Trabalho remoto: como funciona, principais vantagens e como aderir na empresa!

imagem de uma mulher fazendo anotações em frente ao computador

Com a transformação digital, toda a sociedade se reinventou de diversas maneiras. E o trabalho remoto foi uma das reinvenções mais impactantes que modificou por completo a nossa rotina.

A melhor parte é que não se trata de uma tendência passageira: empresas no mundo inteiro já têm aderido — e aprovado — esse conceito. Pouco mais de 15% das organizações já trabalham dessa maneira, por exemplo. E 52% de todos os trabalhadores já experimentam integral ou parcialmente uma rotina em home office.

Por isso, mesmo que você ainda não saiba o que é trabalho remoto ou esteja pensando em adotar um modelo de trabalho híbrido ou integralmente à distância, este post foi feito para você. Afinal, nos próximos tópicos vamos tratar dos seguintes assuntos:

Informação de sobra, então, para você entender como funciona o trabalho remoto e aprender a avaliar a possibilidade de implementá-lo na sua rotina corporativa. Acompanhe-nos nesta leitura!

O que é trabalho remoto?

O trabalho remoto é um modelo que foge das estruturas tradicionais e rígidas de um local de trabalho e dá mais liberdade geográfica para os colaboradores, que podem, por exemplo, trabalhar de um escritório domiciliar ou até mesmo utilizar os populares coworkings, que acomodam muito bem profissionais autônomos ou empresas inteiras para o modelo de trabalho remoto. 

Trata-se, então, da possibilidade de exercer a sua atividade profissional independentemente de onde você esteja. Para isso, uma série de ferramentas tecnológicas pode contribuir para que esse processo seja realizado sem problemas.

Além disso, novas estruturas têm sido idealizadas para garantir que essa ideia seja ainda mais proveitosa para a empresa e também para os seus colaboradores.

Bom exemplo disso é a ausência de uma hora fixa de trabalho. Isso não é uma regra, é claro, mas cada vez menos as empresas exigem uma jornada rígida das 9h às 18h, por exemplo. 

O próprio colaborador tem autonomia para montar a sua escala de trabalho, desde que isso não interfira na qualidade e tampouco no cumprimento de prazos, prejudicando o fluxo produtivo.

E mesmo que a sua empresa necessite de uma escala de trabalho controlada, soluções como o registro de ponto no computador e o ponto por aplicativo já são uma realidade também.

O que diz a CLT sobre o modelo de trabalho remoto?

No trabalho presencial ou no trabalho remoto, a sua atividade profissional está protegida pela lei trabalhista. Especialmente, após a Reforma Trabalhista de 2017, que reconheceu o trabalho remoto entre os modelos corporativos assim como o contrato de prestação de serviços para trabalhadores autônomos — lembrando que nada consta, especificamente, a respeito do home office dentro das considerações da CLT, atualmente.

Ambos agregaram em flexibilidade e outros benefícios para as empresas e os profissionais — falaremos disso adiante — e pavimentaram o caminho para que organizações de todos os portes e de diversos segmentos de atuação pudessem experimentar esse modelo de trabalho à distância.

Inclusive, no mesmo ano em que a Reforma Trabalhista foi publicada, a pesquisa O Futuro do Trabalho já apontou que quase 35% dos participantes tinham como intenção implementar — ou ao menos experimentar — o trabalho à distância em suas respectivas empresas.

Como funciona o trabalho remoto na prática?

Na prática, você pode trabalhar de qualquer lugar e, inclusive, tem a flexibilidade de ser um profissional com registro CLT, um prestador de serviço pontual ou atuar como freelancer.

Isso traz também, flexibilidade para a empresa decidir o modelo de trabalho bem como as burocracias envolvendo o modelo de contratação. O que não exclui a obrigatoriedade do contratante de seguir as leis trabalhistas independentemente do tipo de contrato realizado.

Quais as diferenças entre trabalho remoto e home office?

Você deve ter percebido, até aqui, que o trabalho remoto e o home office parecem não ter distinções entre si. Acontece que algumas características permitem a diferenciação de ambos.

Por exemplo: o trabalho home office exige que o seu funcionário esteja, necessariamente, trabalhando de casa. Afinal, essa pode ser uma medida esporádica ou fixa, mas que exija da empresa o envio e/ou pagamento de itens e serviços para um endereço residencial.

Pois é comum, entre os benefícios do home office, o pagamento integral ou parcial de um auxílio financeiro para o pagamento da conta de energia elétrica e/ou de internet. Sem falar que a organização também pode enviar computadores, smartphones e outros itens de escritório para os funcionários.

O mesmo não se aplica, necessariamente, para o trabalho remoto. Afinal de contas, já esclarecemos que esse conceito é mais abrangente. Isso significa que o profissional pode prestar o serviço na mesma cidade, em outro estado, em um fuso-horário inteiramente oposto ao da empresa ou cada dia em um endereço diferente.

Um bom contexto para explicar as diferenças entre trabalho remoto e home office é o seguinte:

Todo home office é um trabalho remoto. Nem todo trabalho remoto é um home office.

Daí, a importância em identificar os diferentes tipos de trabalho remoto, como o teletrabalho e o próprio home office.

Principais benefícios do trabalho remoto

imagem de uma mulher brincando com sua filha enquanto trabalha representando os benefícios do trabalho remoto

Ao investir na ideia de trabalho remoto, as empresas e os colaboradores podem obter benefícios palpáveis e também imateriais em curto, médio e longo prazo.

Abaixo, vamos ver os principais benefícios do trabalho remoto!

Aumento de produtividade

Já destacamos aqui no blog, algumas vezes, uma pesquisa que escancara a importância da gestão de pessoas: funcionários felizes são mais produtivos.

Isso acontece quando o clima organizacional é bom, mas é uma consequência direta do trabalho diferenciado de um setor de RH organizado e com planejamento estratégico.

Além disso, por meio do trabalho remoto o funcionário ganha mais flexibilidade em sua rotina e consegue organizar a semana conforme as suas necessidades, interesses e objetivos.

Dessa maneira, um funcionário pode escolher o dia e o horário em que se sente mais produtivo. Ele vai trabalhar em um local onde se sente mais à vontade e desenvolver o trabalho sem distrações e conforme o seu próprio planejamento e autonomia para exercer a sua profissão.

Isso, por si só, já serve como um incentivo e tanto para o aumento da produtividade.

Redução de custos

Trabalhando remoto, o escritório físico se torna um luxo. E, em algumas ocasiões, desnecessário. Imagine, então, que esse tipo de implementação ajude a reduzir ou cortar por completo despesas fixas, como:

  • aluguel;
  • condomínio;
  • contas de água, luz e internet;
  • fornecedores de serviços, como água, café e outras amenidades;
  • manutenção do espaço. 

Outros custos podem surgir com o trabalho remoto, é verdade, mas são investimentos pontuais (como a aquisição de uma infraestrutura mínima de trabalho para os seus funcionários), e que podem ser considerados investimentos de longa duração. Diferentemente, por exemplo, das despesas acima citadas, que são recorrentes.

Maior flexibilidade

Um emprego remoto é importante para profissionais que buscam mais autonomia para montar a sua jornada de trabalho. Mas veja só: também é interessante para as empresas saírem de um modelo rígido de horários — como a já citada rotina de horário comercial.

Essa flexibilidade agrega para que as pessoas consigam se dividir melhor em suas respectivas rotinas. Imagine a possibilidade de fazer um curso à tarde ou mesmo buscar as crianças na escola e, logo em seguida, retomar o trabalho? Ou ir a uma consulta médica a qualquer hora — desde que isso não interfira em seu trabalho?

O trabalho remoto tem permitido esse tipo de situação que era impensável há alguns anos. E convenhamos: é um benefício e tanto para todos os envolvidos.

Qualidade de vida para colaboradores

A qualidade de vida é algo que pode ser percebido também, e muito em parte por conta da autonomia acima mencionada.

E sabe por quê? As pessoas deixam de se equilibrar em diversas atividades simultaneamente e em rachar a rotina em frações de minutos para realizar aquilo que tem vontade ou necessidade.

Um exemplo: imagine a possibilidade de fracionar o dia de trabalho em três períodos. Assim, você consegue se dedicar a outras atividades, como cursos livres ou buscar as crianças na escola, e voltar para o trabalho sem estresse ou grandes imprevistos.

O mesmo vale para quem acredita ser mais produtivo à noite e pode dedicar-se a outras tarefas pela manhã. As possibilidades são tão variadas quanto as pessoas em si. 

Ou, ainda, pessoas que têm vontade de conhecer o mundo e podem manter, paralelamente, seus empregos remotos. Isso tudo é um indicativo de qualidade de vida, pois a rotina corporativa deixa de ser o pilar do cotidiano, mas se adapta ao que mais proporciona bem-estar às pessoas.

Aumento no engajamento de funcionários

Pessoas satisfeitas, felizes e produtivas também tendem a se engajar mais com os projetos da empresa e também são mais pró-ativas. 

Dessa maneira, ao aderir ao trabalho remoto, a empresa pode contar com o apoio, dedicação e comprometimento dos seus funcionários. É uma maneira de unir ainda mais todas as equipes e almejar objetivos continuamente maiores e mais desafiadores.

Aumento de motivação

A motivação é um grande benefício do trabalho remoto pois, como vimos, a satisfação (pessoal e/ou profissional) está condicionada ao engajamento, à produtividade e também à motivação.

Isso contribui para que a sua empresa tenha funcionários mais comprometidos e interessados em crescer dentro da organização. Um grande índice de desempenho, inclusive, capaz de gerar resultados continuamente promissores para a organização e que impulsione a carreira dos profissionais mais motivados e produtivos, por consequência.

Qualquer empresa pode aderir ao trabalho remoto?

Vale observar que o trabalho remoto pode ser um ativo fundamental para diversos setores de uma empresa. No geral, as atividades que melhor se encaixam nesse modelo de trabalho são aquelas que demandam, principalmente, criatividade e pouca necessidade de contato diário com outras pessoas.

Isso não exclui, é claro, a possibilidade de implementar o trabalho remoto. Apenas evidencia um cuidado e atenção maiores na implementação e na transição do modelo de trabalho.

Mas, em geral, setores como comunicação e marketing, RH, o atendimento ao consumidor, vendas, o financeiro e a contabilidade, entre outros, são de grande facilidade de adaptação a esse modelo híbrido ou permanentemente remoto.

Como aderir ao trabalho remoto na empresa?

imagem de uma estação de trabalho montada em uma casa representando o trabalho remoto

O primeiro passo para essa transição consiste em observar quais áreas fluem com mais facilidade para a mudança. Em seguida, identificar quais são os custos envolvidos (para orientar um orçamento para esse projeto) e fazer um mapeamento de oportunidades, riscos e benefícios.

Ou seja: se migrar para o trabalho remoto for um processo longo, custoso e sem grandes vantagens para a empresa e/ou os funcionários, não há necessidade de implementação.

Em seguida, vale a pena observar quais tecnologias vão contribuir para o crescimento da empresa a partir da transformação para o trabalho remoto.

Abaixo vamos destacar algumas delas, mas vale a pena considerar um meio que torne toda a organização mais flexível, autônoma e móvel a partir do uso de soluções tecnológicas pensadas nessa nova tendência.

banner home office manual gratuito

Quais os cuidados a empresa deve ter trabalhando remoto?

Talvez, muitas pessoas pensem que o trabalho remoto não vem acompanhado de organização, planejamento e regras.

Se você chegou até aqui nesta leitura, sabe que as coisas não são bem assim. Muito pelo contrário, na verdade. O trabalho remoto só funciona se você entende profundamente o fluxo de trabalho da sua empresa, as características de cada departamento e as necessidades inerentes a cada cargo.

Por isso, não pense que a ausência de um espaço físico seja algo ruim, necessariamente, mas justamente um ponto de mudança para a consolidação de novas regras, necessidades e de uma rotina facilmente adaptável a novas circunstâncias.

Sem falar que boa parte das decisões deve ser feita de maneira coletiva e colaborativa. Por exemplo: não dá para marcar uma reunião, no Brasil, para as 17h se um ou mais dos participantes estão no leste europeu, onde o fuso-horário pode chegar entre cinco e oito horas à frente. Para esses profissionais, a reunião ocorreria no meio da madrugada 

No mais, este e outros fatores demandam uma rápida conversa e reunião para alinhar pontos em comum e divergentes. Só que não é só isso. Para ajudar na implementação do trabalho remoto na sua empresa, confira outros aspectos que consideramos de grande importância para o sucesso dessa jornada!

Maior comunicação interna

A comunicação interna é crucial para o trabalho remoto vingar em uma empresa. Isso serve tanto para comunicados quanto para novas implementações, reuniões e ações que demandem o trabalho de um ou mais departamentos simultaneamente.

Todo o processo tem que ser objetivo, transparente e focado no coletivo, nunca organizado de maneira individualizada.

Uso de ferramentas para reuniões e comunicação

Soluções digitais podem ajudar a manter a rotina de reuniões, avaliações de desempenho, feedbacks e de treinamentos, até, mesmo que todos estejam trabalhando remotamente.

Para isso, existem diversos aplicativos e softwares que tornam possível todo tipo de encontro. Só para ter uma ideia: durante esse período de pandemia causada pela COVID-19, a demanda por videoconferências aumentou exponencialmente. E a tendência também chegou para ficar.

Importante considerar o uso de soluções assim, portanto, e que também agreguem mobilidade para toda a empresa em outras atividades. 

Isso significa que, um bom software de gestão, armazenamento na nuvem e soluções específicas para cada departamento (desde que digitais e que agreguem benefícios citados anteriormente do trabalho remoto) devem ser considerados.

Acompanhar a jornada de trabalho com ponto móvel

Se a sua empresa busca um meio para manter controle da jornada de trabalho, saiba que já existem soluções variadas de controle de ponto online. Ou seja: o trabalho remoto pode permanecer na empresa, e o registro das horas trabalhadas pode ser monitorado. 

imagem de uma pessoa segurando um celular com o aplicativo da pontotel na tela

Como a PontoTel ajuda sua empresa no trabalho remoto?

Uma das grandes referências do setor, a PontoTel desenvolveu uma solução que atende à demanda crescente proporcionada pelo trabalho remoto. 

Trata-se de uma plataforma completa de gestão e controle de ponto para gerenciar a jornada dos seus colaboradores — desde o registro do ponto até a gestão dos dados. E tudo isso de forma prática e segura.

Caso tenha curiosidade em saber mais a respeito, dê uma olhadinha em nosso case de sucesso sobre como o grupo Família Pires otimizou processos e ainda reduziu custos com o PontoTel! Após isso, agende uma demonstração gratuita com nossos consultores e saiba como uma solução de ponto móvel pode elevar sua empresa a outros níveis. 

banner animado pontotel

Conclusão

Neste artigo, falamos sobre a tendência do trabalho remoto e como esse novo modelo de trabalho parece que chegou em definitivo em nossa sociedade.

Destacamos os pontos positivos e os meios e cuidados para tornar a transição mais harmônica e segura, e também apontamos uma solução eficiente para tornar o controle da jornada de trabalho ainda mais eficiente.

Com isso, esperamos que o trabalho remoto possa se tornar um diferencial e tanto para o desenvolvimento da sua marca. 

E se você tem identificado muitas oportunidades para investir no trabalho remoto em sua empresa, que tal já adiantar-se e descobrir mais sobre o assunto? Para isso, siga com a leitura de outro post nosso, que destaca agora as principais maneiras de melhorar a produtividade de suas equipes durante o home office!

Compartilhe em suas redes!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Rolar para cima