Liderança democrática: veja como funciona, quais as vantagens e desvantagens e as principais características!

imagem de quatro pessoas sentadas em volta de uma mesa olhando para um notebook e conversando

Quais são os gestores de quem você guarda as melhores lembranças? Aqueles que exerciam uma liderança próxima dos funcionários, colaborativa e que permitia a tomada de ideias em conjunto? Certamente, o profissional que mais se aproximou desse perfil é aquele que esteve mais perto de aplicar uma liderança democrática em sua empresa.

Esse modelo de gestão é cada vez mais difundido e se difere dos perfis centralizadores, muito comuns no ambiente corporativo. A propagação da liderança democrática está atrelada aos diversos benefícios que ela proporciona tanto para a empresa quanto para seus colaboradores.

Se você quer saber mais sobre como exercer a liderança democrática e aplicar essas técnicas no dia a dia de sua empresa, você está no artigo certo. Veja os principais assuntos:

Boa leitura!

banner descubra a taxa de absenteismo

O que é liderança democrática?

A liderança democrática é caracterizada pelo modo de liderar, no qual o gestor envolve seus colaboradores em quase todos os planos, discussões e procedimentos da empresa ou setor. Nela, as responsabilidades são distribuídas por todos os membros da equipe, que participam da tomada de decisões junto com o líder.

Uma ótima maneira de entender o conceito de liderança democrática é traduzindo a estrutura da palavra. No caso, democracia é formada por demos (que significa povo) + kratos (que significa poder). 

Dessa maneira, podemos compreender que um sistema democrático proporciona a seu povo o poder de influenciar decisões e se posicionar em prol de uma sociedade ou contexto que atenda às necessidades de todos. 

Para muitos, a liderança democrática é vista como o melhor modelo de gestão em ambientes corporativos. Estudos mostram que uma liderança ruim é a principal causa para a infelicidade de mais de 40% dos colaboradores no trabalho

Além disso, a pesquisa também apontou que a falta de reconhecimento pelo desempenho também impacta fortemente na sensação de satisfação e felicidade dos funcionários, com 37% das respostas. 

Porém, como qualquer tomada de decisão em um ambiente corporativo, a liderança democrática tem seus prós e contras. Confira:

Vantagens

  • Liderados ficam mais satisfeitos;
  • As decisões são mais assertivas;
  • A confiança e identificação aumentam;
  • Há mais criatividade e inovação entre os membros da equipe;
  • Liderados aumentam seu comprometimento e proatividade;
  • Maior abertura para compartilhar conhecimento;
  • Ocorre o compartilhamento de uma visão de futuro.

Desvantagens

  • Há uma perda na velocidade em que as decisões são tomadas;
  • Algumas decisões são tomadas com pouco embasamento;
  • Nem sempre a melhor ideia acaba vencendo;
  • Parte dos subordinados se sente desconfortável com algumas situações.

Como funciona a liderança democrática nas empresas?

imagem de 5 pessoas diferentes em volta de uma mesa, duas sentadas e três em pé conversando

O estilo de liderança democrática envolve sempre a tomada de decisão participativa, permitindo que os colaboradores se envolvam no gerenciamento das organizações.

A liderança democrática tornou-se popular nas últimas décadas, mas tem seu início entre os anos 1930 e 1940. Foi quando o pesquisador comportamental Kurt Lewin conduziu estudos que ajudaram a identificar o valor do estilo de liderança democrática nas organizações.

Em um de seus livros, ele cita a liderança democrática, o laissez-faire e o autocrático como os três principais estilos de liderança. Com base em entrevistas com líderes empresariais e colaboradores, Lewin concluiu que o estilo de liderança democrática era o mais popular entre os subordinados.

Para aplicar a liderança democrática, o gestor precisa saber compartilhar as tarefas com os colaboradores, bem como ouví-los. Por outro lado, os membros da equipe também devem ser capacitados e treinados de modo que possam contribuir de maneira adequada para o bom andamento do trabalho.

Embora pareça um modelo de liderança “perfeito”, é preciso ter atenção ao colocar a liderança democrática em prática. Isso porque, uma gestão essencialmente focada na construção coletiva, se não for muito bem conduzida, pode se converter em um ambiente de estagnação, em que “muito se fala, mas pouco se faz”. 

Pensando nisso, o uso do estilo de liderança democrática funciona melhor em equipes pouco mais experientes, habituadas a resolver problemas de forma autônoma e a construir soluções coletivas de forma pragmática. 

Entretanto, levando estes pontos em consideração, podemos dizer, também, que o líder democrático tende a se dar bem em praticamente todas as esferas de uma empresa, e em organizações com os mais diferentes valores e missões

Em tempos de pandemia e de adaptações no mundo corporativo, outra vantagem da liderança democrática é que ela é flexível a diferentes modelos de trabalho. O teletrabalho, por exemplo, representa um desafio a diversos tipos de líderes que necessitam de rígido controle sobre a atuação de sua equipe. 

Já para o líder democrático, quem tem sua equipe como sinônimo de parceria, a distância não é um problema. Ferramentas colaborativas e de comunicação online permitem que o processo de cocriação de soluções e acompanhamento de resultados opere normalmente mesmo em uma equipe virtual.  

Como é o perfil do líder democrático?

imagem de diversas pessoas uma apoiando a mão na outra e uma mulher de fundo traçando o perfil do líder democrático

Assim como o próprio nome já diz, um líder democrático atua com democracia no ambiente corporativo, inserindo os colaboradores nas decisões da empresa, fazendo uma parceria com seus funcionários e dividindo as tarefas e responsabilidades. Ele é semelhante a um líder colaborativo, e tende a ter uma visão mais positiva do seu local de trabalho, retirando dele tudo que há de melhor.

Dentro da empresa, o líder democrático costuma se colocar como orientador do grupo, apresentando um perfil de liderança que trabalha em equipe. A principal característica desse tipo de profissional é a sua grande capacidade de administração participativa, partilhando as decisões e sempre apoiando o trabalho colaborativo.

Uma das principais vantagens de contar com líderes democráticos é que eles favorecem a relação com os colaboradores e a produtividade. Isso porque, fazer com que os profissionais participem dos processos de decisão é um grande incentivo para todos que se sentem parte importante do grupo. Trabalhar sob sua direção, portanto, geralmente é prazeroso e muito produtivo.

Ao referenciar a liderança democrática, um dos principais nomes é do empresário Steve Jobs, que foi um grande líder democrático e inspirador. Ele trabalhou na Apple e transformou a companhia em uma empresa bilionária em poucos anos. Mesmo agora, depois de sua morte, Steve Jobs é aclamado pelos funcionários da empresa, bem como por pessoas de todo o mundo.

Como implementar a liderança democrática na empresa?

imagem de duas mulheres sentadas escrevendo em um papel sob uma mesa, um homem em pé apontando para o papel e outro homem sentado escrevendo

Quando as situações do ambiente de trabalho mudam com frequência, a liderança democrática é uma ótima saída para ter a flexibilidade necessária para se adaptar às melhores maneiras de realizar as tarefas.

Ao aplicar a liderança democrática, é importante que o líder saiba atuar sem superioridade nem arrogância, devendo mostrar-se interessado e acessível à equipe de trabalho, cooperando e participando do desenvolvimento.

Encorajar a participação através do exemplo é um bom método de atingir isto. Em vez de centralizar todas as decisões, o líder deve delegar tarefas para poder usufruir de todo o potencial de cada um dos seus comandados.

Com exercícios de estimulação e delegando tarefas desafiadoras – segundo o nível de cada colaborador – você pode descobrir as aptidões de cada um dos trabalhadores em sua equipe.

Depois de entender o conceito da liderança democrática, que tal implantá-la na rotina de sua empresa? Confira as principais dicas: 

Estude o organograma da empresa e as funções de cada colaborador

Quanto mais informações você tiver sobre os seus colaboradores, mais facilidade terá para liderá-los. Por isso, o primeiro passo é estudar o organograma da empresa e as funções de cada membro da equipe.

Dessa forma, você saberá se os funcionários estão desenvolvendo atividades que realmente são da sua competência, e para quem pode delegar as tarefas que estão lhe sobrecarregando.

Invista em programas de treinamento

Na sequência, é necessário desenvolver os conceitos democráticos nos líderes das equipes que compõem a organização. Para tanto, o ideal é investir em programas de treinamento que desenvolvam as habilidades necessárias para essa modalidade de liderança.

Faça reuniões com o seu time

Por último, é imprescindível fazer reuniões com o seu time para orientá-los sobre como eles podem contribuir de maneira efetiva com as decisões da empresa. Com isso, eles ficam cientes de que têm espaço para colaborar mais com os processos internos.

Conclusão 

Quem mais ficou encantando com o modelo de liderança democrática? Chegamos ao fim desse texto e, sem dúvida, o conteúdo foi esclarecedor para sanar as mais diversas dúvidas sobre o tipo de gestão que vem sendo apontado como o melhor e mais eficiente.

Ao longo deste conteúdo, entendemos como funciona a liderança democrática, qual o perfil do líder que se adequa a este novo formato, além de conhecer as ferramentas necessárias para aplicar a gestão na sua empresa.

Para uma liderança democrática e flexível, soluções como o software PontoTel podem agregar diversas vantagens na rotina de gerenciamento de colaboradores, ainda mais no caso do controle de jornada.

Ficou curioso para saber como o software funciona na prática? Não esqueça de preencher o formulário abaixo e agendar  uma demonstração gratuita!

Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima