Entenda como funciona o modelo de gestão democrática e quais as vantagens para as empresas!

imagem de três pessoas em um círculo juntando as mãos no centro

O modelo de gestão de pessoas adotado nas empresas é um dos principais fatores para os resultados de um negócio. Para que os colaboradores tenham motivação, é importante que o formato escolhido agrade a maioria dos profissionais e, principalmente, que seja bem aplicado por todos: líderes e liderados.

Desenvolvida para o ambiente escolar, a gestão democrática tem ganhado espaço, especialmente, em empresas mais modernas ou com um quadro de funcionários mais jovens. Nela, o poder de decisão é dividido com toda a equipe e não fica concentrado apenas na liderança, aumentando a autonomia e motivação dos profissionais.

Isso não significa que não haja uma hierarquia dentro da companhia, mas, existe uma maior participação de todos os colaboradores na tomada de decisão estratégica. 

Este artigo irá abordar os principais detalhes sobre a gestão democrática e como funciona a democracia nas empresas. Você vai aprender:

Está interessado? Então, continue a leitura!

banner frequência de funcionários

O que é gestão democrática?

A gestão democrática é um conceito que nasceu no ambiente escolar, para atender as diferentes demandas de aprendizado. A ideia principal é que todos os grupos envolvidos (pais, alunos, professores e outros colaboradores das instituições de ensino) possam opinar sobre o formato do aprendizado, incluindo modelos de avaliação. O objetivo é que o processo de aprendizagem seja benéfico para a maioria dos alunos. 

No ambiente corporativo, a prática é parecida e busca envolver todos os integrantes da equipe na tomada de decisão e/ou criação e desenvolvimento de novos projetos. A gestão participativa ou horizontal (outras nomenclaturas para o modelo) propõe a responsabilidade compartilhada, independentemente do cargo ocupado pelo profissional. 

Como funciona?

imagem de cinco pessoas sentadas ao redor de uma mesa olhando para uma mulher em pé na frente deles apontando para um quadro branco

Como citado anteriormente, na gestão democrática, existe uma participação compartilhada. Entretanto, a presença do líder ainda é primordial e ele é o principal responsável pelo sucesso deste modelo de gestão de pessoas

É o líder da equipe quem orientará os liderados para a construção de um ambiente organizado de diálogo. Além disso, a motivação dos colaboradores e o desenvolvimento da autonomia depende de como o gestor irá aplicar a liderança democrática. 

Principais características de uma gestão democrática

A gestão democrática e participativa tem algumas características essenciais para o seu sucesso. Entre elas estão:

Participação de todos os membros da equipe

O envolvimento de todos os colaboradores de um time nos projetos é indispensável no estilo de gestão democrática. Cada um deve entender seu papel e responsabilidade para o sucesso do negócio. 

Poder de decisão descentralizado

Apesar de ser o líder o detentor da palavra final, a gestão democrática prevê que toda a equipe seja ouvida antes da tomada de decisão. Entender a opinião de todos os colaboradores e levar em consideração o que cada um tem a dizer é a principal característica da democracia empresarial. 

Transparência entre os envolvidos

Se todos os profissionais possuem voz ativa na gestão democrática, é primordial que haja transparência nas relações. Saber o que está acontecendo na empresa, qual a situação do negócios e quais são os riscos envolvidos em cada projeto é direito de todos para que a decisão tomada esteja adequada à realidade da companhia. 

Caso isso não ocorra, é bem provável que os impactos sejam negativos ao negócio. Não existe gestão democrática sem o princípio da transparência.

Quais as vantagens de adotar esse modelo de gestão nas empresas?

Existem muitos benefícios da adoção da democracia nas empresas. A integração entre os colaboradores é um deles. O modelo exige que os profissionais de diferentes áreas e funções tenham que atuar em conjunto, trocando informações a todo tempo. 

Outro ponto importante é a motivação, engajamento e a sensação de pertencimento à empresa. 

Ao fazer parte da tomada de decisão, os colaboradores sentem que são valorizados pela companhia e, assim, ficam mais motivados para a realização das suas tarefas. Além disso, aumenta a sensação de fazer parte da companhia, o que colabora até com a construção do employer branding

A melhora da produtividade também é uma das vantagens da gestão democrática. De maneira geral, os funcionários entendem e aceitam a decisão da liderança e, por isso, possuem mais foco na execução das demandas, pois sabem da sua importância. Adicionalmente, a integração das equipes também facilita a rotina da empresa. 

Sem dúvida alguma, outro benefício deste modelo de gestão de pessoas é a proximidade entre líderes e liderados. A relação de confiança entre eles é construída mais facilmente e baseada na transparência entre as partes.

Como implementar o estilo de gestão democrática nas empresas?

imagem de quatro pessoas sentadas ao redor de uma mesa em um escritório

Mesmo que tenha muitos benefícios, a gestão democrática não é para todas as empresas, por isso, antes de implementá-la na sua companhia, é necessário estudo e planejamento. É importante conhecer, primeiramente, a origem da empresa e o setor em que está inserida.

Muitos segmentos são extremamente burocráticos, com muitas regulamentações, e, talvez, a tomada de decisão descentralizada possa gerar problemas no futuro. Se esse for o caso do seu negócio, talvez a gestão democrática não seja o melhor caminho.

É essencial também conhecer a cultura organizacional. Muitas companhias têm enraizadas em sua essência a importância da hierarquia. Entender se a democracia empresarial será bem aceita pelos colaboradores é importante.

Por fim, conhecer os seus líderes é outro passo indispensável. A liderança democrática traz muitos desafios e é preciso que estes profissionais estejam preparados para a escuta ativa para a tomada de decisão compartilhada. Líderes muito tradicionais terão dificuldades em implementar a democracia empresarial. 

O que se espera de líderes democráticos?

A gestão democrática é desafiadora para os líderes das equipes. Os gestores não devem apenas estar preparados para a tomar decisões importantes e orientar suas equipes. Suas obrigações são ainda maiores dentro da democracia nas empresas. 

Espera-se que esses líderes encorajem os colaboradores a desenvolver habilidades e competências, sejam bons ouvintes para entender o que a equipe espera dele ou o que deseja para um projeto e, principalmente, aceitem bem críticas e sugestões da equipe. 

A capacidade de relação interpessoal do líder democrático é essencial, afinal, todo o tempo ele terá que ouvir a opinião dos profissionais para depois fazer a escolha ideal para cada projeto. A gestão democrática está ligada, principalmente, a dois objetivos principais: unir as equipes e engajá-las. 

Quais os impactos de uma gestão democrática e participativa?

A gestão democrática e participativa pode ter muitos impactos positivos na empresa, como a melhora da produtividade e, consequentemente, dos resultados financeiros do negócio. Porém, os benefícios podem ir além. 

Funcionários mais motivados tendem a permanecer mais tempo em um mesmo emprego, por isso, a taxa de turnover pode diminuir. Esse índice é importante para a equipe de recursos humanos, pois ajuda na retenção e atração de talentos

O estilo de gestão democrática também pode melhorar o clima organizacional ao incentivar a colaboração entre os funcionários e diminuir o aspecto de competição, que há anos existe nas empresas. Neste modelo, todos sabem a importância do trabalho do outro para alcançar o objetivo final. 

Papel do RH na gestão democrática

O time de recursos humanos tem um papel muito importante na gestão democrática, desde a implementação até a manutenção do formato. 

São esses profissionais que poderão identificar e entender o perfil dos colaboradores da companhia, antes de indicar o modelo para a companhia. Depois de implementada, será o ponto de apoio da liderança para a gestão de pessoas. 

Acompanhar o desenvolvimento de cada profissional, analisar as dificuldades e os gargalos nos processos e entender como a empresa pode auxiliar os funcionários no processo de autoliderança e criação de autonomia. 

Sem o suporte e o acompanhamento da equipe de RH, a gestão democrática pode trazer problemas para o negócio. 

Conclusão

imagem de um grupo de pessoas em círculo conversando

A gestão democrática é um modelo de gestão de pessoas que tem conquistado espaço nas empresas, principalmente, pelos benefícios oferecidos ao negócio. O ganho de produtividade e aumento da motivação dos profissionais são algumas vantagens da democracia empresarial.

Nela, a tomada de decisão é compartilhada entre todos os membros da equipe e o líder deve incentivar o engajamento e participação dos colaboradores em todas as etapas de cada projeto. 

Os desafios para os líderes democráticos são muitos, pois é essencial que cada membro da equipe entenda seu papel e o execute corretamente, senão todo o trabalho é prejudicado. Por isso, a liderança precisa encorajar seus liderados e ser transparente com a equipe, além de ter o RH como ponto de apoio.

A gestão democrática tem ainda o potencial de melhorar o ambiente corporativo, pois incentiva a integração das equipes e faz com que os profissionais se sintam valorizados. Entretanto, nem todas as companhias irão se beneficiar do modelo moderno de gestão e a adesão deve ser estudada com cautela.

Quer saber mais sobre gestão de pessoas? Confira os artigos do blog do PontoTel e aprenda mais sobre o tema.

software controle de ponto reduz processos operacionais

Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima