Cultura Colaborativa: confira quais as vantagens e os 5 passos para implantá-la!

imagem de pessoas observando o trabalho umas das outras representando a colaboração

Somos TOP of Mind de RH!

Estamos entre os finalistas do prêmio Top Of Mind de RH 2021, na categoria Controle de Frequência. Agora, precisamos da sua ajuda para ir ainda mais longe e levar o prêmio. Clique aqui e vote PontoTel!

A cultura colaborativa está ligada ao avanço tecnológico e ao surgimento da internet e barateamento de meios comunicacionais e informativos. Feita a partir de uma consciência pós-crise, ela surge de uma insatisfação generalizada sobre modelos de competitividade e ganância entre pessoas.

A internet fez com que essas pessoas se achassem mais rapidamente e começassem a montar um modelo, no qual não se tivesse uma hierarquia de importância de opiniões nem competitividade. Esse modelo, ficou conhecido como: cultura colaborativa e, de uns anos para cá, começou a se difundir ainda mais no mercado de trabalho. 

A adaptação desta cultura para o mercado de trabalho sofreu poucas mudanças, mantendo os seus princípios de igualdade, posicionamento e abertura para que, vozes distintas entre si, sejam ouvidas e tenham a mesma relevância. 

Em uma empresa, ela pode ser vista junto da gestão horizontal, a qual também prega pelo fim da hierarquização de ideias e opiniões, e pela inserção do incentivo de trabalho em equipe. 

Neste artigo, exploraremos as vantagens e a importância de uma cultura colaborativa nas empresas, segue abaixo os tópicos: 

Boa leitura! 

banner problemas com absenteismo

Cultura Colaborativa: o que é?

imagem de pessoas trabalhando juntas em uma mesa com dois homens se cumprimentando

O conceito de cultura colaborativa é baseado nas tentativas de agregar e incentivar projetos em grupo e alinhá-los com os objetivos, metas e anseios da empresa.  Além disso, a cultura colaborativa, também, é conhecida como a tentativa de inserir o DNA da empresa nos colaboradores, ou seja, fazê-los engajar com o propósito dela.

Para que esse engajamento ocorra, os funcionários precisam se sentir confortáveis e confiantes nas posições que ocupam e o mesmo com a empresa. Portanto, a cultura colaborativa também tem, como propósito, a criação de laços com os líderes e ambientes onde a comunicação e a expressão de ideias sejam bem vindas.

Quais as vantagens de adotar a cultura colaborativa?

As vantagens da adoção correta de uma cultura colaborativa gira em torno da relação do empregado para com a empresa e do incentivo de trabalhos em grupo. Ou seja, a cultura colaborativa afetará, independente de resultados positivos ou negativos, no clima organizacional. 

Focando nos resultados positivos dela, as vantagens são inúmeras e muito atrativas para a empresa, pois pode fazer com que a mesma tenha um time bem desenvolvido, por conta de um alinhamento das habilidades dos colaboradores com suas atividades laborais, e uma retenção maior de talentos, ocasionando em um fator competitivo em processos seletivos

Abaixo separamos algumas das principais vantagens de uma cultura colaborativa.

Melhora no ambiente de trabalho

O clima organizacional é uma peça importante para a cultura organizacional, pois, caso a inserção dessa cultura falhe, ele será afetado drasticamente, e caso ela evolua e seja bem executada, haverá uma grande melhoria no ambiente de trabalho. 

Imagine trabalhar em um ambiente onde o clima é mais leve, sem pressões, têm-se tratamentos igualitários, integração entre colaboradores, possibilidade de crescimento e líderes e gestores acessíveis? Uma dádiva, não? 

Nesse cenário, as chances do clima organizacional se tornar tóxico são bem baixas. E, sua existência se torna possível com a ajuda da cultura colaborativa, pois ela incentivará a integração dos funcionários com os seus líderes e com os propósitos da empresa, uma comunicação mais transparente, autonomia de colaboradores e tratamentos igualitários.

Maior autonomia dos colaboradores

Como explicado no tópico acima, a autonomia de colaboradores é incentivada pela cultura colaborativa bem efetuada. 

Essa autonomia pode vir de várias formas, sendo uma delas  quando o líder delega tarefas aos colaboradores. Para melhores explicações sobre a passagem de tarefas para os colaboradores, mantenha a leitura que explicaremos em breve. 

Esse ato só é possível quando há confiança e laços entre o colaborador e o líder, onde não se tenha má comunicação, barreiras e outros aspectos que promovem o distanciamento entre os dois. Normalmente, é aqui que a gestão horizontal age, tirando qualquer indício ou possibilidade de um tratamento diferenciado dos níveis de postos. 

A concessão de autonomia para os colaboradores, durante a cultura colaborativa, traz grandes vantagens para a empresa, pois criam-se aberturas para que o colaborador se desenvolva mais, aguçar sua criatividade, além de fazer com que os talentos da empresa sejam mais aproveitados, uma vez que eles podem tomar as decisões. 

Valorização do time

Para um time ser valorizado, ele tem de sentir que sua opinião tem relevância nos projetos e que, acima de tudo, será ouvido quando falar. Com a aproximação entre times e líderes, provocada pela cultura colaborativa e gestão horizontal, isso se torna possível. 

Quando o líder se abre para ouvir, atentamente, as opiniões de seus times e passa confiança a eles ao ponto de se sentirem confortáveis em se expressar, a valorização do time se eleva, pois não há distinção no tratamento entre os dois. 

A valorização do time é importante para empresa, porque ela é um dos principais motivos para se reter talentos e manter o clima organizacional elevado, bem como a produtividade. 

Aumento da produtividade 

imagem de pessoas sorrindo e estendendo as mãos em um high five

A melhoria da produtividade é um dos objetivos principais da cultura colaborativa e, quando feita assertivamente, esse objetivo é alcançado com sucesso.

Pois, a cultura colaborativa promove um time alinhado para os propósitos da empresa, com total compreendimento de suas tarefas, um bom clima organizacional e uma comunicação transparente, acarretando em um aumento na produtividade.

Além disso, com o incentivo da cultura colaborativa em trabalho e alinhamento em grupo, as decisões se tornam mais assertivas, por conta da pluralidade de visões sobre um mesmo assunto e do alinhamento, baseado nas habilidades dos colaboradores, com as atividades do grupo. A junção de ambos aumentam o ânimo no time, afetando de forma positiva a produtividade. 

Outro ponto vantajoso de se ter diversidade de opiniões, habilidades e costumes na empresa é que, a pluralidade é ótima para tomada de decisões importantes e em resoluções de problemas na empresa, isso porque o debate sobre as decisões se torna necessário e todas as opções são estudadas, sob situações diferentes.  

Abertura para desenvolvimento profissional

Profissionais que têm um local de fala em suas empresas, bom relacionamento com o time e é, constantemente, incentivado a mostrar suas ideias e opiniões, conseguem possuir uma abertura maior de desenvolvimento profissional dentro da empresa. 

Isso porque, esse colaborador terá mais confiança para propor e opinar em ideias, projetos e atividades que podem fazer com que ele se destaque e oportunidades de crescimento na empresa apareçam para ele e, também, os estimulem a serem mais ambiciosos em projetos e a buscarem níveis mais elevados em seu time. 

O papel da cultura colaborativa, nesse desenvolvimento, é na criação de um ambiente propício a conversas, no qual não se exista medo ou insegurança para demonstrações de opiniões, e sim no incentivo para que os funcionários usem suas habilidades nas atividades corretas, por meio de alinhamentos, e no uso da criatividade nas atividades. 

Qual é a importância de uma cultura colaborativa?

A importância de uma cultura colaborativa, em uma empresa, é ligada ao estreitamento de laços entre os colaboradores e seus “superiores” e a oportunidade de crescimento e aprendizado dos profissionais. 

Esses fatores, fazem com que a equipe se “entenda” mais e consiga delegar tarefas entre si de acordo com as habilidades dos membros do time, ocasionando em um aumento da produção e engajamento, além de prevenir situações de estresse e sobrecarregamento interno. 

O ambiente, por conta dos laços de confiança e parceria incentivados pela cultura colaborativa, se torna mais amplo e dinâmico, possibilitando, assim, que o time se torne mais criativo e ousado em suas atividades, além de promover aprendizados entre si. 

Outro fator que possibilita um ambiente mais dinâmico é a verificação de hierarquização tóxica, muitas das vezes, a empresa adota uma gestão vertical, ao invés de uma horizontal, prejudicando o aparecimento dos resultados e desenvolvimento da cultura colaborativa. 

Gestão colaborativa (horizontal) 

Antes de mostrar a relação e importância entre cultura colaborativa e gestão horizontal, eu tenho de explicar o que seria uma gestão horizontal. 

Uma gestão horizontal é um método organizacional que preza pela integração de todos os escalões nas atividades da empresa e em todas tomadas de decisões. 

Assim, não abre espaço para que hierarquizações tóxicas surjam. Como o próprio nome sugere, não há uma linha de ascensão de cargos e sim uma linha horizontal, onde todos são iguais. 

Visto isto e o que preza, a cultura colaborativa se relaciona, diretamente, com a gestão horizontal, pois o objetivo de ambas está alinhado. Afinal, como impor uma cultura que preza, na hora de tomar decisões, pela união de todos os participantes de uma empresa, se a gestão vigente não incentiva a igualdade entre os colaboradores?

Muito dificilmente, uma empresa que segue à risca uma gestão vertical, promove competições entre colaboradores e mantêm preceitos de hierarquia irá conseguir implementar uma gestão colaborativa com sucesso. 

Como implantar uma cultura colaborativa eficiente?

imagem de uma mulher em pé em frente a uma mesa de reunião fazendo explicações para outras pessoas

Assim como qualquer outra cultura, a inserção da cultura colaborativa deve ser feita aos poucos e com atenção. Isso porque, caso se tenha falhas e o RH ou o líder não as notem, poderá afetar o clima organizacional e saúde de seus colaboradores como, por exemplo, estresse e sobrecarga. 

Além disso, deve haver um plano de ação para que todos saibam como agir e porque agir. A cultura colaborativa tem como objetivo primário, o incentivo da colaboração entre todo um time, ou seja, quando algo sair dessa “curva”, a empresa tem de ter um plano de ação para, tanto evitar que isso ocorra, quanto para solucionar ou diminuir as consequências. 

É importante frisar que todos os componentes da empresa, por assim dizer, tem de estar envoltos neste processo. Desde o fundador da empresa até o estagiário.

Pois, ao contrário do que muitos imaginam, a colaboração promovida por essa cultura não é somente entre funcionários de uma mesma equipe, mas também entre líderes e colaboradores de equipes distintas. 

Abaixo separei alguns tópicos para a implantação correta e efetiva, da cultura colaborativa: 

Forneça treinamentos ao time

É importante frisar que, assim como qualquer outra inserção de cultura em um time, a implantação da cultura organizacional é gradual, ou seja, tem de ser feita aos pouquinhos e tem de sofrer manutenções ao longo do tempo. 

Por isso, o melhor jeito de implementá-la na empresa, é por meio de treinamentos.

E, se engana quem pensa que os treinamentos serão destinados somente ao time, pois os líderes terão um papel essencial na inserção dessa cultura, uma vez que serão eles um dos responsáveis por orientar e comunicar às mudanças e alinhamentos com o time. Portanto, os treinamentos, cursos e palestras devem se estender a líderes, gestores e etc.

Os treinamentos terão um papel essencial, uma vez que serão eles os responsáveis por abrir e preparar o caminho para o compreendimento geral e implantação da cultura colaborativa no clima organizacional da empresa. 

Delegue tarefas para o time.

O ato de delegar tarefas, ou seja, passá-las para outras pessoas, é importante para a cultura colaborativa. 

Quando o líder demonstra confiança ao ponto de passar tarefas, às quais caberia somente a ele, para o funcionário é quase instantâneo que se tenha um estreitamento de laços entre líder-funcionário, fazendo com que os resquícios de hierarquização caiam por terra, e, ao mesmo tempo a criatividade e habilidades dos colaboradores se desenvolvam, uma vez que agora têm a chance “chefiar” um projeto sozinhos. 

Um outro benefício de passar algumas tarefas para os colaboradores, é que o líder pode ter uma melhor percepção do quanto seu funcionário está envolto com as atividades e, até mesmo, avaliar a  produtividade, sobrecarregamento e engajamento. 

Essa ação é importante para que a relação entre líder-colaborador e gestor-colaborador se torne mais forte e incentive os colaboradores a expressarem suas ideias, palpites, críticas ao seu líder durante as reuniões, ajudando, assim, a criar um ambiente e relacionamento laboral aberto a conversas.

Crie espaços para trabalho em equipe

Para que um trabalho em equipe ocorra, é necessário que se crie cenários favoráveis. A empresa pode optar por vários meios, como: criação de atividades em grupo, criação de canais de comunicação de time para alinhamento em grupo, alinhamentos somente do time com a ausência do líder e, também, criação de happy hour em grupo. 

Aqui, também se torna interessante o uso de recompensas para atividades grupais, pois incentiva os funcionários a permanecerem em grupos.

Estabeleça uma comunicação transparente

Canais de comunicação e uma comunicação transparente são boas etapas para alcançar a cultura colaborativa. Se a empresa não fizer manutenção ou verificar se há ruídos, informações incorretas e complicações no clima organizacional podem aparecer, atrapalhando a cultura colaborativa. 

O obstáculo instaurado por uma comunicação problemática, se dá pelo fato de que, para a cultura colaborativa surtir efeito, é necessário que os funcionários entendam tudo que acontece – coisas ruins e boas – na empresa e que os funcionários consigam estabelecer uma relação de confiança com seus superiores. 

Quando os funcionários não têm o mínimo acesso a informações básicas de sua empresa, além de contribuir com a rotatividade de funcionários, faz com que os colaboradores “andem no escuro” e comecem a procurar outros empregos por não saber se irão conseguir se desenvolver no trabalho.

Estabeleça recompensas 

A utilização de recompensas, sejam elas em grupo ou individual, é sempre bom para a manutenção e preservação do engajamento dos colaboradores. Obviamente, elas devem ser concedidas quando o colaborador bate alguma meta ou realiza um projeto importante.

Elas podem ser feitas em: um happy hour com o time específico, um cupom de compras ou de algum delivery de comida. Todas essas iniciativas, em propósitos de uma cultura colaborativa, podem ser feitas para parabenizar metas e projetos feitos em grupos, estimulando assim, que o trabalho entre o time se fortaleça e torne-se recorrente. 

O papel do RH na cultura colaborativa

O RH deve planejar, com antecedência e calma, o plano de ação, os treinamentos e a implantação da cultura colaborativa. Isso porque, todos os membros da cooperativa terão um papel nela. O processo deve ser feito com atenção e o RH deve estar sempre por perto, para se certificar que ninguém fique sobrecarregado ou desmotivado

Conclusão

A cultura colaborativa surgiu de uma consciência pós-crise, na qual abominava a distinção de opiniões, e recentemente se inseriu no mercado de trabalho promovendo um ambiente mais dinâmico e com opiniões distintas. 

Seus benefícios são inúmeros e vão desde a empresa, com a retenção de talentos, até os funcionários com a instauração de um local onde suas opiniões são bem aceitas e há uma oportunidade de crescimento. 

Para mais conteúdo como este, nos siga no instagram, facebook e linkedIn, e visite nosso blog! Nele postamos conteúdos sobre gestão de pessoas, RH e DP semanalmente. 

controle de jornada digital e gestao de pessoas
Compartilhe em suas redes!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Rolar para cima