Carta de recomendação: entenda a importância de ter referências

imagem de um homem digitando em um computador

Se você está à procura de uma nova colocação no mercado de trabalho, ou deseja ingressar em algum curso de especialização para a sua carreira, a carta de recomendação pode ser uma forma de agilizar essas oportunidades. 

De acordo com a pesquisa de Verificação de Referência realizada pela SkillSurvey, 86% dos empregadores apontaram que preencher as verificações de referência antes de oferecer uma oferta de emprego, é uma das etapas mais importantes no processo de contratação, ficando atrás apenas da entrevista dos candidatos.

E para te ajudar a entender um pouco mais sobre o assunto, reunimos um conteúdo com as principais informações que você deve saber a respeito da carta de recomendação. Aqui você aprenderá:

Boa leitura!

banner descubra a taxa de absenteismo

O que é uma carta de recomendação?

imagem de um homem sentado escrevendo em um caderno

Explicando simplificadamente, a carta de recomendação é um documento que atesta as competências e habilidades de uma pessoa. 

A carta de recomendação serve para referenciar alguém para algum serviço ou curso, e, é normalmente escrita por pessoas que já empenharam ou acompanharam a performance da pessoa recomendada em suas atividades.

Normalmente, uma carta de recomendação é escrita por supervisores, líder de equipe, colegas de trabalho, clientes, e professoras. 

Para que ela é utilizada?

A  principal função de uma carta de apresentação é demonstrar as habilidades de uma pessoa, e isso acontece por meio das descrições que outras pessoas fazem, recomendando o profissionalismo ou a capacidade da pessoa recomendada.

No geral, podemos dizer que a carta de recomendação serve como uma espécie de “certificação”, já que ali constam informações que atestam o quanto um currículo é verdadeiro, no que diz respeito às formações do profissional.

Qual a importância de uma carta de recomendação?

Quando um recrutador abre um processo de seleção, é necessário filtrar candidatos que se enquadrem na colocação oferecida. Sendo assim, é papel do selecionador analisar não apenas os conhecimentos técnicos dos profissionais que se candidatam à vaga, mas também seus comportamentos e atitudes.

Trata-se de uma avaliação minuciosa de softs e hards skills, para que assim se determine qual o candidato mais se alinha com as necessidades e princípios da empresa no momento da contratação. 

É exatamente nesse momento em que tudo é avaliado, e os recrutadores checam informações como: certificações, comprovação de experiências, e competências. Algumas dessas coisas podem ser avaliadas em provas e dinâmicas, outras, precisam ser checadas com fontes de credibilidade.

É aí que entra a checagem da carta de recomendação. Muitos profissionais solicitam que seus ex-companheiros de trabalho façam uma carta de apresentação, pois, elas passam credibilidade e asseguram mais competência aos profissionais.

A carta de recomendação faz parte do outplacement?

Para quem não sabe, o outplacement é um método utilizado por empresas, para humanizar o processo de demissão de funcionários, no intuito de ajudar os profissionais desligados a conseguirem se recolocar no mercado de trabalho rapidamente.

Nesse processo de outplacement, o RH das empresas costuma oferecer suporte para que o momento do desligamento dos profissionais não seja doloroso, e, para isso, auxiliam os trabalhadores na preparação de currículos, na indicação de vagas, e também com a elaboração de cartas de recomendação.

Quem pode escrever uma carta de recomendação?

Qualquer pessoa que tenha tido um contato direto com a pessoa recomendada, pode escrever uma carta de recomendação, e isso inclui: colegas, professores, líderes, supervisores, e até gestores do departamento de Recursos Humanos de um emprego antigo, curso ou estágio.

Ainda assim, é fundamental ser analítico na hora de escolher uma pessoa para escrever uma carta de recomendação, isso porque, é importante considerar quais foram as vivências que essa pessoa pode descrever, como ela via suas competências, e como era a relação, em todos os quesitos.

O ideal é que uma carta de recomendação seja escrita por um profissional que:

  • esteja familiarizado com o seu trabalho;
  • tenha um bom relacionamento com você;
  • desempenhe alguma posição de autoridade no seu antigo emprego;
  • e tenha uma boa reputação.

O que precisa ter em uma carta de recomendação?

imagem de um homem sentado digitando em um computador

Assim como um currículo é composto por tópicos importantes, como formações, trabalhos antigos e habilidades, uma carta de recomendação também necessita destacar alguns pontos. Confira a seguir os principais:

Atividades desempenhada pelo profissional

É fundamental que uma carta de recomendação contenha as informações básicas sobre atividades desempenhadas pela pessoa recomendada, afinal, a principal função desse tipo de carta é recomendar alguém para um trabalho.

Habilidades do profissional

As habilidades técnicas também devem compor a carta. Nesse ponto, o autor irá confirmar os conhecimentos profissionais citados anteriormente pelo candidato e atestados durante a prática em atividades anteriores. 

Habilidades interpessoais

É importante que uma carta de recomendação também possua informações sobre habilidades interpessoais, a fim de descrever as características que contribuem para a postura ética e um bom relacionamento interpessoal ao interagir com outros colaboradores, clientes, gestores e para trabalhos em equipe.

Nome e cargo de quem está recomendando

Nas partes finais da carta, é essencial que quem está escrevendo uma carta de recomendação informe seu nome completo e cargo, dessa forma ficará evidente qual era a relação do recomendante para com o recomendado.

Contatos

Outra informação que deve compor uma carta de recomendação, é um contato ativo da pessoa que está realizando tal recomendação. Isso ajuda, caso a empresa que receber a carta queira ter mais detalhes sobre a pessoa recomendada, conseguindo contatar facilmente o recomendante.

Dicas de como fazer uma carta de recomendação

Existem várias dicas que podem ser seguidas por alguém que vá cunhar uma carta de recomendação, dentre essas dicas, podemos citar brevemente: manter-se positivo, usar um formato padrão de carta, se concentrar nas qualificações que sejam importantes para a vaga a qual o profissional será recomendado.

Além dessas dicas básicas, existem aquelas que precisam ser observadas com mais cuidado, por serem mais relevantes, dentre essas estão:

Seja breve

A possibilidade do contratante desistir de ler uma carta de várias páginas é alta. O gestor de contratação ou a pessoa que receber a carta deseja saber quem você é, como conhece o candidato e o motivo de o está recomendando, nada mais.

Sendo assim, quanto mais breve e direta for a carta de recomendação, melhor. 

Mantenha a formalidade

Manter a formalidade e escrever em norma culta é indispensável. Essa dica é uma maneira de trazer maior credibilidade nas informações descritas na carta, e até mesmo maior segurança para quem irá ler.

Por isso, a não ser que o profissional recomendado tenha hábitos mais despojados, e tenha interesse em trabalhar em ambientes sem a preocupação com formalidades, como uma agência de publicidade e marketing, é essencial manter a formalidade.

Redija no computador

Vivemos uma era digital, e, apesar de muito credível, não é mais comum que recrutadores recebam cartas de recomendação escritas a mão, por isso, uma carta em formato digital, que seja enviada via email é muito mais recomendado nos dias de hoje.

Claro que existe a possibilidade de imprimir a carta e entregá-la em mãos, mas, pensando em sustentabilidade, é muito melhor mandar a carta em PDF para o recrutador, do que andar por aí com uma pastinha cheia de papéis.

Assine todas as versões

Seja online ou impressa, não se esqueça de assinar. A assinatura garante a autenticidade da carta de recomendação, ou seja, não importa que a assinatura seja digital ou a caneta, o importante é ela constar na carta de recomendação.

Diferença entre carta de recomendação e carta de apresentação

A carta de apresentação é um modelo de escrita que apresenta você à pessoa que está trabalhando no recrutamento e seleção de profissionais para determinado cargo. Assim como a carta de recomendação, ela também apresenta as competências técnicas e pessoais do candidato.

Apesar disso, a diferença se encontra em quem escreve. O modelo de recomendação é escrito por terceiros, enquanto a de apresentação é desenvolvida pelo próprio profissional que deseja concorrer a vaga.

Outros tipos de carta de recomendação

imagem de uma pessoa sentada segurando folhas de papel

Apesar da tradicional carta de apresentação ser o mais comum, existem outros tipos de carta de recomendação que estão se popularizando com o passar dos anos. Confira a seguir alguns desses novos modelos.

Depoimento no Linkedin

O LinkedIn é uma rede social muito conhecida para divulgar o currículo de maneira totalmente virtual, encontrar vagas de emprego e obter um networking mais profissional.

Muito utilizado por recrutadores de talentos e líderes de grandes negócios, uma das principais vantagens é a possibilidade de fornecer depoimentos como recomendação de terceiros acerca das características, habilidades e qualificações do perfil visitado. 

Ao analisar essas recomendações recebidas, o gestor do processo de seleção pode avaliar com quem aquele profissional já teve contato, como foram essas experiências compartilhadas, assim como os resultados que ele gerou no local por onde passou.

Recomendação acadêmica

A recomendação acadêmica é muito utilizada para alunos que desejam garantir uma melhor colocação em processos educacionais como programas de intercâmbio, curso de graduação, pós-graduação, mestrado ou doutorado, e até a garantia de uma bolsa de pesquisa. 

Ao ter uma carta de recomendação escrita por um professor ou mentor, as chances de se obter destaque durante a triagem de perfis se tornam ainda maiores.  

Modelo de carta de recomendação

Imaginando que você é um profissional que precisa fazer uma carta de recomendação para alguém, saiba que para ser considerada uma carta de recomendação, é essencial que esse documento contenha:

  • Uma breve introdução que indique quem você é, seu relacionamento com o candidato e sua experiência pessoal ou especialização.
  • Uma visão geral dos pontos fortes do candidato, pessoal e técnica, como isso foi apresentado durante a vivência compartilhada entre vocês, e como elas se relacionam com a vaga do destinatário.
  • Uma declaração de encerramento que resuma por que a pessoa que você está recomendando seria uma boa opção para a oportunidade em questão.
  • Uma assinatura que inclui seu nome e informações de contato.

Além disso, você pode revisar a descrição do trabalho, para entender o que o recrutador e a empresa estão procurando no candidato. Através dessas informações, você pode se orientar melhor naquilo que deve ser incluído na carta.

Conclusão

Durante a leitura vimos o quanto uma carta de recomendação pode se tornar um grande diferencial durante a participação de candidatos em processos seletivos e programas acadêmicos. 

Essas cartas podem ser escritas por quaisquer pessoas que tenham tido algum tipo de contato direto de trabalho ou estudo com a pessoa recomendada, e, por meio dessa recomendação é possível ajudar profissionais a conquistar empregos ou ascender em suas carreiras.

É fundamental que uma carta de recomendação seja escrita com base na verdade, honestidade e experiências profissionais, pois, somente dessa forma ela refletirá a realidade, e realmente ajudará a pessoa recomendada.

Gostou de aprender o que é e como escrever uma carta de recomendação? Esperamos que as informações que compartilhamos aqui tenham sido úteis para você.

Para receber mais textos como este, assine a newsletter do blog do PontoTel, assim você fica sempre por dentro dos principais assuntos relacionados a RH.

banner pontotel acompanhamento em tempo real
Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima