Descubra como funciona o pedido de demissão nas férias e veja quais são seus impactos legais
BLOG
Time Pontotel 26 de abril de 2024 Departamento Pessoal
Descubra como funciona o pedido de demissão nas férias e veja quais são seus impactos legais
Descubra se um funcionário pode pedir demissão nas férias e quais são as implicações legais desse processo para o contratante e o contratado. Saiba mais!
Imagem de Descubra como funciona o pedido de demissão nas férias e veja quais são seus impactos legais

Uma situação que pode acontecer nas empresas e costuma causar dúvidas entre gestores e colaboradores é: pode pedir demissão nas férias? 

Esta questão, aparentemente simples, traz consigo implicações legais importantes que devem ser consideradas pelos envolvidos no processo. 

Este artigo explicará se é permitido fazer o pedido de demissão durante as férias, quais as implicações legais e mais detalhes sobre o assunto. Veja os tópicos que serão abordados: 

Acompanhe o texto e tenha uma boa leitura!

Funcionário pode pedir demissão nas férias?

Um homem segurando uma caixa de papelão com uma planta nela e cpisas do trabalho

Sim, um funcionário pode pedir demissão nas férias. Conforme a legislação trabalhista brasileira, não há restrições que impeçam essa ação.

Porém, a demissão durante as férias pode afetar o recebimento de verbas rescisórias, como o aviso-prévio e as férias proporcionais, dependendo do momento em que o pedido é feito. 

Por isso, é importante que empresa e funcionários tenham compreensão sobre esses trâmites para garantir precisão e legalidade no processo. 

Como fica a situação do colaborador que deseja se desligar durante as férias?

O colaborador tem o direito de solicitar demissão a qualquer momento, sem implicação negativa jurídica para ele. No entanto, o cumprimento do aviso-prévio pode ser afetado, pois não pode ser realizado durante o período de férias. Assim, ele deve optar por cumprir o aviso ao retornar ao trabalho ou abdicar dele.

Como funciona o aviso-prévio em um pedido de demissão nas férias?

Ao retornar do período de férias, o colaborador que solicitou sua demissão deve cumprir mais 30 dias de trabalho antes de se desligar. Esse período é relevante no processo de desligamento, permitindo à empresa se adaptar e buscar um substituto adequado.

É importante destacar que o cumprimento do aviso-prévio não é obrigatório por parte do funcionário, porém, caso opte por não fazê-lo, é necessário indenizar a empresa por meio de um desconto proporcional na rescisão.

O que diz a lei sobre o pedido de demissão durante as férias?

Conforme a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), o funcionário pode pedir demissão nas férias e em qualquer momento que desejar. Os direitos permanecem os mesmos, porém, existem distinções dependendo de qual das partes solicita o desligamento.

Os processos demissionais seguem iguais para quem pede demissão durante as férias, ou seja, o profissional recebe as mesmas verbas rescisórias e, caso deseje, faz o cumprimento de aviso-prévio. Caso contrário, deve indenizar a empresa.

Veja o que diz o artigo 487 da CLT sobre o assunto:

Art. 487 Não havendo prazo estipulado, a parte que, sem justo motivo, quiser rescindir o contrato deverá avisar a outra da sua resolução com a antecedência mínima de trinta dias, salvo o disposto no § 7º.

Quais são os direitos e deveres do funcionário e da empresa?

O funcionário deve comunicar o pedido de demissão formalmente à empresa e realizar o aviso-prévio. Ao solicitar demissão durante as férias, o funcionário não terá direito a certos benefícios, como o seguro-desemprego e a multa de 40% sobre o FGTS depositado.  

Já a empresa deve acatar o pedido de demissão e realizar processos como o cálculo das verbas rescisórias, incluindo férias proporcionais, 13º salário proporcional e saldo de salário. Além disso, ela deve elaborar e assinar, junto ao empregado, o Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho (TRCT).

A empresa pode demitir durante as férias do funcionário?

Não é permitido demitir um funcionário durante suas férias. Isso acontece porque, nesse período, o contrato de trabalho é interrompido. Logo, a empresa não deve realizar comunicações formais ou fazer quaisquer pedidos ao contratado durante este período. 

Demissão durante as férias pode gerar processos trabalhistas, como indenizações por danos morais. O comunicado deve ocorrer apenas após o retorno ao trabalho do colaborador, garantindo transparência e evitando litígios legais.

Quais são as obrigações da empresa ao demitir um funcionário durante suas férias?

Se a empresa decide demitir o funcionário no período em que ele está de férias, deve realizar um planejamento para que isso ocorra logo em seu retorno. Neste caso, é preciso fazer os cálculos de pagamentos de verbas rescisórias, construir os documentos de processo demissional e preparar uma comunicação para ser feita durante seu retorno. 

Demissão durante as férias: o que precisa ser considerado?

Um homem está segurando uma caixa em um escritório

Uma demissão requisitada durante as férias pode afetar significativamente a dinâmica empresarial e o processo de desligamento em geral. É essencial considerar alguns aspectos para garantir um desligamento transparente e menos prejudicial tanto para o empregado quanto para o empregador. Confira!

Quais os impactos para o colaborador?

A demissão durante as férias pode causar uma quebra de expectativa para o colaborador, o que pode ser frustrante, especialmente devido às questões do aviso-prévio.

Geralmente, quando um colaborador solicita desligamento durante as férias, pode ser por motivos extraordinários, como uma nova oportunidade de emprego ou problemas pessoais urgentes.

Nesses casos, o profissional pode desejar uma demissão imediata, mas, se realizada, isso resulta na perda de parte de suas verbas rescisórias devido à necessidade de indenizar a empresa pelo não cumprimento do aviso-prévio.

Quais as implicações para a empresa?

Ao planejar demitir um funcionário durante suas férias, a empresa precisa considerar as implicações legais que essa ação acarreta. 

Durante as férias, o empregado não pode ser chamado para realizar qualquer tipo de trabalho, sendo garantido o descanso ininterrupto. Caso o empregador descumpra essa regra e perturbe o funcionário durante suas férias, ele pode estar sujeito a sanções legais e pagamento de indenizações ao trabalhador.

Conclusão

Portanto, a partir deste texto, ficou evidente como o período de férias pode suscitar dúvidas sobre o que é permitido realizar com os funcionários.

No entanto, foi possível perceber que o direito ao descanso ininterrupto é fundamental para garantir um ambiente de trabalho saudável e que as empresas precisam acatar os pedidos de demissão quando os funcionários desejarem.

Uma relação transparente e respeitosa com os funcionários é essencial para o sucesso da empresa e a construção de cultura empresarial positiva.

Gostou do conteúdo? Se sim, compartilhe o texto com seus colegas de trabalho e continue acompanhando o blog Pontotel para se manter atualizado com as tendências do setor corporativo! 

Compartilhe em suas redes!
Mais em Departamento Pessoal VER TUDO
INICIAR TOUR!