O que faz o vendedor externo, como se diferencia do representante comercial e como controlar sua jornada de trabalho?
BLOG
Time Pontotel 18 de setembro de 2023 Departamento Pessoal
O que faz o vendedor externo, como se diferencia do representante comercial e como controlar sua jornada de trabalho?
O vendedor externo é uma das peças-chaves para alavancar as vendas da sua empresa. Entenda agora o que faz esse profissional e como fazer o controle da sua jornada de trabalho!
Imagem de O que faz o vendedor externo, como se diferencia do representante comercial e como controlar sua jornada de trabalho?

Toda empresa que trabalha com vendas possui colaboradores primordiais para que a compra do cliente aconteça de forma satisfatória. Um deles é o vendedor externo, um profissional que trabalha em campo para oferecer os serviços ou produtos da marca.

Por ser uma profissão que trabalha exclusivamente fora do escritório e se assemelha a outros cargos, como representante comercial, é bem comum que surjam dúvidas sobre sua função, seus direitos e, inclusive, como controlar a sua jornada de trabalho.

Então, se você quer entender mais sobre essa profissão, como fazer o controle das horas trabalhadas e quais as diferenças entre ela e o representante comercial, acompanhe este artigo, dividido nos seguintes temas que você precisa saber:  

Aproveite o conteúdo e tenha uma boa leitura.

Afinal de contas, o que faz um vendedor externo?

Um homem e uma mulher conversando

O vendedor externo é o profissional responsável por realizar atendimentos e negociações fora da empresa, captando novos clientes e mantendo a relação com os antigos. É um funcionário contratado sob o regime CLT, portanto, possui vínculo empregatício com o negócio. 

As principais funções atribuídas ao vendedor externo são: 

  • Busca de novas oportunidades de negócio;
  • Realização de propostas comerciais;
  • Apresentação dos produtos;
  • Negociação de vendas e ofertas;
  • Fechamento de contratos e vendas;
  • Acompanhamento da entrega e finalização.

Mesmo fora da empresa, o vendedor externo segue as mesmas obrigações e direitos que os contratados no regime CLT que trabalham internamente, como o cumprimento das horas estabelecidas em contrato e o recebimento de um salário fixo. 

O que diz a lei sobre trabalhadores externos?

O vendedor externo se enquadra dentro das leis da CLT, mais especificamente nas que regulamentam o trabalho externo, caracterizado como o trabalho realizado fora do espaço físico da empresa devido à sua necessidade. 

Independentemente do local de realização, por ser um modelo de contratação em regime CLT, o vendedor externo tem os mesmos direitos e deveres dos demais colaboradores, inclusive com o controle de jornada, que precisa ser realizado fora da empresa.

Diferença entre vendedor externo e representante comercial externo

Por possuírem atribuições semelhantes, é bem comum que haja uma confusão entre os trabalhos do vendedor externo e do representante comercial externo. Porém, são duas atividades diferentes que precisam ser bem entendidas pelo empregador e pelo empregado. 

O vendedor externo é um profissional contratado de forma formal, com vínculo empregatício e todos os direitos trabalhistas regidos pela CLT, para a intermediação e a prospecção de vendas no ambiente externo da empresa. Ele é subordinado à empresa, às suas regras, às metodologias e aos seus processos internos. 

Já o representante comercial externo não possui vínculo empregatício. Ele é um profissional autônomo contratado para intermediar as vendas de uma empresa e precisa estar registrado no Conselho Estadual de Representantes (CORE). 

A remuneração do representante é por meio da comissão das vendas realizadas. Sendo assim, o representante não precisa se subordinar às regras da empresa nem prestar serviços apenas para um único negócio de forma exclusiva.

Quais as vantagens de contratar um vendedor externo em vez de um representante comercial?

Contratar um representante comercial pode parecer mais benéfico para o negócio no quesito financeiro, já que fica dispensado o pagamento de salário e demais proventos como décimo terceiro, férias e horas extras.

Porém, se sua empresa se encontra em um momento de saúde e estabilidade financeira, contratar um vendedor externo pode ser uma melhor opção pelos seguintes benefícios:

  • Realização de atendimento padronizado;
  • Presença de um profissional qualificado;
  • Participação em atividades internas da empresa, como treinamentos e eventos;
  • Respeito ao tempo de jornada de trabalho;
  • Acompanhamento dos demais processos do pedido;
  • Maior estabilidade empregatícia.

A contratação de um vendedor externo pode elevar a qualidade e a imagem da empresa, afinal, todo colaborador que trabalha para uma corporação também a representa, e com vínculos empregatícios informais, como o do representante comercial, pode não haver esse padrão de qualidade. 

E quais as desvantagens do vendedor externo?

Por se tratar de um trabalho que acontece fora do escritório, o controle de ponto e gestão de jornada do vendedor externo é mais complicado e difícil de ser acompanhado.

Se sua empresa não adota um sistema mais moderno para fazer o controle, como o sistema de ponto online, realizar essa tarefa pode ser difícil, já que a gestão fica sem saber, de fato, onde o colaborador está e se ele está realizando o trabalho como deveria.

Por isso, é preciso investir em sistemas modernos de controle de ponto, como o ponto digital, pois ele possui medidas de segurança como o reconhecimento facial e a geolocalização, para garantir o registro correto e acompanhamento real da rotina de trabalho do vendedor externo.

Como funciona o contrato de vendedor externo?

O vendedor externo faz parte do quadro de funcionários da empresa. Mesmo trabalhando fora do escritório, é contratado e segue as regras do regime CLT. Portanto, tem direito a um salário fixo, férias remuneradas, vale-alimentação, licença-maternidade, etc.

Também, assim como os demais, o vendedor externo precisa cumprir sua jornada de 8 horas de trabalho com, no máximo, 2 horas de horas extras, conforme explicam os Artigos 58 e 59 da CLT.

Pelo fato de que esse colaborador passa praticamente todo seu tempo de trabalho fora da empresa, há controvérsias por parte dos gestores sobre o controle das horas trabalhadas. A seguir, você confere por que e como realizar o controle de jornada de um vendedor externo.

Por que fazer o controle de jornada de um vendedor externo?

Um celular apresentando a tela de registro de ponto do PontoTel

Para ficar de acordo com as leis trabalhistas do Brasil, que exigem que haja o registro da jornada em empresas com 20 ou mais colaboradores, e para ter um acompanhamento mais próximo do colaborador que não está no escritório, é importante fazer o controle de jornada.

Além disso, caso seu vendedor externo exerça atividade externa com jornada fixa, é preciso verificar as horas trabalhadas.

Sendo assim, confira as razões que tornam importantes o controle de jornada do vendedor externo logo a seguir. 

Segurança jurídica

Em casos de eventuais processos trabalhistas, o controle de jornada oferece segurança à empresa para casos de contestação de informações. Por exemplo, é bem comum o surgimento de causas trabalhistas pelo não pagamento de horas extras. Se sua empresa não tem um controle seguro, não será possível que ela se defenda de processos equivocados.  

Contabilização correta de horas trabalhadas

O controle de jornada com a contabilização das horas é uma das atividades primordiais para a relação entre empregado e empregador. A correta contabilização vai garantir o pagamento de salário no valor correto de acordo com o tempo de trabalho do colaborador. 

Sendo assim, se houve horas extras ou faltas, é essencial que haja a correta contabilização para que o colaborador receba corretamente pelo seu trabalho.

Transparência da relação trabalhista

Transparência no trabalho é essencial na relação entre empregado e empregador, e o controle de jornada é uma das atividades que fortalece para que isso aconteça, já que o próprio colaborador faz seus registros e a empresa acompanha, o que contribui para uma relação de confiança.

O que considerar ao escolher um controle de jornada para um vendedor externo?

Como o vendedor externo é um funcionário que realiza o trabalho fora da empresa, é importante se atentar a especificidades inerentes a esse profissional.

Se sua empresa utiliza um relógio de ponto, por exemplo, isso impossibilita que os trabalhadores em ambiente externo façam o registro de ponto. Por isso, é importante escolher um controle de ponto que atenda os trabalhadores externos, como o controle de ponto online

Acompanhamento em tempo real

Com um software de ponto online instalado em um aparelho, como celulares, é possível acompanhar em tempo real os horários de entrada, saída, atrasos e faltas do colaborador, o que possibilita melhor controle e organização para uma boa gestão da empresa. 

Ponto offline

Uma preocupação pertinente é sobre a realização da marcação do ponto quando o colaborador está sem acesso à internet. Porém, sistemas de registro de ponto mais modernos, como o sistema de ponto offline, já permitem o registro de ponto sem rede.

O serviço possibilita que o colaborador faça o registro e todas as informações são levadas para a nuvem quando o aparelho se conectar à rede. 

Geolocalização

Uma das maiores preocupações das empresas com colaboradores em ambiente externo é saber se eles realmente estão onde deveriam. Por isso, com um serviço de geolocalização, a empresa acompanha se o funcionário está dentro do seu local de trabalho, garantindo que o trabalho esteja sendo realizado conforme o esperado. 

Registro de ponto com medidas de segurança

Para garantir que é o próprio colaborador que está registrando suas informações e que não há fraude, é importante contratar um software especializado e com autoridade no assunto. 

Dê preferência a softwares que possibilitem o recolhimento de assinatura, leitura biométrica ou facial, pois isso garantirá maior segurança para a empresa e também para o colaborador, sendo um serviço benéfico para as duas partes. 

Reconhecimento facial

Celular apresentando a tela de reconhecimento facial do PontoTel

Também chamado de controle de ponto touchless, o reconhecimento facial possibilita que o colaborador faça o registro de ponto com a captação do seu rosto para garantir que é ele mesmo que está realizando a atividade.

Além de ser uma forma de aumentar a segurança e a transparência, a biometria por reconhecimento facial tem uma precisão de 99,8%, conforme dados do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia.

Segurança de dados

É importante utilizar um sistema que possua uma política de tratamento de dados sensíveis, uma vez que o registro de ponto de forma externa precisa recolher informações sensíveis, como dados biométricos ou assinatura.

Certifique-se de que a empresa contratada possui normas claras sobre segurança de dados e se estão dentro dos parâmetros da Lei Geral de Proteção de Dados

Conheça a Pontotel: controle a jornada do seu vendedor externo com segurança!

Sem dúvidas, a Pontotel é a melhor solução para o controle da jornada do seu vendedor externo, pois atende todas as necessidades e as preocupações referentes ao acompanhamento do trabalhador em ambiente externo.

O PontoTel possui um software de controle de jornada que possibilita o registro do ponto em qualquer lugar, necessitando apenas de um aparelho móvel para a instalação do aplicativo. 

Com ele, você acompanha em tempo real os registros do seu colaborador, além de ter acesso a localização e todas as medidas de segurança de uma empresa que desenvolve soluções em registro de ponto desde 2014.

O software PontoTel está adequado conforme os parâmetros estabelecidos pela Portaria 671 do Ministério do Trabalho e veio para revolucionar a forma como sua empresa faz o registro de ponto hoje. 

Conclusão

Assim, ficou claro que não há necessidade de preocupação sobre como controlar a jornada de trabalho do vendedor externo se sua empresa optar por um controle de ponto moderno, como um software de ponto online, que atende todas as necessidades da empresa e do profissional. 

É importante reiterar que o vendedor externo é o profissional que vai garantir a padronização dos processos de venda da sua empresa, além de possibilitar melhores controle e organização sobre os processos.

Se você entendeu a importância desse profissional e todas as atividades sob sua responsabilidade, agora sabe que é viável fazer a admissão e o gerenciamento deste funcionário da forma mais transparente possível com os meios corretos de controle de jornada.

Gostou do texto e de saber mais sobre o trabalho do vendedor externo? Então, compartilhe-o com seus colegas de trabalho e continue acompanhando o blog Pontotel para ficar por dentro das novidades do setor empresarial.

Compartilhe em suas redes!
Mais em Departamento Pessoal VER TUDO
INICIAR TOUR!