Inclusão social nas empresas: O que é e sua importância

imagem de três pessoas sentadas ao redor de uma mesa trabalhando

A inclusão social nas empresas é um tema bastante discutido nos dias atuais. Com mais discussão a respeito de diversidade e inclusão no mercado de trabalho, as instituições estão buscando dar mais espaço a todas as classes e pessoas.

Quando falamos em inclusão social nas empresas, não estamos falando somente de PCD (pessoas com deficiências), mas de toda uma classe que não é bem aceita no mercado, como: idosos, pessoas com orientações sexuais diferentes, diferentes classes sociais, etnias e muitos mais.

A diversidade no mercado de trabalho se tornou tema recorrente nesses últimos anos, devido a sociedade se posicionar mais sobre esse assunto.

Por isso, nesse texto, vamos entender mais sobre o que é a inclusão social, como ela pode fazer a diferença na sua empresa, como colocar a inclusão social em prática e muito mais. 

Vamos aos tópicos do texto:

Boa leitura!!

O que é inclusão social?

A inclusão social é dar  oportunidade a todas as pessoas sem julgar questões raciais, sexuais e até deficitárias. 

Com a grande diversidade cada vez mais presente na sociedade, procurando dar oportunidades iguais para todos, o ideal é mostrar do que todos são capazes, sem serem julgados.

Existem diversas formas de inclusão social, como: cotas raciais, cotas sociais, inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, diversidade de etnias e muitas outras. Algumas ferramentas ajudam a ter maior inclusão social, como o esporte. 

Inclusão social nas empresas: Conceito

imagem de um grupo de pessoas sentado lado a lado em uma mesa mexendo em computadores

A inclusão social nas empresas abrange várias questões de aceitação e maior representatividade do colaborador no mercado de trabalho.

Quando pensamos em inclusão social, imaginamos pessoas com deficiência física ou motora, mas o termo abrange bem mais do que isso. O objetivo da inclusão é trazer todos os gêneros, pensamentos, conhecimentos e muito mais para dentro do ambiente empresarial.

Dessa forma, o ambiente fica mais plural e isso traz enormes vantagens, como: maior conhecimento dos colaboradores, mais diversidade de ideias e maior aceitação com as diferenças do próximo.

Por isso, a empresa precisa estimular  a inclusão e contratar pessoas que não estão no estereótipo ideal de colaborador, para dar oportunidade a todos.

Inclusão social e diversidade no trabalho são a mesma coisa?

Apesar dos termos serem bem parecidos e muitas vezes usados no mesmo contexto, há uma diferença entre as palavras. A diversidade diz respeito à pluralidade de pessoas, como: orientações sexuais, etnias, idade, raças dentro do ambiente de trabalho, já a inclusão é a forma como a empresa ou as pessoas aceitam e incluem um indivíduo em seu círculo. 

Vamos a um exemplo, uma equipe pode ter um ambiente de trabalho bem diversificado, com uma pluralidade exemplar, mas mesmo assim não ser inclusiva e rejeitar ideias, por não concordar com as escolhas de determinada pessoa.

Dessa forma, ter um ambiente sendo metade homens e metade mulheres é ter diversidade, mas se só os homens alcançarem cargos altos não é inclusivo. Com isso, a diversidade reflete as ideias dentro da empresa, já a inclusão é a prática dessas ideias.

O que diz a lei sobre a inclusão social nas empresas?

Para promover a diversidade e inclusão dentro das empresas, foram criadas leis que determinam que os gestores reservem vagas de empregos para pessoas com deficiências.

A chamada Lei Brasileira de Inclusão e a Lei de cotas pedem que todas as empresas estejam de acordo com as normas propostas, pois caso estejam em irregularidade poderão sofrer multas e punições legais por não cumprirem os pedidos da lei.

A lei mais específica sobre inclusão, se trata da lei voltada para a contratação de PCD, veja a seguir.

Lei Nº 8.213/91

A Lei Brasileira de Cotas para Deficiêntes diz que toda a empresa precisa reservar determinadas vagas para pessoas com deficiência (PCD) ou reabilitados do INSS.

De acordo com a lei a empresa deve seguir essa proporção de acordo com o tamanho de seu quadro de funcionários:

  • 100 a 200 empregados: 2% do quadro deve ser separado para PCD;
  • 201 a 500 empregados: 3% do quadro deve ser separado para PCD;
  • 501 a 1.000 empregados: 4% do quadro deve ser separado para PCD;
  • empregados em diante: 5% do quadro deve ser separado para PCD. 

Qual a importância da inclusão social nas empresas?

Ter uma equipe mais inclusiva, com diversas opiniões, vivências e experiências durante o trabalho e fora do horário de trabalho faz toda a diferença na tomada de decisões da empresa.

Com isso, aliado às leis que já aplicam, o ambiente se torna mais aceito e com melhores ideias e a avaliação do público fica melhor.

Ambiente mais plural

O ambiente mais plural ajuda todo o planejamento estratégico da empresa, e, com colaboradores que vivem de formas diferentes a vida, a empresa pode conversar com todos que têm ideias diferentes de trabalho.

Além disso, a forma de trabalhar fica mais inclusiva, porque colaboradores “fora do padrão” e que possam ter planos distintos dentro do ambiente de trabalho tornam a convivência entre os funcionários melhores.

Fortalecimento da marca empregadora

Um dos pontos mais colocados na inclusão de colaboradores é o fortalecimento da marca frente a sociedade. Com a população mais ativa e querendo que as pessoas sejam mais aceitas da forma que são, as empresas entenderam que a inclusão se tornou uma forma de ressaltar a marca.

Atração de talentos 

Com boas avaliações pela população e com ambiente mais plural, os colaboradores se sentem atraídos a trabalhar na sua empresa. Sabendo o valor que a instituição possui e sabendo que os gestores aceitam as pessoas sem qualquer julgamento, o funcionário se sente livre para ser quem deseja ser.

Equipes mais criativas

Alinhando todos os tópicos do texto, o resultado para a empresa será equipes bem mais criativas e preparadas para o cotidiano no trabalho.
Com uma equipe plural e atraindo os melhores colaboradores do mercado de trabalho, a competência da equipe será melhor avaliada e terá bons resultados futuros para a empresa.

Como promover a inclusão social na minha empresa?

imagem de um homem e duas mulheres conversando em uma sala

O conteúdo passado no texto mostra a importância da inclusão social na empresa. Essa estratégia traz inúmeras vantagens dentro do ambiente de trabalho, ideias e como a empresa é vista pela sociedade.

Por isso, definir com cuidado a inclusão social com a empresa tem que ser pensada com o time de RH para que a escolha seja certeira e que mostre aos seus colaboradores que a instituição está realizando a diversidade e inclusão.

Recrutamento e seleção focados em inclusão social

Como a empresa já está mudando ou colocando a inclusão social dentro da sua cultura, o processo de seleção tem que seguir conceitos que não discriminam demais a escolha do funcionário.

Então, alguns passos são importantes: um deles é eliminar qualquer requisito que não seja essencial, com isso a empresa consegue avaliar todos pelas suas competências e não por detalhes que talvez não vão influenciar no resultado final.

Outro ponto necessário a mudar é como a vaga é divulgada, evitando colocar termos que não são usuais e procurando ter linguagem coloquial para todos poderem se interessar e enviar o currículo para a empresa.

Realize treinamentos e capacitações

Treinamentos e capacitações são importantes para que a empresa chegue ao topo, com mercado ficando cada vez mais concorrido, as capacitações são essenciais para que as metas sejam alcançadas.

Promovendo a inclusão social, o treinamento se torna ainda mais importante, porque a equipe é bem plural e nem todos não terão as mesmas capacitações, então para que todos fiquem iguais no trabalho, realizar treinamentos é essencial.

Invista em acessibilidade funcional e estrutural

Investir em ambientes funcionais e estruturais para os colaboradores com deficiência não é um custo adicional, na verdade é investimento. Isso porque ter um ambiente em que todos se sintam confortáveis em trabalhar e realizar as suas funções traz resultados a pessoa jurídica.

Além disso, a lei pede que a empresa invista em estrutura para que os funcionários com deficiência e os idosos tenham totais condições de trabalho.

Por isso, todos os setores do local de trabalho precisam ser revistos, como a entrada, com ponto e catracas; elevadores; cadeiras; altura dos computadores; corrimão e muitas outras coisas. Assim, tanto os idosos quanto os PCD terão condições de realizar suas atividades.

Qual o papel do RH na inclusão social?

imagem de um homem e uma mulher sentados de frente para o outro conversando

O RH tem função essencial na inclusão social, como passado ao longo do texto, algumas atividades passam diretamente pela contratação e conversa com os funcionários. Com isso, o RH tem responsabilidades em deixar a empresa mais social aos olhos da sociedade e colaboradores.

Criação de políticas de combate a discriminação

Para  colocar a inclusão é preciso tirar a discriminação de toda a empresa, só assim a cultura da instituição poderá mudar e a empresa poderá ter maior diversidade entre seus funcionários.

Uma das funções do RH é criar uma política de combate a discriminação, assim com a empresa já colocando em prática na sua cultura a diversidade e inclusao social, essas normas ajudam a todos evitarem julgamentos que atrapalhem o desempenho profissional.

Então, a criação de políticas de combate a discriminação é essencial para que esse tipo de comportamento não seja aceito e dessa forma todos sejam inclusivos nas atividades e no ambiente de trabalho.

Orientação de líderes e gestores

Mais do que mudar a forma de pensar dos colaboradores e impor limites, é  orientar os líderes e gestores da empresa para também mudarem seus comportamentos. Isso porque é esse alto escalão que comanda as ações da pessoa jurídica e serve como inspiração e reconhecimento para os funcionários.

Por isso, orientar os líderes para que não julguem e passem a aceitar o colaborador do jeito que ele é e de onde veio são grandes passos para que toda a empresa seja inclusiva e esse colaborador trabalhe sem preconceitos.

Observe o quadro de funcionários

Com toda a orientação e criação de políticas contra a discriminação, é necessário olhar para o quadro de funcionários e ver se todos os setores estão sendo inclusivos e não somente alguns.

Esse tipo de pesquisa serve para que a empresa mostre que realmente se importa com a inclusão e diversidade e não está fazendo por pressão da sociedade. 

Então deixar que todos os setores tenham funcionários dos mais diversos pensamentos pode trazer resultados positivos para a empresa com o treinamento e capacitação corretos.

Incentive a cultura da diversidade

Para concluir, trabalhe com todos para incentivar a cultura da diversidade, assim os colaboradores e gestores poderão dar sugestões ao RH para melhorar as políticas de inclusão da empresa e dar novas ideias de diversidade dentro da empresa.

Isso é importante para o RH, pois não fica somente dentro do setor essa preocupação de deixar a empresa mais diversificada e inclusiva. Com todos se preocupando em deixar o ambiente mais harmônico possível e dando sugestões como mudar para melhor, a empresa ficará mais bem vista aos olhos dos colaboradores, gestores e da sociedade.

Conclusão

Podemos concluir que a inclusão social não enquadra somente os PCD e os idosos, mas toda sociedade em geral, variando de idade, classe social e orientação sexual.

Então, para a empresa, visto que a sociedade está mais empenhada na discussão e aceitação desses diálogos, é preciso mudar a cultura e se tornar mais incentivadora desse tema para que possa ter bom prestígio e atrair novos funcionários.

Apesar de haver poucas leis a respeito da inclusão, aos poucos todos vão sendo aceitos dentro do mercado de trabalho e a diversidade vai instaurando e trazendo novas ideias e opiniões dentro dos escritórios e ambientes.

Além disso, investindo em inclusão e diversidade, a empresa fica bem-vista aos olhos da sociedade e atrai novos talentos sabendo que o ambiente em que eles trabalham não buscam somente o “funcionário ideal” e que estão abertos a novas ideias e conversas.

Por isso, além de focar nesse assunto, o ambiente de trabalho muda de estilo e passa a ver pessoas diferentes, com pensamentos diferentes e formas de viver diferentes. Tudo isso deixa o local mais plural e poderá ter discussões sobre a empresa ou setor que trabalha com discussões mais amplas e visões de mundo distintas.

Antes de mais nada, é preciso saber capacitar e dar o treinamento correto para o colaborador que está entrando, sabendo que a empresa está trabalhando na inclusão, nem todos os funcionários terão os mesmos conhecimentos e jeitos de pensar. Por isso, investir em capacitação e treinamento é a solução para todos fiquem no mesmo nível de conhecimento sobre sua função.

Mesmo com toda a inclusão, o ambiente de trabalho precisa passar por mudanças, os gestores deverão fazer alterações caso tragam algum funcionário de mais idade ou com PCD. Por isso, deixar o ambiente mais inclusivo, com catracas, escadas, corrimão que favoreçam esse colaboradores vai deixar esses funcionários mais felizes pelo tratamento.

Se gostou do tema e ele te ajudou a entender como funciona a inclusão social nas empresas, continue acompanhando o  blog da PontoTel, e compartilhe este conteúdo com seus colegas!

otimize seu controle de ponto e ganhe tempo para sua gestão

Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima