Entenda a importância da resiliência emocional no mercado de trabalho

imagem de uma mulher sentada se espreguiçando com as mãos na cabeça

A resiliência emocional é frequentemente relacionada ao desenvolvimento pessoal e a capacidade de lidar com diversos problemas e frustrações ao longo da vida.

Mas você sabia que ela também é essencial para profissionais e empresas que desejam ser bem sucedidas?

Afinal, uma pessoa resiliente não só obtém ferramentas para melhorar sua vida pessoal, mas também pode obter resultados muito mais positivos na sua vida profissional.

Quer entender por que e como isso é possível? Então confira os seguintes tópicos:

Boa leitura!

banner problemas com absenteismo

O que é resiliência emocional?

imagem de uma mulher sentada na frente de um computador e segurando uma xícara olhando pela janela

Resiliência emocional é a capacidade de enfrentar um problema ou dificuldade, aprender com ele, não se apegar a esse evento negativo e conseguir seguir adiante.

Essa expressão foi incorporada à psicologia a partir de um termo da física. Para essa área de conhecimento e pesquisa, a resiliência é a capacidade de deformar um objeto ou material. 

Porém, mesmo após sofrer uma alta pressão ou qualquer força de alto impacto, esse objeto não se rompe, voltando a sua forma normal. 

O mesmo pode ocorrer com o ser humano resiliente, que mesmo submetido a situações de estresse e problemas, consegue lidar com essa situação e aprender com ela. 

Características da resiliência emocional

Quando você entende o significado de resiliência emocional, fica mais fácil sabercomo identificar uma pessoa resiliente. 

Para isso, essa pessoa deve apresentar as seguintes características:

  • Capacidade de identificar seus pontos fortes para lidar com problemas;
  • Consegue enfrentar dificuldades e desafios;
  • É capaz de lidar com momentos de estresse com inteligência emocional;
  • Tem uma visão positiva sobre si mesma e sobre suas habilidades;
  • Comunica suas insatisfações e necessidades com clareza;
  • Consegue gerenciar suas emoções de forma eficiente e equilibrada.

Resiliência emocional é uma soft skill?

Sim, a resiliência emocional é uma das soft skills mais importantes para a vida pessoal e profissional. 

Afinal, além das hard skills, quem quer desenvolver sua carreira também precisa aprender a lidar com relacionamentos interpessoais, estresse e desafios de forma equilibrada. 

Para isso, além de organização, criatividade, empatia e boa comunicação, esse profissional também precisa ter inteligência emocional e autocontrole para lidar com os problemas sem prejudicar seu trabalho ou sua saúde mental.

Por que é importante ter resiliência emocional no trabalho?

O profissional com resiliência emocional aumenta suas chances de ser bem-sucedido na sua carreira e de enfrentar todas as pressões, problemas e crises existentes no seu trabalho. 

Com isso, as empresas podem contar com colaboradores mais criativos e empenhados para produzir resultados.

Conheça outros motivos que mostram como os trabalhadores resilientes fazem a diferença na empresa.

Lidar com situações adversas

Um profissional resiliente consegue lidar com mais equilíbrio e eficiência diante dos diversos problemas e desafios comuns no ambiente de trabalho. 

Afinal, ele consegue resolver problemas com clientes, mudar processos ineficientes e traçar estratégias para melhorar resultados com mais facilidade.

Tornar o ambiente de trabalho mais saudável

Além de desempenhar suas funções, os profissionais precisam lidar com conflitos com colegas e gestores, problemas com clientes, entre outros desafios.

Nesse contexto, o profissional que consegue gerenciar melhor suas emoções têm um nível de estresse reduzido e desempenha suas funções com mais facilidade.

Isso gera um efeito dominó, que melhora não só sua imagem pessoal dentro da empresa, mas também torna seus relacionamentos interpessoais mais saudáveis.

Ser mais produtivo

O mercado de trabalho tem passado por grandes mudanças que exigem uma capacidade de adaptação cada vez maior. 

Por isso, ele tem se tornado mais competitivo, aumentando a pressão por bons resultados. 

Somente um profissional resiliente ou que está buscando essa resiliência é capaz de enfrentar esses desafios de forma eficaz, proativa e equilibrada. 

Assim, fica mais fácil reduzir os riscos de doenças ocupacionais por estresse, aumentar sua produtividade e encontrar soluções criativas para diversos problemas.

Como desenvolver resiliência emocional?

imagem de um homem sentado olhando para um computador

Ninguém nasce sabendo lidar com situações e emoções negativas, mas essa é uma habilidade que pode ser desenvolvida. 

Embora cada um tenha um processo particular de desenvolvimento, existem várias estratégias que podem tornar a construção da resiliência mais fácil.

Confira algumas dessas dicas abaixo!

Aprenda a utilizar a comunicação não violenta

Ser capaz de criar e manter uma boa comunicação com seus colegas e gestores é um dos pilares da resiliência emocional. 

Para que essa troca de ideias e feedbacks ocorra de forma eficiente, o método mais indicado é a Comunicação Não Violenta. 

Essa estratégia foi criada pelo psicólogo norte-americano Marshall Rosenberg e se baseia em 4 componentes: 

  • Observação: Entenda o que realmente está acontecendo numa determinada situação;
  • Sentimento: Entenda as emoções que o problema ou desafio causam em você;
  • Necessidade: Reconheça suas necessidades diante da situação;
  • Pedido: Faça uma solicitação específica com base nos passos anteriores, utilizando uma linguagem positiva e com sugestões de ações concretas.

O ideal é que esses componentes façam parte da sua forma de comunicação verbal (oral e escrita) e não verbal (expressões faciais, corporais e gestos).  

Dessa forma, é possível se comunicar de forma mais eficiente dentro e fora do ambiente de trabalho.

Trabalhe a flexibilidade no trabalho

Todas as pessoas enfrentam problemas na sua vida pessoal e profissional em algum momento de suas vidas. 

Porém, somente pessoas resilientes conseguem lidar com essas situações de forma mais eficiente e com menos desgaste emocional. 

Isso porque elas conseguem se adaptar às mudanças mais facilmente e são capazes de enxergar e encontrar soluções criativas para lidar com os problemas. 

Para agir dessa forma, é importante trabalhar sua flexibilidade e capacidade de adaptação diante das situações inesperadas e momentos de crise.

Saiba se auto liderar

A autoliderança se refere à capacidade de reconhecer seus próprios limites, entender seus propósitos, conhecer suas habilidades e gerenciar suas emoções. 

Ou seja, uma pessoa que pratica autoliderança conhece seus pontos fortes e fracos e consegue usar essas informações a seu favor. 

Para isso, o indivíduo precisa investir na busca por autoconhecimento, autorresponsabilidade, autodeterminação e consciência das suas ações, escolhas e valores.

Trabalhe a autoconfiança

A autoconfiança também auxilia no processo de autoliderança e é capaz de melhorar todos os aspectos da sua vida. 

Afinal, conhecer o seu valor e confiar em si mesmo, nas suas habilidades, qualidades e competências funciona como um combustível para que a pessoa tenha coragem de se arriscar mais. 

Além disso, ela também te dá forças para enfrentar seus medos, se expressar com clareza e posicionamento e trabalhar com aquilo que acredita.

Aprenda com os erros

Ninguém está imune ao erro, mas todos podem aprender com ele.

Lembre-se de que uma pessoa com resiliência emocional consegue analisar os problemas, aprender lições a partir dessas situações e crescer com base nesse conhecimento.

Como promover a resiliência emocional na empresa

Diante dos benefícios que uma pessoa resiliente promove para si mesma e para as pessoas ao redor, muitas empresas já começaram a investir em estratégias para tornar seus colaboradores mais resilientes do ponto de vista emocional.

Isso pode ser feito de diferentes formas, como as citadas abaixo:

Treine as lideranças

Os líderes e gestores da empresa conseguem influenciar o clima organizacional de toda a organização. 

Por isso, um bom líder e um bom gestor precisam desenvolver resiliência emocional para lidar melhor com os erros, encontrar soluções e fornecer diagnósticos. 

Além disso, quando esse líder é empático, flexível e consegue se comunicar com clareza, ele consegue transmitir mais confiança à equipe e orientá-los de forma eficiente. 

Vale lembrar que um líder resiliente e com boa capacidade de gestão emocional consegue estimular o trabalho da equipe e ainda melhora o clima organizacional da empresa.   

Estimule a empatia na organização

A empatia é a capacidade que uma pessoa tem de se colocar no lugar da outra e tentar entender o seu ponto de vista. 

Essa habilidade é fundamental para o desenvolvimento de uma comunicação não violenta e para a criação de um ambiente de trabalho mais colaborativo e acolhedor. 

Como consequência desse clima empático, os colaboradores podem se sentir mais motivados e comprometidos com a equipe.

Promova dinâmicas

imagem de um homem e uma mulher sentados olhando para outra mulher em pé na frente deles segurando uma xícara

A empresa também pode estimular o desenvolvimento da resiliência em seus colaboradores. 

Para isso, o setor de Recursos Humanos pode desenvolver oficinas e dinâmicas em grupo para trabalhar fatores de resiliência, tais como empatia, tolerância à mudança e vulnerabilidade.

Essas dinâmicas podem trabalhar a discussão de textos sobre esses temas, por exemplo, além de jogos e desafios em grupo. 

Dessa forma, é possível estimular a conexão e o autoconhecimento entre os colaboradores.

Ofereça feedbacks

É impossível mudar aquilo que não se conhece. Por isso, uma das etapas do processo de resiliência é aprender a receber feedbacks e a reagir a eles. 

Caso os feedbacks sejam positivos, os colaboradores vão se sentir mais motivados a prosseguir com as ações ou comportamentos assertivos. 

Porém, os feedbacks negativos podem ser encarados como oportunidades de mudança e sinalização para mudança de algo que não está indo bem. É assim que se amadurece.

Conclusão

A resiliência emocional é uma habilidade que pode ser aprendida ao longo da vida e que tem reflexos positivos no âmbito pessoal e profissional de cada indivíduo. 

Como vimos ao longo do texto, para se tornar resiliente, a pessoa precisa trabalhar sua comunicação, flexibilidade, empatia, autoliderança, dentre outros fatores. 

A empresa, com o apoio do RH, também pode ajudar o profissional ao longo desse processo, contribuindo para que seus colaboradores sejam mais equilibrados e produtivos.

Gostou do conteúdo? Confira outros artigos sobre desenvolvimento profissional no Blog da PontoTel!

banner como funciona o software de ponto mais completo
Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima