Quais São as Melhores Formas de Controle de Jornada de Trabalho

controle de jornada introducao - Quais São as Melhores Formas de Controle de Jornada de Trabalho

Você já ouviu pessoas falando que controle de jornada de trabalho é besteira, ou pura perda de tempo?

Assim como você, eu já ouvi muitas pessoas dizendo isso. E o que é ainda pior, já observei muitas empresas que acabaram caindo nessa falácia e cometendo o grave erro que é não gerenciar a jornada de trabalho dos seus funcionários.

O problema desse erro é que ele não é óbvio. Muitas organizações só percebem ele quando recebem a multa do ministério do trabalho ou quando algo ainda pior acontece, quando enfrentam processos judiciais.

Eu sei o que você está pensando … Isso parece exagero, acertei?

Mas agora vai a confirmação do que eu disse, só em 2018 o Tribunal superior do trabalho registrou 32.476 processos referente a horas extras.

E se você observar bem, metade deles poderiam ter sido evitados se as empresas tivessem controlado a jornada de trabalho dos seus colaboradores.

Mas, se você é uma das empresas que está buscando corrigir esses erros a gerenciar a jornada de trabalho dos seus funcionários está no lugar certo.

Eu vou te mostrar porque é importante fazer esse gerenciamento e quais são as melhores formas de controlar as jornadas.

Antes de começarmos que tal dar uma olhada no conteúdos que vamos abordar nesse artigo?

  • O que é controle de jornada?
  • O que a CLT diz sobre o controle de jornada de trabalho
  • Quais são as principais formas de controle de jornada de trabalho
  • Exemplos de como é feito o controle de jornada
  • O Segredo Para Fazer Controle de Jornada de Trabalho Dentro da Lei

Agora que você já sabe sobre o que vamos falar, quero começar te explicando o que é o controle de jornada

O que é controle de jornada?

Antes de falarmos sobre controle de jornada que tal explicarmos o que é a jornada de trabalho.

A jornada de trabalho condiz com  o tempo que o funcionário fica à disposição do empregador, realizando suas atividades ou aguardando seu chamado.

De acordo com a Consolidação de Leis do Trabalho (CLT), a jornada de trabalho possui o limite de 44 horas semanais ou 220 horas mensais.

Dessa forma as empresas podem adotar diversos tipos de escala de trabalho com horários diferentes desde que não ultrapasse o limite das 44 horas semanais. Ou seja a empresa pode adotar jornadas de 8 ou até de seis horas diárias.

Todavia as horas que ultrapassem esse limite, antes ou depois do expediente, bem como os finais de semana e feriados são considerados horas extras. E devem ser pagas em folha de pagamento ou inseridas no banco de horas.

Para manter uma relação justa e transparente, a lei determinou algumas regras para esse vinculo empregatício, e entre elas está o controle da jornada de trabalho.

Agora sim vou te explicar o que é esse tal controle de jornada.

O modelo de trabalho que conhecemos hoje, onde o funcionário tem um horário para chegar e sair da empresa, com sistemas que controlam de horas extras, adicionais noturnos não é tão atual quanto parece.

Essa prática iniciou lá em 1930, quando as empresas começaram a computar o momento exato em que o colaborador entrava e saída do seu local de trabalho. Com o passar do tempo essa prática ficou conhecida como controle de ponto.

Mas o que isso tem a haver com controle de jornada?

Tenho que te dizer que tem tudo haver. O controle da jornada nada mais é que a utilização de um sistema de controle de ponto que marca os horários de trabalho realizado pelo funcionário durante o mês.

Essa marcação inclui a quantidade de horas trabalhadas por dia e a quantidade de horas extras realizadas antes ou depois do expediente.

Agora vamos ver algumas determinações da lei sobre o controle da jornada de trabalho.

O que a CLT diz sobre o controle de jornada de trabalho

controle de jornada o que diz a lei - Quais São as Melhores Formas de Controle de Jornada de Trabalho

É muito comum as pessoas se referirem ao controle de ponto como controle de jornada de trabalho.

Afinal, um sistema de controle de ponto capta as marcações dos funcionários para que haja o gerenciamento da jornada de trabalho.  

Mas a lei determina regras para o gerenciamento da jornada de trabalho, ou seja, normas específicas para o controle de ponto.

O artigo 74 da CLT determina que:

“Estabelecimentos com mais de 10 funcionários são obrigados a fazer a anotação da hora de entrada e de saída, em registro manual, mecânico ou eletrônico, conforme instruções a serem expedidas pelo Ministério do Trabalho, devendo haver pré-assinalação do período de repouso.”

Antes de prosseguirmos quero que se atente ao fato de que a lei menciona “estabelecimentos”, ou seja, se um empreendedor tiver várias lojas, mas em nenhuma delas tiver 10 ou mais funcionários, ele não se enquadra na lei.

Vale lembrar que essa lei é de 1943, ou seja, muito antiga, e de lá pra cá, já surgiram duas novas portarias para regulamentar melhor as regras do controle de jornada. Confira mais detalhes dessas portarias.  

Em 2009, o Ministério do Trabalho publicou a Portaria 1.510, que regulamenta o uso do sistema eletrônico para controle de ponto.

Entre as determinações estão a proibição de restrições à marcação, lançamentos automáticos e alterações dos dados registrados e a obrigatoriedade da impressão do comprovante de marcação para o funcionário.

Mas com os avanços tecnológicos e os novos modelos de trabalho, o governo notou que era necessaŕio criar regras para a adoção de sistemas de controle de ponto mais modernos.

Assim em 2011, entrou em vigor a Portaria 373 do Ministério do Trabalho que oferece ao empregador a opção de utilizar sistemas de controle de ponto alternativos desde que cumpra com as determinações estabelecidas pela lei.

Vale ressaltar que a portaria 373 não invalida a portaria anterior, ela apenas complementa as determinações da lei.

Diferente por exemplo da reforma trabalhista que entrou em vigor em 2017, que alterou alguns pontos da lei.

Por falar em reforma será que houve alguma mudança referente ao controle de jornada?

A reforma trabalhista alterou o controle de jornada

Eu sei que a reforma trabalhista trouxe uma série de dúvidas tanto pelas empresas quanto para os funcionários. Afinal, foram mais de 100 pontos modificados pela nova lei.

Mas o importante é você saber que a reforma não alterou nenhum ponto das leis sobre controle de ponto, logo isso inclui também a jornada de trabalho.

Mas se você quiser saber todas as alterações da reforma trabalhista temos um artigo detalhado sobre as mudanças. Se atualize no link acima.

Agora que vimos as determinações da lei, vou avançar e te mostrar os principais modelos de controle de jornada.

Quais são as principais formas de controle de jornada de trabalho

controle de jornada tipos de controle

Como vimos mais acima ao longo das últimas décadas surgiram diversos tipos e modelos de controle de jornada.

Agora você deve estar se perguntando como escolher o sistema ideal para sua empresa?

Eu te entendo, com a vasta opção fica difícil saber qual se adequar melhor a sua realidade.

Mas me acompanhe que logo abaixo vou explicar os 3 tipos de sistemas, vou exemplificá-los e por último, mas não menos importante vou te dar uma dica que como escolher o sistema ideal para sua empresa.

Controle de ponto manual

O controle de ponto manual é mais antigo e também mais utilizado pelas micro e pequenas empresas, por conta da sua acessibilidade e preço. Mas isso não quer dizer que seja o sistema mais fácil e seguro.

Na prática é bastante comum esse controle de ponto ser utilizado de duas formas, por meio de planilhas ou folha de ponto. Veja a seguir como funciona.

Livro de ponto

A folha de ponto trata-se de um caderno disponibilizado pelo empregador, onde o funcionário anotará os horários de trabalho realizados, ou seja, entrada, saída e pausa para almoço.

Quando é chegado o final do mês a equipe de recursos humanos recolhe este livro para enviar as informações manualmente para o sistema de folha de pagamento.

Como eu disse essa opção é fácil de preenchimento, mas nada segura, uma vez que é passível de erros operacionais, rasuras, fraudes entre outras coisas que podem acarretar problemas para as empresa.

Planilha de controle de ponto

Já as planilhas de controle de ponto, são comuns utilizadas em empresas que possuem gestores para realizar o controle da jornada de trabalho de sua equipe.

Ou seja, nesse tipo de controle de jornada o gestor fica responsável por fazer as anotações dos horários realizados pelos colaboradores.

Existem empresas ainda que utilizam o sistema de controle de ponto por planilha de forma individual, ou seja, cada colaborador tem sua planilha de anotar suas informações, no final do mês esse documento é enviado a equipe de recursos humanos.

Apesar de ser um pouco mais prática que os livros de ponto, as planilhas de controle de ponto, ainda se mostram um meio inseguro para realizar o controle das jornadas de trabalho.

Controle de ponto mecânico

Controle de ponto mecânico ou relógio cartográfico é o sistema de controle de ponto que deu origem a expressão “bater ponto”.

Nesse tipo de controle de ponto é utilizado um sistema de controle mecânico que registra a hora exata em que o funcionário registrou seu início, pausa ou fim de expediente.

A marcação é realizada por meio de uma ficha de papel conhecida como cartão de ponto, onde o funcionário insere essa ficha no relógio perfura o cartão ou pode transcrever, carimbar ou imprimir o horário, registrando o início, pausa para o almoço e fim do expediente.

Apesar de um pouquinho mais moderno, esse sistema hoje se tornou ultrapassado, uma vez que causa muita burocracia para as equipes de recursos humanos.

Dentre os desafios de escolher o controle de ponto mecânico como ferramenta para o registro de ponto, temos o grande volume de informações a serem organizadas dentro de um prazo limitado para as equipes de RH fecharem a folha.

Controle de ponto eletrônico

O sistema de registro de ponto eletrônico ou “REP” é um pouquinho mais complexo que os anteriores. Nesse método existem 2 formas diferentes para os funcionários registrarem o ponto.

A primeira é pela leitura da biometria, onde o funcionário conseguirá bater o ponto e registrar os horários de sua jornada por meio da impressão digital.

A segunda é via cartão de ponto, ou o famoso crachá de acesso, onde o colaborador também conseguirá utilizar para registrar os horários da jornada de de trabalho.

Essas são duas formas extremamente seguras de registrar o ponto dos funcionários, uma vez que impossibilita fraudes e garante que veracidade das informações.

Apesar disso, os sistemas de registro de ponto eletrônicos tendem a ter um alto custo para empresas. Além de serem mais caros, eles necessitam de constantes manutenção e gastos com bobinas de papel.

Sistema de ponto alternativo

controle de jornada app

O controle de ponto alternativo ou online são os sistemas mais modernos e completos que o mercado de gestão de pessoas possui.

O mais curioso é que esse tipo de sistema veio justamente suprir uma demanda que os outros tipos de ponto eletrônico não conseguiam suprir.

O ponto mais vantajoso desses sistemas é que as empresas conseguem gerenciar a jornada de trabalho dos colaboradores online por meio de aplicativos ou computadores.

Veja na prática como funciona.

App

Os aplicativos ou App para controle de ponto, fazem parte do sistema de controle de ponto alternativo, essa é uma das formas que funcionário tem de registrar seu ponto.

E por meio dela o empregador pode gerenciar pelo sistema os pontos batidos. Essa é uma das formas mais “livres” de marcação de ponto, já que o funcionário pode bater o ponto de qualquer lugar e não precisa de um lugar fixo, e se você pensa que não é seguro se enganou.

Aplicativos como os do PontoTel são muito inteligentes, eles possuem localização e reconhecimento facial, assim fica impossível que um funcionário bata ponto por outro ou bata ponto em um local não combinado burlando as regras da empresa.

Web Ponto

O web ponto é uma outra parte parte do sistema alternativo, esse permite que o funcionário registre o ponto pelo computador.

Você também deve pensar que ele não é seguro, porém, cada funcionário tem sua própria senha para registro de ponto e a empresa pode escolher ceder acesso somente nos computadores do próprio local de trabalho.

Dessa forma não terá ocorrências do tipo um funcionário bater ponto em qualquer outro lugar.

Pronto agora que eu te expliquei como funcionam os tipos de controle de ponto, vou te dar aquela dica para escolher o sistema ideal para sua empresa.

Para escolher o sistema ideal para você vale levar em consideração uma série de fatores, mas os 2 principais são:

  • O número de funcionários que sua empresa possui
  • Quais são os objetivos de se implantar o sistema de controle de ponto.

Porque esses são os principais? Bem, eles afetam diretamente no tipo de produto que você está procurando. Vou te dar um exemplo prático.

Imagina que você possui uma empresa de 50 colaboradores, e quer implantar um sistema de controle de ponto manual.

Mas seu objetivo não é apenas fazer as anotações, mas otimizar as rotinas da sua empresa, ou seja, controlar melhorar as horas extras, verificar quem chega atrasado, administrar o absenteísmo.

Agora será que com um sistema de controle manual da para fazer tudo isso?

Infelizmente vou te dizer que não, pois para obter tais informações é necessário que o seu sistema seja inteligente, e possua capacidade de lhe entregar relatórios completos com todas essas informações.

Vale lembrar que te dará ainda mais trabalho passar todas essas informações para o sistema de folha de pagamento, logo você pode ter economizado no sistema mas terá muito trabalho operacional.

Já que estamos trabalhando com exemplos, que tal vermos te mostrar alguns sobre como é feita a jornada de trabalho na prática.

Exemplos de como é feito o controle de jornada

Bom, eu poderia te dar um exemplo fácil de controle de jornada dentro de uma empresa em que funcionários tem uma jornada comum de 8 horas 5 dias na semana, mas para complicar um pouquinho vou citar alguns controles não convencionais.

Todos os exemplos que eu vou te dar agora tem uma coisa em comum, são profissões mais voláteis. Mas não é por isso que devem ser deixadas de lado na hora de falar sobre controle de jornada.

Vamos ver os exemplos.

1. Controle da jornada de trabalho do motorista

controle de jornada trabalhador extreno

Você sabia que existe uma lei que regulamenta o controle de jornada dos motoristas?

SIm, isso mesmo essa lei existe.

Em 2015 o Governo Federal criou a lei 13.103 que regulamenta e determina regras para o controle de jornada dos motoristas.

Essa lei institui que é obrigatório controlar a jornada de trabalho, e ao tempo de direção do motorista profissional. Ou seja, o tempo à disposição do empregado, incluindo o período que ele passa dirigindo.

Vale ressaltar que a lei não modificou os limites estabelecidos pela CLT da jornada de trabalho, ou seja, ainda fica valendo as 8 horas diárias, 44 semanais ou 220 mensais.

Ainda com relação à duração da jornada de trabalho, é preciso considerar:

  • Intervalo mínimo de 1 hora para refeição, podendo coincidir com o tempo de parada obrigatória (esse intervalo mínimo corresponde ao intervalo intrajornada);
  • Intervalo interjornada, ou seja, repouso diário obrigatório de 11 horas a cada 24 horas, com o veículo estacionado, sendo permitidos o fracionamento e a coincidência com o tempo de parada obrigatória (mínimo de 8 horas ininterruptas no primeiro período e usufruto do restante dentro das 16 horas seguintes ao fim do primeiro período);
  • Nas viagens de longa distância com duração superior a 7 (sete) dias, o repouso semanal será de 24 (vinte e quatro) horas por semana ou fração trabalhada, sem prejuízo do intervalo de repouso diário de 11 (onze) horas, totalizando 35 (trinta e cinco) horas, usufruído no retorno do motorista à base (matriz ou filial) ou ao seu domicílio, salvo se a empresa oferecer condições adequadas para o efetivo gozo do referido repouso.

2. Controle de jornada de trabalho externo

O controle de jornada dos funcionários que trabalham externo sempre foi um tema que causou grandes problemas para as empresas.

Mas antes de falarmos sobre como controlar a jornada desses funcionários vamos esclarecer primeiro o que é trabalho externo.

O trabalho externo é aquele cuja atividade não se inicia nem termina nas dependências da empresa. Um exemplo típico desse caso é o vendedor viajante, entregadores, auxiliares de obras e motoboys, dentre outros.

Agora sim podemos voltar a falar da lei.

O artigo 62 da CLT, orienta que na gestão de colaboradores que exercem atividade incompatível com a fixação de horário de trabalho. Essa condição deve estar descrita na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e no registro de empregados.

Entretanto ao não controlar a jornada de trabalho desses colaboradores as empresas ficarão expostas e passíveis a futuras ações trabalhistas.

Dessa forma mesmo que o colaborador não esteja na empresa, é preciso adotar alguma maneira de controlar sua jornada certo?

3. Controle de jornada de empregada doméstica

Assim como no caso dos motoristas em 2015 o Governo Federal criou uma lei complementar 150/2015, que rege o empregador doméstico. Uma das regras criadas pela nova lei é a obrigatoriedade do controle de ponto do empregador doméstico.

A lei especifica que o empregador poderá escolher entre sistemas de controle de ponto: mecânico, manual ou eletrônico, para gerenciar a jornada de trabalho dos seus colaboradores.

Entretanto vale ressaltar que diferente da CLT, o empregador não necessariamente precisará ter 10 funcionários. Nesse caso ao contratar apenas 1 empregada doméstica ele já se enquadrou na lei.  

Por falar em empresas com menos de 10 funcionários, uma das dúvidas mais comuns sobre esse assunto é como as empresas com poucos trabalhadores podem controlar a jornada de trabalho.

4. Controle de jornada de empresa com menos de dez empregados

controle de jornada ate 10 empregados

Como você pode ver, acima eu usei três casos que são muito atípicos daquilo que estamos acostumados.

Mas em todos eles, bem como empresas com menos de 10 colaboradores possuem uma alternativa em comum para o controle da jornada de seus colaboradores.

O controle de ponto alternativo é uma ferramenta que atende perfeitamente todos os casos que eu citei.

Lembra que esse tipo de sistema possui aplicativos de ponto? Bem, são por meio desses aplicativos que as empresas podem realizar a gestão da jornada de trabalho de colaboradores que trabalham externo, ou que possuem menos de 10 colaboradores.

Por ser um sistema acessível, barato e inteligente, essa ferramenta é ideal para qualquer tipo de negócio.

O Segredo Para Fazer Controle de Jornada de Trabalho Dentro da Lei

Ufa! Muita coisa né?

Controlar a jornada de trabalho dos colaboradores não é uma tarefa fácil, como você viu existem muitas especificações da lei que sua empresa precisa ficar atenta.

E quando não se tem um sistema de controle de ponto inteligente que te auxilia nessa tarefa a atenção tem que ser ainda mais redobrada.

Por isso agora eu quero chamar a sua atenção e te fazer uma pergunta, o seu sistema de controle de ponto, otimiza a gestão das jornadas de trabalho do seus funcionários?

Se a resposta for não, você está marcando bobeira.

Porque eu estou te dizendo isso?

Bem, lembra dos números de processos trabalhistas que eu citei logo no início do texto? Então aquelas empresas também não tinham sistemas inteligentes para auxiliá-las na gestão de jornadas.

E você não quer descobrir como isso é importante, só após ter problemas judiciais não é mesmo?

Por isso escolher um sistema de controle de ponto para sua empresa é uma tarefa muito importante. Se você ainda tem dúvidas de qual sistema escolher deixa eu te mostrar porque escolher a PontoTel.

Como funciona o Sistema Pontotel para controle de jornada online: Vantagens

O sistema PontoTel segue todas às normas da Portaria 373, ai já está a primeira vantagem. Ao utilizá-lo sua empresa estará dentro da lei. Além do mais, é um sistema que oferece Gestão de Ponto completa.

O que eu quero dizer com isso é que o ciclo todo é feito dentro do sistema, o seu funcionário bate o ponto, isso já é contabilizado na folha dele todos os dias.

O gestor tem acesso a um painel de acompanhamento em tempo real, de lá da para ver por meio de gráficos ou dados, informações como falta, horas extras, atrasos, horário de almoço e muito mais.

O banco de horas de cada funcionário também fica disponível no sistema, dá para visualizar quem tem muitas horas acumuladas ou quem tem horas negativas.

Dessa forma é possível fazer o controle de jornada das equipes dentro das empresas.

Conclusão

controle de jornada conclusao

Viu só, controlar a jornada de trabalho dos seus colaboradores fica mais fácil quando se tem um sistema inteligente para te auxiliar nisso.

Acredito que nesse artigo você conseguiu ver a importância da gestão de jornadas e como funciona a lei do controle de ponto, os tipos de sistemas de controle de ponto e até mesmo algumas dicas de qual escolher.

Acredite as dicas que eu te dei sobre como escolher o melhor sistema de controle de jornada para sua empresa, funcionam e vão fazer toda diferença no momento de decisivo.
Agora se ficou alguma dúvida aproveite e confira o artigo completo sobre os sistemas de ponto, tenho certeza que ele vai ajudá-lo

banner Gestão de pessoal - Quais São as Melhores Formas de Controle de Jornada de Trabalho
botão cadastre2 - Quais São as Melhores Formas de Controle de Jornada de Trabalho