Entenda o que é uma governança trabalhista, seus pilares e objetivos!

Ainda que diversos empresários e empregadores saibam o que a palavra governança significa para um negócio e como ela é importante para que as coisas funcionem dentro da companhia, muitos continuam enfrentando inúmeros problemas por não compreenderem a governança trabalhista. 

Isso porque, embora pareça ser uma ferramenta fácil de ser aplicada e entendida de uma forma geral, ela tem diversos pilares que precisam ser colocados em prática corretamente para que assim a empresa possa otimizar resultados e reduzir futuros conflitos nas relações trabalhistas. 

Por isso, é de suma importância que os donos de negócios e o RH das companhias conheçam e entendam como essa técnica funciona na prática e, como isso pode ajudar no dia a dia da empresa quando usada da forma certa. 

Pensando nisso, neste artigo, falaremos sobre os principais pilares da governança trabalhista. Mostraremos como ela realmente funciona nas empresas e quais são os seus objetivos. 

Veja o que abordaremos aqui: 

Acompanhe a leitura!

banner chega de utilizar mais de um sistema para fechamento

O que é governança?

Dentro de uma empresa, a governança pode ser definida como uma soma de ações que apontam as responsabilidades de cada um ali dentro e ao mesmo tempo ajudam a desenvolver os processos para que as decisões certas sejam tomadas sem que causem prejuízos.

Neste caso, a governança não é apenas exercer autoridade e governar, mas também saber liderar toda uma equipe e fazer com que todos saibam trabalhar em conjunto para que os projetos possam ser finalizados mais rápidos sem perder a qualidade.

Na visão empresarial, podemos explicar usando o seguinte exemplo: quando você tem um gerente ou presidente, você está escolhendo um profissional em quem confia plenamente para cuidar dos negócios e trazer melhorias duradouras que beneficiem toda a companhia e os funcionários que ali estão.

Contudo, para que isso ocorra, esse colaborador precisa ter um ambiente organizado e bem estruturado para trabalhar, onde também tenha uma boa comunicação entre o RH com as outras partes da empresa.

Governança trabalhista: conceito

imagem com foco em uma mulher de roupa social ao centro conversando com 2 pessoas

Como já dissemos antes, a governança é uma ferramenta muito importante na gerência e gestão de riscos de qualquer empresa. 

Sendo assim, o conceito de governança trabalhista é um misto de ações que normalmente são feitas para monitorar as relações de trabalho e também identificar os conhecidos passivos para potencializar resultados e diminuir conflitos dentro de uma companhia.

Em que conceito ela foi criada?

Ainda que não seja um assunto muito discutido, a governança foi criada com o intuito de minimizar os conflitos e os danos trabalhistas que uma empresa pode sofrer, caso não esteja baseada nos pilares dessa ferramenta. 

Por isso, o maior conceito dessa técnica é disseminar a inclusão de boas práticas em todos os trabalhadores e também nas organizações de modo geral.

Quais são os objetivos da governança trabalhista?

Resumidamente, governança trabalhista é um misto de ações que são realizadas pela companhia para prevenir ou controlar passivos trabalhistas e ao mesmo tempo melhorar seu desempenho.

Sendo assim, mais especificamente, essa ferramenta ajuda a combater todos os tipos de passivos trabalhistas. Por isso é importante lembrar que desde que a Lei 12.846/2013, Lei Anticorrupção ou Lei da Empresa Limpa, entrou em vigor em 2014, as empresas têm obrigação de se adequar e elaborar programas que garantam que as legislações sejam cumpridas como devem ser.

Além disso, a companhia também deve introduzir o código de conduta e canais de denúncia, com o intuito de promover um comportamento mais íntegro e honesto entre os funcionários do local que ali trabalham.

Os pilares da governança trabalhista

imagem de uma mulher ao centro de uma sala falando para outras mulheres

Como já foi dito anteriormente, a governança trabalhista também significa andar lado a lado com a lei e estar em conformidade com ela, com as normas e regulamentos determinados pela CLT.

Portanto, esse método é utilizado para garantir que a empresa cumpra as normas que a ela foram impostas. Contudo, ao mesmo tempo, essa ferramenta visa prevenir riscos, conflitos judiciais e até mesmo outras situações que possam prejudicar a relação entre o funcionário e o empregador, seja ela qual for.

Contudo, além de entender isso tudo, a companhia também deve entender que precisa implementar e usar os pilares da governança trabalhista da forma correta. Por isso, nós vamos falar sobre os principais aqui: 

Compliance

O compliance trabalhista é de suma importância para todas as empresas. Isso porque, no ambiente corporativo, compliance está diretamente relacionado à conformidade de toda a companhia. 

Isso significa que todos os colaboradores daquele local devem estar devidamente alinhados às regras da empresa e elas devem ser observadas e cumpridas atentamente sem erros.

Contudo, é claro que essas regras mudam e variam conforme as atividades que são desenvolvidas pela empresa. É fundamental ressaltar que elas vão muito além de casos de corrupção ou fiscais. 

Monitoramento da prestação de serviço 

Ao contrário do que muitos empregadores imaginam, o monitoramento das prestações de serviços é algo que deve ser feito e nunca deve ser deixado de lado. Na verdade, realizar uma revisão do que foi feito é bom para ambos os lados, assim erros não acontecerão mais. 

Para que isso aconteça sem que a empresa tenha problemas, mantenha um canal de comunicação transparente e aberto para seus clientes e funcionários.

Embora o ideal é que não haja reclamações, é importante que caso elas aconteçam, sejam respondidas o mais rápido possível e sem espera. Já na hora do atendimento, evite desculpas, ouça com atenção o consumidor e apresente soluções ágeis e de qualidade.

Gestão de recursos humanos

É claro que não podemos esquecer da tão conhecida gestão de pessoas ou gestão de recursos humanos, já que é uma parte tão importante da companhia e faz parte dos pilares da governança trabalhista.

Além de solucionar problemas, o RH também é o responsável por assegurar a eficácia da relação burocrática entre a empresa e os funcionários.

Entretanto, ele não é só isso. Ele também visa o crescimento organizacional por meio de colaboradores talentosos, integrados e que estejam motivados a atingir objetivos. 

Treinamento

O treinamento também é uma parte muito importante para todos os colaboradores e a empresa deve entender o quanto isso é fundamental. 

Por isso, é essencial que práticas como essas sejam realizadas periodicamente com toda a equipe, para que assim todos estejam ligados nas tecnologias e saibam como resolver problemas sem que precisem de ajuda.

Treinamentos tem o intuito de disseminar a cultura ética dos negócios, estabelecer condutas, e também gerar mais conhecimento para os profissionais, ressaltando consequentemente os dons dos colaboradores.

Prevenção de riscos

imagem de um homem empilhando blocos de madeira

A prevenção de riscos ou o mapeamento das ameaças internas e externas aos quais a empresa está exposta devem ser considerados, levando sempre em conta a legislação e as normas internas da companhia.

Se a empresa tiver os métodos e técnicas apropriados, é possível que ela consiga identificar os obstáculos com antecedência e até mesmo evitá-los e oferecer soluções estratégicas que possam tirar o negócio daquela situação. 

Gestão de terceirização

Já não é mais novidade para ninguém que cada vez mais companhias utilizam serviços terceirizados dos mais variados setores. Por isso, atualmente, todas as atividades podem ser terceirizadas, como até mesmo o recursos humanos, por exemplo. 

Contudo, é preciso realizar a gestão da terceirização de maneira adequada para aperfeiçoar os resultados, garantir a eficiência do negócio e minimizar os custos, mas sem perder a qualidade do produto final.

Para quem não sabe, um dos principais intuitos da terceirização é fazer com que a empresa possa concentrar seus esforços apenas em sua atividade principal, para que assim ela alcance suas metas mais rápido e sem distrações.

Canais de denúncia 

Ainda que muitas empresas tenham receio de implementar canais de denúncia, é por dentro de canais como estes que a companhia poderá investigar realmente relatos de possíveis violações de normas, desvios de conduta, entre outros.

Por isso, assim que tudo for devidamente apurado pelos responsáveis, a empresa poderá adotar as medidas que forem cabíveis. 

Vale dizer que o canal não tem só o objetivo de averiguar denúncias. Ele também é posto em prática com intuito de investigar condutas graves, como, por exemplo, o assédio moral. O que pode gerar muitos problemas para a empresa se não for devidamente investigado.

O que é governança corporativa?

Assim como a governança trabalhista, a governança corporativa também visa trazer melhorias para as companhias. Por isso, ela é um sistema que traz um conjunto de processos utilizados para dirigir, monitorar e incentivar as empresas. 

Desse modo, ela integra diversas áreas que são consideradas fundamentais, como relacionamento entre sócios, diretoria, conselhos de administração, órgãos de fiscalização, órgãos de controle, entre outros.

Contudo, ainda assim é preciso estar sempre atento às leis, normas, costumes e processos, para que assim o sistema funcione adequadamente e possa trazer eficiência e transparência para a gestão de modo geral.

É importante mencionar que a governança corporativa tem alguns princípios básicos, como:  transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa. Para entender melhor isso, vamos falar sobre cada um deles.

Transparência

Aqui, a transparência visa estabelecer respeito e criar um relacionamento transparente entre todos os envolvidos naquele negócio, ou seja, gestão, sócios, colaboradores, fornecedores, entre outros.

Nesta área é preciso ir além da publicidade que é exigida pela lei. Sendo assim, o foco não deve ser divulgar apenas o que a legislação ou regulamentos específicos dizem. 

Já que, para que a empresa tenha uma gestão transparente e totalmente acessível, as divulgações não devem tratar somente de um tema e devem englobar tudo que faça parte da companhia, fazendo com que todos possam conhecê-la e criar um vínculo. 

Desse modo, os processos, valores, costumes e decisões também precisam ser todos baseados neste mesmo conceito. 

Também é essencial a abertura ao diálogo, entre os colaboradores e as demais áreas da empresa, para que as ideias e expectativas sejam todas esclarecidas. 

Equidade

Equidade significa igualdade, então, esse princípio define que todas as partes que estão envolvidas devem ser tratadas de maneira igual, sem que haja privilégios para alguns, enquanto isso não acontece para os outros. 

Isso tem a finalidade de trazer mais equilíbrio para os relacionamentos internos e externos do negócio. Contudo, é bom ressaltar que isso deve sempre ser aplicado considerando fatores individuais de cada um, como: tarefas, direitos, necessidades e objetivos. 

Então, para que tudo seja feito da maneira correta é crucial conhecer as pessoas que fazem parte da rotina organizacional e idealizar uma cultura que seja clara para todos, que estabeleça hierarquias, mas que também facilite o relacionamento entre as partes.

Prestação de contas

Este princípio impõe que os agentes que são responsáveis pela governança corporativa devem fazer a prestação de contas referentes às suas atividades e atos, de forma clara, compreensível e coesa. 

Aqui também é exigido que esses funcionários assumam sempre as suas falhas. Da mesma maneira como as consequências de atos e omissões caso cometam envolvendo a empresa. 

Eles devem sempre ter dedicação ao cumprir suas responsabilidades. Embora seja complicada, a aplicação desse princípio é fundamental para reduzir as desconfianças, diminuir e até mesmo acabar com os abusos de autoridade dentro da companhia.

Responsabilidade corporativa 

O último princípio não é nada mais, nada menos do que a responsabilidade corporativa, que tem como principal foco zelar pela econômico-financeira do negócio, para que a situação seja sempre boa e acima do esperado. 

Por isso, esses colaboradores são encarregados de reduzir as repercussões negativas relacionadas à empresa e trabalhar para que as positivas superem as negativas, para que a imagem do negócio não fique manchada. 

Tendo isso em mente e com um bom desenvolvimento, é possível reduzir riscos e prejuízos que a companhia possa vir a correr.

Qual é a relação entre governança trabalhista com a corporativa?

imagem com pessoas trabalhando em cima de uma mesa clara

Assim como a governança trabalhista, a corporativa ajuda na avaliação de riscos e desenvolvimento de estratégias, visando sempre criar e trazer mais valor para o negócio, além de gerar satisfação entre ambas as partes, seja entre, colaborador, cliente ou empregador.

Qual a relação entre RH e a governança trabalhista?

Como já foi mencionado, o RH é uma parte fundamental na hora da implementação de boas práticas de governança trabalhista e contribui ativamente para a formação e o engajamento dos colaboradores.

Ainda que muitas pessoas não notem, a relação dessas duas áreas podem ser percebidas mais facilmente, quando a companhia realiza o desenvolvimento de competências e habilidades nos indivíduos. 

Isso porque, práticas como essas exigem que todos conheçam os alinhamentos e os objetivos da empresa, o que, de certa forma, está diretamente ligado à gestão de pessoas.

Então, enquanto a governança ajuda a conduzir as relações entre os colaboradores de uma empresa, o RH deve participar ativamente desse processo, fazendo com que todos mantenham sempre uma comunicação clara.

Como os resultados da organização dependem exclusivamente sempre de como é feita a gestão de pessoas dentro de cada empresa, a área de recursos humanos tem um papel estratégico específico nos negócios em que atua. 

Desse modo, eles são fundamentais para desenvolver um modelo de gestão alinhado às metas que a empresa espera alcançar, além de analisar os riscos que a companhia está correndo ou pode correr no futuro.

Conclusão

Neste artigo, falamos sobre o que é a governança trabalhista, como ela funciona na prática, mostramos quais são as vantagens de implementar essa ferramenta na sua empresa e também explicamos como isso pode melhorar a comunicação entre os seus funcionários, além de minimizar os riscos do seu negócio. 

Por isso, não tenha medo de investir nessa prática, que como dissemos, tem o objetivo de otimizar os resultados da sua companhia e reduzir quaisquer futuros conflitos trabalhistas que possam surgir no meio do caminho.

Gostou do nosso conteúdo? Então, nos siga no instagram e acompanhe nosso blog, o qual atualizamos diariamente sobre assuntos de RH, gestão de pessoas, gestão empresarial, controle de ponto e muito mais!

Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima