Carta de reembolso: saiba como orientar os colaboradores para a elaboração do documento
BLOG
Time Pontotel 10 de novembro de 2023 Departamento Pessoal
Carta de reembolso: saiba como orientar os colaboradores para a elaboração do documento
A carta de reembolso deve ser bem preenchida para garantir o ressarcimento dos colaboradores da empresa sobre gastos corporativos.
Imagem de Carta de reembolso: saiba como orientar os colaboradores para a elaboração do documento

A carta de reembolso é utilizada para garantir a transparência e a prestação de contas no ambiente corporativo. Por meio dela, as empresas podem monitorar os gastos realizados por seus colaboradores, assegurando que as despesas estejam alinhadas com as políticas internas e sejam devidamente autorizadas pelos setores competentes.

A má elaboração desse documento ou o uso de cartas de reembolso improvisadas podem gerar consequências graves. Nesses casos, erros ou discrepâncias nas informações fornecidas pelos colaboradores sobre os gastos com atividades profissionais podem se tornar frequentes, o que afeta o equilíbrio orçamentário da empresa.

Para evitar esses e outros problemas, este artigo vai explicar em mais detalhes como criar uma carta de reembolso e como orientar os colaboradores a preenchê-la. A seguir, confira um resumo do artigo:

Continue e aprenda como orientar sua equipe a usar a carta de reembolso!

O que é uma carta de reembolso?

Mulher utilizando uma calculadora

A carta de reembolso é um documento padronizado para solicitar o reembolso de despesas realizadas por colaboradores em nome da empresa. As despesas reembolsadas podem incluir viagens a trabalho, aquisição de materiais ou qualquer gasto autorizado, desde que tenha sido realizado dentro das diretrizes da organização.

Muitas vezes, a carta de reembolso é usada para solicitar a restituição de um valor excedente, quando os gastos incorridos pelos profissionais em nome da empresa ultrapassam o valor previsto inicialmente.

Por exemplo, pode ser necessário que o colaborador busque atendimento médico em instituições ou profissionais que não fazem parte da sua rede conveniada. Dependendo da situação, ele tem a opção de pagar diretamente pelas despesas médicas e redigir uma carta de solicitação de reembolso sobre os gastos fora do plano de saúde.

Uma vez preenchida, a carta de reembolso é submetida à aprovação interna da empresa nos canais apropriados, como o setor financeiro ou o departamento pessoal (DP). O responsável pelo processo analisa a solicitação e verifica a adequação das despesas às políticas internas da empresa e a conformidade dos comprovantes apresentados.

Depois de aprovada a solicitação, a empresa realiza o pagamento do valor devido ao colaborador, reembolsando-o pelas despesas incorridas.

Quando surgiu a carta de reembolso?

A carta de reembolso, como um documento formal, não possui uma data específica de origem. Suas várias mudanças ocorreram ao longo do tempo, em resposta à necessidade das empresas de estabelecer um processo claro e organizado para lidar com os gastos incorridos pelos colaboradores.

Antes da popularização da tecnologia digital, a comunicação empresarial ocorria principalmente por meio de documentos físicos, como cartas impressas, memorandos e formulários físicos. Nesse contexto, é possível que as cartas de reembolso tenham sido utilizadas em algum formato mais simples há muitas décadas.

Com o avanço da tecnologia, as cartas de reembolso foram gradativamente adaptadas e integradas a sistemas de gestão de despesas eletrônicos, tornando-se mais eficientes. Hoje em dia, é comum utilizar softwares e aplicativos especializados para gerenciar esse tipo de processo, tornando o fluxo de reembolso mais rápido e seguro.

O que deve conter numa carta de reembolso?

Para criar uma carta de reembolso, é preciso que a empresa solicite no documento as informações pertinentes à despesa, como data, descrição do gasto, valor, categoria e, quando aplicável, anexos com comprovantes (notas fiscais ou recibos, por exemplo).

O documento também pode solicitar informações sobre a pessoa que realizou a despesa, como nome, CPF, departamento, cargo e dados da conta bancária na qual o reembolso deverá ser depositado. 

Modelo de carta para pedido de reembolso

Um modelo padrão e editável da carta de reembolso pode facilitar tanto o preenchimento do documento quanto o controle interno das solicitações. Esse formulário pode ser disponibilizado em formato digital e impresso pela empresa.

A fim de facilitar e agilizar o processo de reembolso de despesas corporativas, confira a seguir um modelo de carta de reembolso que pode ser utilizado pelas empresas para formalizar suas solicitações de reembolso:

“__________ [Local], _____ [Dia] de ______ [Mês] de ______ [Ano]

Ao/À Sr./Sra. _______________________ [Nome e cargo do(a) responsável]

Eu, ________________________________________________ [Nome completo],

__________ [Nacionalidade], ______________ [Estado Civil], portador(a) do CPF ___________________ [Número do CPF] e do RG _______________ [Número do RG],

domiciliado(a) no endereço ______________________________________________________ [Endereço completo],

na qualidade de _______________________ [Cargo], venho por meio desta carta solicitar o reembolso no valor de R$ ______________ [Valor em Reais], referente aos gastos com _________________________ [Produtos ou serviços] entre ___/____/___ [Data] e ___/____/___ [Data],

com o propósito de ___________________________________________ [Motivo do reembolso], conforme detalhado e documentado abaixo.

Detalhes das despesas:

  • Data: [Data da despesa];
  • Descrição: [Descrição da despesa];
  • Valor: R$ [Valor da despesa].

[REPITA ESSA SEÇÃO PARA CADA DESPESA REALIZADA, SE APLICÁVEL]

Total das despesas: R$ [Valor total das despesas]

Anexo os comprovantes de cada despesa para análise e aprovação.

Aguardo pacientemente uma resposta em relação a essa solicitação.

Atenciosamente,

_______________________

Assinatura”

É importante ressaltar que as empresas têm particularidades e, por esse motivo, recomenda-se que a carta de reembolso seja personalizada de acordo com as diretrizes e políticas internas específicas de cada organização.

Como orientar os funcionários para elaborar uma carta de reembolso?

Mão segurando uma caneta

Cada sistema de reembolso exige práticas padronizadas para garantir uma experiência positiva aos colaboradores. Por isso, é fundamental que a empresa oriente sua equipe sobre como elaborar e enviar corretamente a carta de reembolso. A seguir, confira algumas etapas desse processo.

Fornecer diretrizes claras

É essencial instruir os colaboradores a preencher informações detalhadas sobre cada transação e evitar informações abrangentes, a fim de acelerar o processo de reembolso. Por exemplo, em vez de escrever “Almoço”, é mais apropriado que o colaborador registre algo como “Almoço com cliente no Restaurante XYZ no dia 10 de setembro de 20XX”.

Outra diretriz importante é a solicitação para que os colaboradores anexem todos os comprovantes fiscais ou recibos de pagamento relacionados a cada despesa. Os comprovantes são fundamentais para validar a autenticidade das transações e para que a empresa esteja em conformidade com a legislação fiscal.

Também é necessário esclarecer o modo de envio. Para cartas de reembolso em formato digital, a empresa pode recebê-las via e-mail do departamento pessoal, por exemplo.

Estabelecer políticas e procedimentos

É importante especificar os tipos de despesas elegíveis para reembolso, evitando solicitações inadequadas ou despesas não autorizadas. Algumas empresas podem não reembolsar despesas consideradas extravagantes, como custos com entretenimento, enquanto outras têm políticas específicas para despesas relacionadas a viagens de negócios.

Da mesma forma, vale a pena definir limites de valores para cada reembolso e evitar gastos excessivos. É possível estipular que o limite de reembolso para alimentação, por exemplo, seja de R$ 50,00 por dia.

Por fim, também cabe à empresa definir um prazo razoável para a submissão das cartas de reembolso. A gestão pode estipular que as cartas de reembolso devem ser entregues no máximo em até 30 dias após a realização das despesas, por exemplo.

Comunicar essas políticas para os colaboradores

A empresa pode adotar várias estratégias para garantir que todos os colaboradores estejam cientes de normas e procedimentos relacionados ao reembolso de despesas.

Logo no processo de admissão de novos colaboradores, os gerentes de RH devem incluir uma seção sobre as políticas de reembolso de despesas no material de integração. Nessa etapa, é importante explicar de forma clara as principais diretrizes para solicitar o reembolso, os documentos necessários e o prazo para entrega da carta.

As políticas de reembolso também podem estar disponíveis em seções específicas das plataformas internas dos colaboradores, como intranet ou portal do colaborador. Essa abordagem garante que eles possam acessar as informações sempre que precisarem.

A organização ainda pode enviar comunicados escritos por e-mail, informando sobre as políticas de reembolso e ressaltando sua importância. Nesse caso, é necessário destacar os pontos-chave das normas e diretrizes a serem seguidas.

Qual o papel do RH/DP no processo da carta de reembolso?

O recursos humanos (RH) e o departamento pessoal (DP) desempenham papéis essenciais em diversas áreas dentro das empresas, incluindo na gestão das cartas de reembolso.

O RH, como um dos pilares fundamentais da gestão de pessoas, tem a incumbência de garantir que os colaboradores estejam cientes de políticas e procedimentos relacionados ao reembolso de despesas desde o momento da contratação. 

Durante a integração de colaboradores, os profissionais de RH contextualizam os contratados sobre a importância da carta de reembolso, com orientações detalhadas sobre como preenchê-la corretamente e quais são os prazos a serem seguidos.

Já o departamento pessoal, com sua expertise em questões trabalhistas e financeiras, tem a tarefa de receber, analisar e processar as cartas de reembolso enviadas pelos colaboradores. Essa equipe é responsável por verificar minuciosamente cada solicitação, assegurando que os gastos estejam em conformidade com as políticas da empresa.

O DP também verifica a autenticidade dos comprovantes apresentados e a precisão das informações prestadas, evitando erros ou inconsistências que possam atrasar o reembolso ou causar problemas futuros.

Conclusão

Ao longo deste artigo, foram explorados o funcionamento da carta de reembolso e a importância de orientar os colaboradores a preencher o documento e enviá-lo para a empresa. 

Fica evidente que a elaboração e gestão da carta de reembolso vai muito além de um simples processo burocrático e demanda a articulação de diferentes setores da empresa, como o setor financeiro, o RH e o DP.

O investimento no esclarecimento das políticas, na disponibilidade para tirar dúvidas e na parceria entre RH e DP é o que resultará em um sistema de reembolso alinhado aos princípios da transparência e valorização dos colaboradores.

Quer saber mais novidades e dicas sobre gestão corporativa e ferramentas para a rotina de trabalho? Então, acompanhe os posts mais recentes do blog Pontotel.

próximos passos para realizar o controle de ponto com a pontotel
Compartilhe em suas redes!
Mais em Departamento Pessoal VER TUDO
INICIAR TOUR!