Diferença entre líder e chefe: Saiba quais são as principais características e diferenças entre os dois cargos

imagem de uma equipe reunida

Esperamos que você goste desse conteúdo.

Que tal começar 2021 otimizando processos no seu RH? Conheça o PontoTel. Marque um contato!

Você já ouviu falar que “um líder pode ser um chefe, mas um chefe nunca será um líder”?

Acontece que o mercado tem aderido a uma nova maneira de exercer a função de chefia nas empresas. Dessa forma, criou uma distinção entre essas duas palavras, que é um tanto curiosa, e revela as novas necessidades na área de gestão de pessoas.

Se você já reparou que hoje pode parecer pejorativo se referir a um superior de chefe, também pôde perceber que os encarregados de departamento, coordenadores, supervisores e afins são chamados de gestores.

O pensamento crítico, a capacidade de análise e resolução de problemas complexos ainda são tendência de mercado. Porém, os gestores são os primeiros que precisam se adaptar ao que se tornou necessário para gerir pessoas, engajamento, processos e resultados dentro das organizações.

No entanto, nem na teoria e nem na prática, os termos “líder” e “chefe” são os mesmos, já que um líder pode não ser um chefe, e um chefe pode não ser um líder.

Neste artigo, você vai entender o que é necessário para ocupar cargos de liderança e qual é a relação que se tem na área de gestão estratégica. 

Além disso, explicaremos o porque essa mudança de termos e paradigmas tem a ver como a mudança de mentalidade sobre a organização das novas hierarquias e suas principais competências.

Confira os tópicos que iremos abordar:

Definição: Líder e Chefe

Você sabe a diferença entre “chefe” e “líder”? As duas palavras podem parecer sinônimos, mas no ambiente organizacional são competências distintas.

Significado de chefe

O termo “chefe” foi utilizado para designar um profissional que possui certa autoridade dentro de uma hierarquia.

No modelo tradicional das organizações, o papel do chefe foi essencial para garantir o cumprimento das obrigações dos colaboradores e para manter a estrutura dos processos.

Geralmente, o chefe é aquela figura autoritária que possui maior conhecimento técnico e que determina as atribuições dos seus subordinados. Além disso, a principal preocupação do chefe é alcançar as metas e resultados independente de qualquer problema.

No entanto, a figura do chefe foi importante nas primeiras eras da Revolução Industrial, já que era necessário um supervisor ou encarregado para garantir a alta produção na linha de montagem, e era responsável por garantir o resultado com esforço físico, pressão e cobrança.

Significado de líder

Já a figura do líder é relacionada com a inspiração. A pessoa que lidera, inspira outros a fazerem as suas vontades independentes da pressão ou de situações alheias.

O líder entende que as pessoas possuem competências que precisam ser gerenciadas, e que elas possuem necessidades e comportamentos distintos. 

Por isso, através de um ambiente mais democrático, o líder apresenta o seu ponto de vista, as suas motivações, e se mostra aberto para que as pessoas trabalhem junto com ele.

A relação de poder que o líder possui sobre as pessoas se trata de influência, e não de autocracia, como no caso do chefe. Para um líder, a capacidade de fazer com que as pessoas executem as suas tarefas se dá através da comunicação e do trabalho em equipe.

Qual a diferença entre líder e chefe?

As principais diferenças entre líder e chefe está na relação de poder:

O chefe exerce uma relação de poder autocrático com seus subordinados.

O líder exerce uma relação de poder democrático com qualquer pessoa, mesmo que o próprio líder seja o último da hierarquia.

Se o chefe tem a necessidade de mandar, cobrar e pressionar os seus subordinados a concluírem o seu trabalho, o líder inverte essa lógica e acompanha de perto todo o processo com as pessoas ao seu redor.

Outra diferença interessante, é que o líder não precisa estar no topo de uma hierarquia para ser ouvido, ou para que as pessoas sigam o seu direcionamento. Mas, caso ocupe um cargo de chefia, o líder será a pessoa que sempre estará disposta para servir a todos.

Além disso, o líder aprecia todos os resultados das pessoas ao seu redor, e considera que o desempenho se dá ao trabalho em equipe, porém, sempre reconhecendo o comprometimento individual de cada colaborador.

Já o chefe sempre busca ganhar o crédito sobre as pessoas abaixo dele, pois os resultados que apresentar ao seu superior servirá para ganhar pontos a fim de obter um benefício próprio no futuro.

Certa vez, o filósofo Mario Sérgio Cortella distinguiu os dois conceitos:

“Não se pode confundir liderança com chefia. A liderança é aquela que não exclui. Quem é só um chefe, às vezes, para poder mandar tem que excluir. Se há um líder você segue, mas se há um chefe você obedece”.

A respeito da relação das pessoas com ambos perfis, ele ressaltou: “Há um líder, você procura, serve e quer agradar. Há um chefe, você aceita por conta da hierarquia. O líder é aquele que inspira, aquele que gera admiração, aquele que tem generosidade mental, coerência ética e humildade intelectual”.

Sendo assim, o chefe:

  • Lidera pela autocracia;
  • É obedecido por medo;
  • Possui a equipe sempre o sabotando.

Já o líder:

  • Lidera pela democracia;
  • É obedecido por respeito;
  • Possui a equipe cooperando por ele.

Quais são as atribuições de um chefe?

Quem exerce um cargo de chefia comandando uma determinada área ou setor da empresa é considerado um chefe.

O foco principal está nos processos, em sempre aprimorá-los e melhorar os resultados. As pessoas servem como recurso operacional e devem seguir as regras estabelecidas pelo chefe, que sempre cobra resultados.

Os relatórios de um chefe sempre focam em números e nunca são sobre indicadores de desenvolvimento.

A principal atribuição de um chefe é cumprir as obrigações de sua função, prestar contas para o presidente da empresa, ser o protagonista da mudança de algum processo, e garantir que tudo será cumprido conforme é solicitado.

E as atribuições de um líder?

Se o líder possui um cargo onde foi designado para coordenar uma equipe, o líder age sempre a favor das pessoas. O líder compreende que o sucesso dos resultados operacionais reflete os resultados individuais e coletivos.

Além de liderar pelo exemplo e inspirar as pessoas, o líder promove um ambiente organizacional dinâmico e consegue manter o controle das atividades, das emoções e comportamentos dos seus liderados.

As pessoas se sentem mais motivadas, engajadas e comprometidas com a empresa e com as suas próprias atribuições na presença de um líder que seja capaz de auxiliar e estimular o desenvolvimento dos seus conhecimentos, habilidades e atitudes. 

Quais são as características de um líder?

imagem de uma pessoa fazendo anotações

Abraham Lincoln disse que “a maior habilidade de um líder é desenvolver habilidades extraordinárias em pessoas comuns”. Essa é uma das melhores definições sobre a expectativa do mercado atual.

O profissional que está sendo requisitado deve conseguir identificar as principais habilidades dos seus liderados, saber direcionar cada um deles para exercer suas atribuições de maneira mais eficaz, além de sempre focar em desenvolver o colaborador.

Se um determinado colaborador não possui os conhecimentos, habilidades ou atitudes necessárias que é necessário para desempenhar determinada função, o líder vai buscar trabalhar essas competências para que elas sejam desenvolvidas.

Ao contrário do chefe que busca substituir os profissionais que não o agradam, o líder acredita no potencial individual e aposta no crescimento coletivo.

Os erros não são tratados como “o fim do mundo”, aliás, o líder aceita que as pessoas errem, porém, que o erro seja rápido e que seja reparado rapidamente. O erro é visto como um aprendizado de um processo maior, e a motivação do erro nunca será de total responsabilidade individual, mas será investigado e tratado coletivamente.

Aliás, se o líder erra, ele comunica a sua equipe, reconhece, e procura reparar esse erro abertamente. Uma postura humilde de um líder inspira que seus liderados façam o mesmo, e quando as pessoas erram, elas mesmas reconhecem, comunicam e reparam seus erros.

Um bom líder nunca se coloca em uma posição superior aos seus colaboradores, mas se mostra disposto a caminhar lado a lado e melhorar primeiramente o desenvolvimento individual das pessoas.

E se existe um profissional com uma competência superior ao restante da sua equipe, o líder vai trabalhar para que toda a sua equipe seja desenvolvida para chegar ao nível do profissional com as maiores habilidades.

A gestão de competências é um dos pilares para um líder dentro das organizações, não busca nivelar o conhecimento para uma média, mas sim, sempre com o foco na excelência e na superação das expectativas.

O líder é o que tem a capacidade de motivar profissionais e inspirar confiança, respeito, autoridade por causa da sua humildade e respeito a capacidade intelectual individual, e como seres humanos.

Com isso, o líder consegue sempre apresentar melhores resultados de indicadores de desempenho, propõe uma comunicação aberta e possui um cultura organizacional motivadora.

E as características de um chefe?

O chefe espera que os seus subordinados entreguem tudo no prazo, cobra os resultados, acha que a proatividade é uma obrigação, e quase nunca direciona os seus colaboradores para a execução das tarefas.

Ele entende que se o profissional foi contratado para exercer tal função, o único responsável por seu sucesso ou fracasso é ele. Porém, o fracasso é punido, mas o sucesso nunca é elogiado.

A falta de avaliações é um dos principais problemas. Chefes geralmente têm uma postura mais rígida e não se comunicam com frequência com sua equipe, apenas quando precisa solicitar algo ou denunciar um erro.

O chefe basicamente é um encarregado de setor que precisa se certificar que todo o processo está em perfeito funcionamento conforme esperado.

Pelo fato de que o chefe tem autonomia dentro das organizações, ele sempre se acha no direito de exercer as suas regras, normas e ordem a serem seguidas. A sua autoridade precisa ser respeitada pelo temor, já que ele possui o poder de contratar ou demitir.

Os chefes são centralizadores e acham que tudo depende deles, com exceção dos erros. O seu esforço físico e mental pode torná-los os famosos workaholics que aparentemente estão sempre atarefados, o que não proporciona tempo para aplicar feedbacks ou elogios, por exemplo.

Quando um colaborador comete algum erro, o chefe tende a repreendê-lo e adverti-lo. Em vista disso, a responsabilidade sempre é de quem errou, e o chefe dificilmente reconhece a sua participação em algum problema.

Se o próprio chefe erra, ele tende a culpar a sua equipe, punir inconscientemente as pessoas, e até aplicar demissões devido a sua falta de autoanálise e muitas vezes orgulho. Para o chefe, ele não pode ser visto errando, e precisa ser reconhecido pela sua perfeição ou por seus altos resultados.

O que define um bom chefe e líder?

Sabe aquele gestor que tem o pensamento “eu mando e você executa”? Se ele ainda ocupa um cargo de chefia com esse tipo de pensamento, considere que ele possui um prazo que está chegando ao fim.

As empresas não precisam hoje de pessoas apenas executoras. O mundo passa por uma mudança de era tecnológica que impacta profundamente a relação que temos com as outras pessoas, a maneira como desempenhamos o nosso trabalho, e as habilidades necessárias para suprir as novas demandas.

Os profissionais do século XX eram especialistas de processos perante o modelo linear que competia basicamente no trabalho técnico para a produção e venda. Dessa forma, existia uma ordem lógica a ser seguida, e se as pessoas seguissem exatamente o pensamento do que era correto, havia uma grande chance de alcançar o sucesso.

Porém, na era digital, decorar nomes e fórmulas não faz mais sentido, pois as respostas estão prontas na internet. Já os processos estão automatizados, o que não precisa tanto de mão de obra para executar algumas tarefas, já que os softwares fazem sozinhos.

Hoje essa barreira técnica foi rompida e deu lugar a uma nova necessidade: as habilidades comportamentais, ligadas a competências que os robôs não podem suprir.

Isso não quer dizer que as habilidades técnicas serão dispensadas, mas a chance de que elas sejam ligadas a tecnologia e codificação é enorme, já que a velocidade da mudança é tão grande que as habilidades técnicas terão um prazo de validade muito curto.

Por outro lado, as habilidades conhecidas como soft skills são necessárias para o profissional do futuro. A respeito das habilidades técnicas, ele precisará ter um long life learning, ou seja, aprender para sempre.

Alvin Toffler, escritor e futurista norte-americano, disse uma vez que o analfabeto do século XXI não será aquele que não sabe ler e escrever, e sim aquele que não souber aprender a desaprender e a reaprender. Isso revela uma mudança drástica no mercado de trabalho: o profissional precisará saber “como pensar” e não “o que pensar”.

Diante desse novo cenário, Liderança e Gestão de Pessoas estão entre as 10 principais habilidades do profissional do futuro, segundo a World Economic Forum. Essas competências são fundamentais para suportar as mudanças com resiliência, pensamento crítico e de maneira cada vez mais rápida.

O que faz um chefe ser um bom líder é a capacidade de enxergar o todo, seja em relação ao mercado, às novidades, e ao mesmo tempo observar atentamente às necessidades da empresa e dos seus colaboradores.

O profissional ideal para coordenar uma equipe é aquele que visa sempre o bem coletivo e que saiba reconhecer e valorizar cada colaborador como um recurso único, que possui diversas habilidades que está ali para agregar.

Espera-se que as empresas possam contratar não apenas chefes que sejam bons líderes, mas que os colaboradores em si possuam essas características, sejam competentes em auto-gestão e ajam com protagonismo.

Como diferenciar um chefe de um líder?

Assim como cada profissional tem um perfil, quem ocupa cargos de liderança também possui uma diversidade de competências.

No entanto, o que vai determinar o seu sucesso é o comprometimento que ele possui com a sua equipe.

A gestão de pessoas é o ponto crucial da liderança, e é exatamente a habilidade de gerir as competências dos colaboradores que o mercado busca.

Existem alguns fatores que podem ser reveladores quando se trata da diferença de atitudes entre um chefe e um líder:

Autoridade

O líder tem autoridade pelo seu respeito ao próximo, consideração e maneira como envolve os colaboradores em qualquer atividade.

O chefe é temido pelos colaboradores e não costuma ouvir tampouco considerar opiniões contrárias às suas. As pessoas não são importantes, os processos, sim.

Capacidade técnica

O líder considera a capacidade técnica um ponto importante, mas que faz parte de um conjunto. Ele não considera que o conhecimento adquirido ontem possa surtir efeito amanhã, e é por isso que ele incentiva o aprendizado constante, e trabalha para que toda equipe atinja o nível máximo de conhecimento técnico.

Para o chefe, a capacidade técnica é o que o levou a conquistar o cargo de chefia, já que a sua experiência em currículo precede qualquer apresentação. Normalmente, a sua capacidade intelectual não pode ser confrontada pelos colaboradores, e ele se sente constantemente ameaçado pelos seus subordinados.

Execução das tarefas

O líder está sempre próximo, pronto para ajudar, ensinar e melhorar todo e qualquer processo. Ele sempre está com os olhos e ouvidos abertos para receber novidades, ideias e inovações. Além disso, a sua comunicação é clara e não deixa dúvidas sobre os objetivos, prazos, metas e quais são os recursos necessários para a execução.

Já o chefe espera que o colaborador encontre uma forma sozinho de concluir determinada tarefa, e acredita que assim está o estimulando a melhorar. No entanto, isso não é bem verdade, já que a sua comunicação é escassa, e ele se apresenta indiferente a como o processo está sendo executado, com tanto que seja concluído.

Processos

O líder busca melhorar os processos corporativos e sempre observar se a tecnologia pode auxiliar a reduzir o trabalho operacional. Ele entende que as observações coletivas são estratégicas para que o processo seja sempre melhor desenvolvido.

O chefe é indiferente ao processo e acredita que o profissional não pode em hipótese alguma medir esforços físicos para concluir a tarefa e não se interessa por formas que podem otimizar os processos. 

Se as tarefas atrasam ou os processos não são bem desempenhados, ele culpa o profissional e se justifica ao citar que ele poderia ter procurado ajuda.

Autonomia para os colaboradores

Por proporcionar um ambiente democrático, o líder almeja que os profissionais tenham autonomia em suas funções e sempre promovam o debate.

Para o chefe, o profissional tem pouca ou nenhuma autonomia sobre os processos e decisões e prefere deixar o colaborador em uma posição de eterna submissão às suas ordens.

Promoções

Para o líder, a promoção acontece não apenas em melhora de salário ou cargo, mas ela acontece com frequência através de bonificações e reconhecimentos.

O líder incentiva os colaboradores a melhorarem o seu desempenho e tem uma comunicação aberta sobre suas expectativas de futuro profissional dentro da organização.

Para o chefe, o profissional só alcançará o sucesso profissional se alcançar altos salários, cargos de chefia e se permanecer por muitos anos na empresa. Os subordinados são uma ameaça para o chefe, já que se eles apresentarem maior desempenho e propor inovações, podem ser candidatos a substituí-lo.

Os profissionais por sua vez, sentem-se constrangidos de discutir o seu futuro profissional com o chefe, escondem seus talentos, tem medo de ultrapassar os limites hierárquicos e possuem menor desempenho, criatividade e inovação por estarem em um ambiente em constante pressão.

RH: Dicas para uma um bom relacionamento entre líder e chefe

Para um bom relacionamento com líderes, chefes, ou qualquer outro profissional, o primeiro passo é estabelecer os limites éticos e morais para esse relacionamento.

O respeito, a empatia e a comunicação são fundamentais para qualquer relação em um ambiente profissional.

Listamos algumas dicas para que a sua empresa possa melhorar o clima organizacional e interpessoal. Confira a seguir!

Saiba o seu lugar

Nunca se julgue melhor ou mais importante que ninguém e tenha respeito a qualquer pessoa, mesmo que o outro ultrapasse os limites.

Respeite a hierarquia, mas não tenha medo de expressar as suas opiniões

Alguns profissionais se julgam “teimosos” pelo simples fato de ultrapassar essa barreira que nem existe. O diálogo é necessário em qualquer empresa.

Valorize o seu trabalho

Assiduidade, pontualidade, comprometimento e responsabilidade com o seu trabalho e com a empresa são características de que o colaborador valoriza o que possui.

Gratidão

Pessoas que demonstram gratidão aos seus colegas inspiram os demais a exercer a gratidão também, além de que geralmente são pessoas que se envolvem com as questões da empresa

Saiba ouvir

Qualquer que seja o nível hierárquico do profissional, é necessário que exista uma comunicação clara e aberta entre os colaboradores. A cultura de feedback é excelente para estabelecer a habilidade de ouvir e ser ouvido.

Alegria e positividade

Líderes inspiram pelo exemplo e pela alegria de exercerem a sua função. O seu maior sucesso é o sucesso dos demais, por isso, o líder sempre olha as situações ressaltando os aspectos positivos e sempre lida com a rotina de trabalho de maneira positiva.

Conclusão                

Como você aprendeu, houve uma mudança de conceitos a respeito dos profissionais que exercem um cargo de alta responsabilidade dentro das organizações.

As características ideias para suprir as novas transformações tanto no mercado quanto no mundo, refletem a necessidade de uma cultura que aposte na formação de líderes na empresa.

Os líderes são perfis interessantes para se ter em uma empresa, já que as habilidades comportamentais e as atitudes são peça chave para a tomada de decisões e a operação dos processos, que estão cada vez mais automatizados.

Uma boa liderança, seja em relação à chefes que são líderes, ou colaboradores de outros níveis hierárquicos, oferece inúmeros benefícios para a empresa, pois amplia o espaço para o protagonismo de inovações nas empresas.

Profissionais direcionados por bons líderes são motivados, mais eficientes e possuem maior vínculo com a empresa pois são acompanhados e desenvolvidos constantemente.

E então, você possui líderes ou chefes em sua empresa? 

Compartilhe em suas redes!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Rolar para cima