Open Finance: entenda o que é, quais as vantagens, riscos e saiba se é ideal para a sua empresa
BLOG
Time Pontotel 26 de maio de 2023 Departamento Pessoal
Open Finance: entenda o que é, quais as vantagens, riscos e saiba se é ideal para a sua empresa
Saiba tudo sobre o Open Finance, a iniciativa que promete revolucionar o sistema financeiro. Confira as vantagens para o seu negócio.
Imagem de Open Finance: entenda o que é, quais as vantagens, riscos e saiba se é ideal para a sua empresa

O Open Finance é uma iniciativa que nasceu com o objetivo de tornar menos burocrático o acesso a produtos financeiros. Mas ele busca provocar também mudanças na indústria, por meio da competitividade entre as instituições financeiras, fomentada pelo aumento de ofertas e pela divulgação das propostas de serviço dessas empresas.

Para organizações em geral, o Open Finance é um sistema que pode ajudá-las a ter mais controle sobre gastos e melhorar a saúde financeira do negócio. Isso porque aderir ao Open Finance as coloca no centro das decisões de como e com quem compartilhar seus dados, o que torna os processos mais seguros e práticos. 

Quer entender como o Open Finance realiza tudo isso e quais são as vantagens para sua empresa de aderir ao sistema? Então, continue a leitura deste artigo. Confira a seguir quais tópicos serão abordados no decorrer do texto:

Aproveite a leitura!

banner automatize o calculo de horas extras

O que é Open Finance?

Quatro pessoas em pé observando um notebook

O Open Finance, também conhecido como Sistema Financeiro Aberto, é uma tentativa do Banco Central do Brasil de permitir que as informações fluam no sistema financeiro de forma padronizada e como for mais conveniente para os usuários. Isso garante mais segurança para as pessoas e a desburocratização do acesso a produtos da indústria financeira. 

O maior objetivo do Banco Central do Brasil (BCB) com o Open Finance é revolucionar o sistema financeiro. O BCB faz isso transformando os dados em propriedade do titular e não mais das instituições, como acontecia anteriormente. 

Desse modo, ao permitir que o usuário escolha como, com quem e até quando compartilhar suas informações, esse sistema conecta e unifica os históricos de movimentação e os padrões de consumo do cliente, o que pode ser usado para que as pessoas não fiquem reféns dos requisitos de determinada instituição financeira, mas que, ao contrário, as instituições adaptem-se às necessidades das pessoas. 

Assim, o Open Finance incentiva também a concorrência e melhora a oferta de produtos e serviços financeiros para consumidores, uma vez que torna possível a comparação destes entre várias instituições. 

Diferença entre Open Finance e Open Banking

O Open Finance é a continuação do Open Banking. Os dois se referem ao sistema que deixa o compartilhamento de dados pessoais e financeiros a critério do usuário. 

Entretanto, o Open Banking é a primeira fase desse projeto, focado em bancos e instituições financeiras, e que funciona desde 2021 no Brasil. Já o Open Finance é a segunda parte desse plano, que promete expandir a iniciativa para outras empresas, como plataformas de investimento e corretoras de seguros.

O Open Finance inclui serviços financeiros além dos bancários, como os seguros, os fundos de previdência, as casas de câmbio e as corretoras de valores.

O Open Finance é seguro?

Sim. O Open Finance é mediado pelo Banco Central do Brasil, ou seja, o cuidado com o tratamento e a transmissão de dados é máximo e segue as diretrizes da LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados, e da Lei de Sigilo Bancário. Desse modo, as informações dos clientes só serão compartilhadas entre as organizações que participam do sistema e com autorização das pessoas. 

O maior objetivo da iniciativa é colocar o consumidor no controle de seus dados. Ele pode escolher com quais instituições gostaria de compartilhar as informações e por quanto tempo. A partir do momento que ele desautoriza o compartilhamento com determinada empresa, ela não terá mais acesso aos seus dados. 

Além disso, as instituições que participam do Sistema Financeiro Aberto são as financeiras e de pagamentos autorizadas pelo Banco Central do Brasil. Portanto, estas devem estar de acordo com as exigências do órgão. 

E, afinal, o Banco Central é a autarquia federal autônoma integrante do Sistema Financeiro Nacional e é considerada a principal instituição de funcionamento econômico do país. Logo, não há motivos para desconfiar da segurança do Open Finance.

Como funciona o sistema Open Finance?

Na prática, o sistema Open Finance é a possibilidade de compartilhar informações pessoais e financeiras com várias empresas e, com isso, conseguir algumas vantagens. 

Por exemplo, o sistema ajuda os usuários a compararem as propostas de diversas instituições e produtos financeiros, pois reúne, em um só lugar, serviços, taxas, ofertas, etc. Assim, o usuário pode escolher as opções que estejam de acordo com o que ele precisa.

Por outro lado, as empresas podem personalizar propostas para os clientes baseando-se nos históricos e informações financeiras destes. Vale lembrar que o sistema é totalmente gratuito. 

Este é o mesmo conceito dos sites de comparação de passagens aéreas, que reúnem todas as propostas dentro das especificações do cliente, de modo que ele selecione o que mais se adequar a suas necessidades. 

Além disso, o Open Finance permite o compartilhamento rápido de dados que geralmente exigiriam visitas presenciais, horas de espera em bancos, entre outras complicações. 

Apesar de ser um sistema e não uma plataforma, a iniciativa funciona como uma padronização tecnológica que permite que as instituições financeiras partilhem dados em um só lugar.

Quais são as vantagens do Open Finance para empresas?

Duas pessoas observando um notebook

O Open Finance é vantajoso tanto para pessoas físicas quanto para empresas. Isso porque, além de agilizar processos administrativos, o negócio passa a ter direitos a alguns benefícios que podem ser úteis, levando em consideração que as movimentações financeiras de uma empresa são bem maiores do que a de um único indivíduo. 

Confira a seguir quais vantagens as empresas podem ter ao aderirem ao sistema: 

Maior praticidade

Como já mencionado, o sistema possibilita o compartilhamento rápido e fácil de dados da organização. Isso torna o relacionamento entre as empresas e as instituições financeiras muito mais ágil. Afinal, unifica e partilha históricos de movimentações e informações que dão respaldo para facilitar, por exemplo, as negociações de empréstimos e as linhas de créditos. 

Facilidade em pagamentos

O Open Finance também permite que o usuário use os saldos de contas diferentes para realizar transações, como Pix, pagar boletos, etc. Essa inovação facilita e agiliza os pagamentos de uma empresa

Outro ponto importante é que o tempo de espera para aprovação de empréstimos e linhas de créditos também reduz consideravelmente, uma vez que as instituições têm acesso ao histórico de finanças da empresa. Esse fator possibilita que o negócio faça investimentos altos dentro dos prazos previstos e com menos burocracia. 

Melhor gestão financeira

Por fim, com todas as contas conectadas, além do aumento de propostas personalizadas e afins às necessidades da empresa, o negócio pode ter um controle maior sobre seus dados e gastos e escolher serviços mais alinhados com o que ele precisa. Logo, é possível melhorar a gestão financeira da empresa.

banner resolver problemas com escalas de trabalho

Quais são as desvantagens e riscos do Open Finance?

Entretanto, existem desvantagens e riscos de aderir ao Open Finance. Ainda que seja mediado por uma grande referência no cenário financeiro nacional, isto é, o Banco Central do Brasil, expor dados financeiros não deixa de ser arriscado, pois sempre haverá a possibilidade de hackeamento e vazamento de dados sigilosos. 

Outro ponto importante é que para as pessoas ainda será difícil entender o Open Finance, pois a iniciativa não é uma plataforma ou um aplicativo, mas, sim, um sistema. Além disso, para ativá-lo, é necessário ter certos domínios digitais que nem todos os consumidores têm, o que é um obstáculo. 

Ademais, o sistema ainda é pouco utilizado pelas pessoas, seja pela baixa divulgação ou pela falta de domínio digital, ainda muito presente entre pessoas de gerações anteriores aos millennials

Essa baixa adesão faz com que o desenvolvimento do sistema seja mais lento, pois a experiência de uso e os feedbacks ainda são baixos. Então, a consolidação plena do Open Finance ainda levará um tempo.

Como saber se o Open Finance é ideal para a sua empresa?

Homem utilizando um tablet

Para saber se o Open Fiance é ideal para sua empresa, primeiro você precisa entender quais são as demandas do seu negócio. 

Se a empresa precisar de investimentos altos constantemente e, portanto, houver a necessidade de limites de créditos maiores ou empréstimos, é uma opção a se considerar. Afinal, o Open Finance diminui o tempo de espera de processos, burocracias e ainda permite que as melhores opções sejam encontradas.

Outro cenário propício é se a sua empresa contar com serviços e produtos financeiros de diversas instituições e empresas diferentes, pois ele facilita, agiliza e desburocratiza processos. 

Caso contrário, adotar o Open Finance não é tão urgente, o que não significa que não seja benéfico para o negócio. Afinal, o sistema é uma boa alternativa para qualquer organização que queira ter maior controle sobre seus gastos e uma relação mais prática com as empresas que prestam seus serviços financeiros. 

Conclusão

O Open Finance é uma iniciativa gratuita do Banco Central do Brasil de desburocratizar o acesso a serviços financeiros, padronizando e unificando dados dos usuários em um único sistema e colocando o consumidor no protagonismo do que fazer com suas informações. 

Apesar do medo das pessoas de exporem seus dados, o Open Finance é um sistema seguro e confiável. 

A iniciativa busca revolucionar o sistema financeiro do país, fomentando a concorrência entre as empresas da área, fato que possibilitará avanços e melhorias para os consumidores, que podem passar a comparar serviços entre um leque maior de opções e escolher a empresa que mais se adequar a suas necessidades.  

Para pessoas físicas, as vantagens já são muitas, mas para organizações, são ainda maiores. As empresas podem usar seus históricos de movimentação anteriores para facilitar a aprovação de empréstimos, linhas de crédito e outros serviços que podem ser úteis para a saúde financeira e a evolução do negócio.

Gostou do conteúdo? Então, continue acompanhando o blog PontoTel e fique por dentro de todas as atualizações do meio empresarial.

banner como funciona o software de ponto mais completo
Compartilhe em suas redes!
Mais em Departamento Pessoal VER TUDO
INICIAR TOUR!