Networking RH: entenda qual a sua importância e como utilizá-lo para alavancar sua carreira!

imagem de duas pessoas apertando as mãos

Nem só de contratações e demissões vive o RH. É preciso refletir sobre o significado da sigla, afinal, cada vez mais o setor de recursos humanos têm destaque no mercado profissional. 

As empresas que valorizam seu capital humano têm maior integração de equipes, produtividade e qualidade de vida no trabalho. Em meio a esse processo, está o profissional de RH, atuando como um mediador entre a empresa e os colaboradores. 

Mas trabalhar com recursos humanos não significa necessariamente que o profissional saiba navegar as nuances dos relacionamentos sociais. É preciso treino, prática e investimento de tempo e esforço. Surge então o terreno fértil para o networking. 

O profissional de RH, assim como qualquer outra área, pode se beneficiar de uma rede de contatos sólida e multifacetada. Mas qual a importância disso? Como se constrói networking RH na prática? 

Continue lendo para obter respostas para essas e outras dúvidas e se tornar uma referência no assunto!

Boa leitura! 

software controle de ponto reduz processos operacionais

O que é networking RH?

imagem de um fluxograma de pessoas

Networking é uma palavra emprestada da língua inglesa que, em tradução livre, quer dizer “construir redes”. Na prática, significa criar, desenvolver e alimentar relações profissionais pautadas em reciprocidade. 

Não basta apenas ser cordial ou inventar um personagem para agradar a todos. O networking se beneficia de relações verdadeiras, com interesse genuíno nas pessoas e no que elas têm a dizer. 

Para o RH, networking ganha um sentido mais amplo, pois o profissional de recursos humanos é talvez o maior facilitador de conexões dentro de uma empresa. 

Criar relacionamentos e proporcionar um clima organizacional saudável e pautado em uma comunicação transparente e eficaz é parte do propósito do RH. Por isso, invista em desenvolver uma rede de contatos dentro e fora da empresa. 

Qual a importância do networking no setor de RH?

Um bom profissional de RH precisa estar conectado às novas tendências do mercado para a área e ter boas indicações na ponta da língua. Por isso, o networking no setor de RH é de grande importância. 

Entenda, porém, que fazer networking é uma ação consciente. Não basta apenas colecionar contatos na agenda do seu celular ou cartões de visita na sua carteira. É preciso cultivar relações significativas, embasadas pelo princípio da troca. 

Dito isso, conheça alguns dos benefícios que a prática de networking traz ao RH!   

Aprendizado mútuo

Uma das maiores fontes de aprendizagem, seja ela profissional ou pessoal, é o outro. Livros, cursos e certificações têm um elemento em comum: todos são produzidos por pessoas. No fim do dia, não se trata do que você aprendeu, mas com quem. 

No entanto, evite se colocar em uma posição de receptor apenas. Como dito antes, networking se trata de reciprocidade. Por isso, procure ensinar o que você sabe sem esperar nada em troca. Essa generosidade impacta positivamente as pessoas. 

Dentro da empresa, é possível gerar valor por meio dos colaboradores e do que eles têm a dizer. Como profissional do RH, praticar a escuta ativa e se dedicar a conhecê-los abrirá portas para um networking mais consolidado e rico. 

Outro aspecto é conhecer as competências e habilidades de cada um que podem ser compartilhadas. Assim, você pode escalar colaboradores para projetos de mentoria, ministrar palestras e workshops e transferir conhecimentos ao coletivo. 

Visibilidade profissional

Quem não é visto não é lembrado. Esse ditado resume bem o networking: quando você interage, se posiciona e se conecta com as pessoas, elas guardam seu perfil na memória. 

Isso acaba se refletindo em oportunidades de emprego, promoção ou parcerias. Em termos gerais, as pessoas fecham negócios e recomendam quem elas conhecem. Assim, quanto mais inserido no círculo interno de relações das pessoas, mais lembrado você será. 

E não para por aí: na era digital, você é o seu maior produto. A visibilidade profissional se materializa nas redes sociais, por meio de compartilhamentos e citações. Quanto mais presença digital e pessoal você desenvolver, maior será sua influência.

Influência no mercado

E por falar em influência, existe um conceito no marketing chamado prova social. Quando seus contatos falam de você para terceiros, sua rede aumenta organicamente, gerando validação do seu nome. 

Em termos semânticos, influência tem a ver com status. Ou seja, quando suas habilidades e feitos são compartilhados com pessoas de fora da sua bolha, o mercado atribui credibilidade ao seu perfil profissional. 

É evidente que influência não se constrói de forma passiva, apenas esperando seus contatos articularem em seu nome. Você precisa se posicionar como um operador distinto e digno de nota dentro do mercado. 

Uma das formas mais eficazes de se fazer isso é com produção de conteúdo digital, como veremos mais adiante. 

Construção de carreira

O networking não faz milagres. Não basta conhecer centenas de pessoas, encher suas redes sociais de contatos e almoçar com um profissional diferente a cada dia. Em outras palavras, quantidade não supera qualidade. 

Você precisa criar um planejamento para uma construção de carreira estratégica. Para isso, é preciso desenvolver suas habilidades e conhecer bem a sua área e as áreas adjacentes a ela. Em outras palavras, seja um profissional T-shaped.

Investir em formação continuada, estar sempre aprendendo e buscar novas formas de resolver velhos problemas é o que diferencia o trabalhador aos olhos do mercado. Em suma, a construção da carreira precisa de substância para solidificar seu marketing pessoal. 

Como criar um networking RH?

imagem de uma mulher sentada na frente de um computador e segurando uma xícara

Entender a importância do networking para o RH é apenas o primeiro estágio. É necessário aliar a teoria à prática e desenvolver estratégias para criar um networking RH que possa render frutos. 

Para isso, você precisa partir de dois segmentos que, embora diferentes, são complementares: o digital e o físico. Entenda isso melhor na prática! 

Seja ativo nas redes

Atualmente, é raro encontrar alguém que não esteja disponível nas redes sociais. Todos querem ter sua voz ouvida e opinar sobre as últimas tendências e acontecimentos. Isso se deve a uma busca por pertencimento constante que faz parte da coletividade humana. 

Primeiramente, busque entender quais são essas redes sociais e quais os nichos que elas representam. O LinkedIn não tem o mesmo público que o Instagram ou o Facebook. Logo, o tipo de pessoas que você encontrará nessas redes difere de uma para outra. 

E isso não se aplica somente a questões demográficas. Os assuntos, as tendências e até mesmo a forma como sua imagem será compartilhada estão intrinsecamente conectados à plataforma utilizada para veicular suas ideias. 

Crie conteúdo de relevância

Após entender as características de cada rede, busque criar conteúdo de relevância. Quais são as ferramentas mais modernas para o RH? Quem são os autores mais lidos? Fale sobre sua experiência, seja autêntico e ofereça soluções para as dores dos seus colegas. 

Não é preciso ser um especialista em mídias digitais ou um estudante de design para criar conteúdo relevante. Comece simples: não se preocupe tanto com a forma, mas com a essência do que você vai divulgar. 

Alguns exemplos para ampliar suas ideias: 

  • Reels no Instagram ou vídeos no TikTok falando sobre problemas gerais do RH; 
  • Textos mais densos e analíticos no Medium; 
  • Grupos de discussão e trocas de experiências no Facebook; 
  • Compartilhamento de conteúdo relevante no LinkedIn. 

Participe de eventos de RH

O RH representa, talvez, o segmento que mais necessita de presença dentro de uma empresa. Por isso, participe de eventos da área. Coloque-se à disposição de seus pares para conversas e trocas de vivências. 

Procure ser ativo nos debates, expressando sua opinião de forma clara e objetiva. Se for preciso, anote as dicas e sugestões oferecidas por palestrantes e convidados.

No entanto, procure exercitar o bom-senso e saber quem são as pessoas que você pode abordar em eventos e como fazê-lo de forma natural. Assim, os laços serão construídos com profundidade, gerados por uma situação orgânica de benefício mútuo. 

Cultive os relacionamentos 

imagem de duas mulheres e um homem conversando

Por fim, cultive os relacionamentos. Não adianta fazer um contato e esquecê-lo até que você precise de um favor. Como na vida pessoal, as pessoas se incomodam com esse tipo de abordagem interesseira. 

Portanto, seja prestativo. Ofereça ajuda, estimule conversas casuais e absorva o máximo que puder. Procure acompanhar o que as pessoas compartilham em suas mídias sociais e interagir com elas, estar presente no almoço ou no happy hour da empresa. 

Quanto mais disponibilidade você oferecer, mais será lembrado. Portanto, trabalhe sua capacidade de comunicação, seja sincero e busque conexões reais. 

Conclusão

Networking não é um gráfico matemático que pode ser analisado de forma fria. Por se tratar de relações humanas, existem muitos critérios e variáveis que podem influenciar a maneira como você se relaciona com as pessoas. 

Por isso, é preciso desenvolver sensibilidade e empatia. Assim, entender as pessoas e suas necessidades será uma tarefa mais simples. 

Dentro do RH, o networking se potencializa quando o funcionário entende o fator humano que rege o seu trabalho. Não basta apenas ouvir e oferecer apoio às pessoas, mas ajudá-las a crescer e desenvolver suas habilidades e carreiras. 

O profissional de recursos humanos, talvez mais do que qualquer outro, cresce junto com os outros. Essa relação coletivista, diferente do gráfico que mencionamos, não tem métricas ou fórmulas pré-estabelecidas. Basta apenas a autenticidade e o desejo de se conectar. 

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe em suas redes sociais e continue acompanhando o blog da PontoTel

banner calculo de horas
Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima