo através de uma análise do seu dia a dia dentro da empresa.

Conclusão

Agora que você sabe o que são as soft skills e como diferenciá-las das hard skills, você pode começar o seu planejamento para aprimorá-las!

Atualmente, muitas empresas avaliam tanto o lado objetivo quanto o subjetivo de um profissional. 

Afinal, apesar de poder ter um profissional super qualificado profissionalmente, se ele não souber trabalhar em equipe, pode ser que ele não consiga demonstrar o seu potencial em sua totalidade.

Não espere alguma exigência para começar a desenvolver esse seu lado e, como é algo que só depende de você mesmo, comece desde já a buscar esse desenvolvimento.

Lembrando também que, por ser um meio subjetivo de avaliação, não existe certo e errado, porém, é possível se desafiar e melhorar cada vez mais através da prática.

banner animado pontotel

Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima