Confira 10 dicas essenciais para manter e promover o bem-estar no trabalho aos colaboradores!

imagem de uma mulher e um homem sentados de frente para um computador sorrindo

Por muitos anos, o conceito de bem-estar no trabalho foi associado aos salários recebidos pelos profissionais. O valor de um emprego era medido através do poder aquisitivo que ele podia oferecer ao colaborador, por mais que isso custasse sua saúde mental. 

No entanto, com a força dos movimentos sociais e os valores promovidos pelas novas gerações, o mercado passou por uma transformação. Hoje, ambientes de trabalho harmônicos, pautados em respeito e empatia, são o objetivo a ser alcançado. 

O que vem em decorrência disso, como produtividade e lucratividade, é apenas uma consequência da extinção dos ambientes tóxicos e estressantes. Quando o foco é o bem-estar, o colaborador trabalha com mais ânimo e dedicação à empresa. 

Neste artigo, entenda como isso é feito na prática a partir de 10 dicas essenciais para entender essa nova realidade!

Boa leitura!

banner descubra a taxa de absenteismo

Conceito de bem-estar

imagem de três homens e uma mulher em pé conversando

De acordo com o dicionário Michaelis, o conceito de bem-estar é “a satisfação das necessidades físicas e espirituais; a sensação agradável de segurança, conforto e tranquilidade”. Portanto, o bem-estar está conectado aos prazeres e ao contentamento. 

No ambiente profissional, o bem-estar no trabalho é um conjunto de práticas e estratégias voltadas para assegurar que o colaborador tenha a melhor experiência possível. Isso significa, na prática, garantir a harmonia e a felicidade de cada trabalhador. 

Qual a importância de promover o bem-estar no trabalho?

A importância de promover o bem-estar no trabalho está diretamente ligada à qualidade de vida de cada profissional. 

Harmonia e felicidade, como dito anteriormente, podem parecer conceitos subjetivos, até mesmo externos ao trabalho. Algo que deve ser buscado nas relações pessoais do colaborador, com seus amigos e familiares. 

Contudo, vale lembrar que cada trabalhador passa mais da metade de seu tempo acordado dedicado à execução de suas tarefas profissionais. Por isso, a busca por paz de espírito e bem-estar que se aplica à sua vida doméstica, acaba se aplicando também ao trabalho. 

Nessa busca por qualidade de vida e equilíbrio entre mente, corpo e espírito, o colaborador não pode ficar desamparado. É por essa razão que a empresa precisa criar um programa de saúde e bem-estar no trabalho. 

Como criar um programa de saúde e bem estar no trabalho?

Para criar um programa de saúde e bem-estar no trabalho, é preciso entender primeiro quais são as bases que servirão de ponto de partida para ele. 

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Brasília (UNB) revela que o suporte organizacional e as oportunidades de alcance de valores pessoais no trabalho têm impacto direto sobre o bem-estar do trabalhador. 

Nesse aspecto, suporte organizacional significa demonstrar que a empresa está do lado do trabalhador e tem seus interesses como prioridade. Essa humanização das relações profissionais deve ser o elemento norteador do programa de bem-estar no trabalho. 

Em outra nota, oferecer oportunidades de alcance de valores pessoais se traduz como entender quem é o profissional, o que ele busca dentro da empresa e como ele pode ser capaz de crescer e se desenvolver com ela. 

Por que é importante se atentar ao bem estar do funcionário? 

É importante se atentar ao bem-estar do funcionário por duas razões. A primeira, é que zelar pela saúde mental e pelo conforto dos colaboradores é a atitude mais humana a se tomar. Por meio disso, inclusive, melhoram-se as relações interpessoais na empresa. 

Segundo, porque surge cada vez mais a necessidade de as empresas serem employee-centric. Isso significa ter uma gestão centrada no funcionário, ou seja, entender que o capital humano da empresa é o seu maior bem mercadológico. 

A Forbes, em seu caderno de liderança, publicou um artigo sobre os 5Cs da cultura employee-centric. São eles: 

  1. Comprometimento;
  2. Cuidado;
  3. Comunicação;
  4. Celebração;
  5. Comunidade.

Com a promoção destes 5 valores dentro da empresa, é possível construir um ambiente employee-centric e promover o bem-estar por meio de um espaço seguro para debates, cuidados pessoais e profissionais e celebração da diversidade e da coletividade. 

De modo a materializar essas ideias em atitudes práticas, acompanhe a seguir 10 dicas de como promover o bem-estar no trabalho! 

10 dicas de como promover o bem-estar no trabalho aos funcionários

imagem de duas mulheres sentadas olhando para um homem em pé a lado delas segurando uma folha

Promover o bem-estar no trabalho aos funcionários não é impossível. Basta que o planejamento esteja bem delineado, que as decisões sejam tomadas com base em empatia e cuidado e que a empresa forneça infraestrutura para sua implementação. 

O que pode faltar, talvez, sejam ideias de atitudes e atividades práticas para inserir nas relações do trabalho. Mas não se preocupe, com essas 10 dicas, você terá uma boa base para elevar o bem-estar dos seus profissionais rapidamente. 

1. Crie workshops e palestras para promover a importância da saúde mental

Não basta que a importância da saúde mental seja apenas uma recomendação médica, ou que esteja na cartilha de boas práticas da empresa. É preciso que o assunto seja adicionado às pautas das reuniões e que seja amplamente difundido pelos líderes de setor. 

Para isso, a melhor ferramenta é a adição de workshops e palestras sobre saúde mental e encorajar os colaboradores a frequentá-las. Mais do que isso, promover uma cultura de comunicação livre e apadrinhamento pode fazer a diferença. 

2. Realize pesquisas de clima e satisfação

Muitas vezes, o colaborador insatisfeito não reivindica os seus direitos. Isso ocorre por conta do receio de perder o emprego, de ser julgado pelos pares ou mesmo por não saber como expressar seu descontentamento. 

Uma boa forma de dar voz ao profissional é através de pesquisas de clima e satisfação. Quando a empresa institucionaliza o debate e demonstra abertura para críticas, o trabalhador se sente empoderado para se tornar um agente ativo da mudança. 

3. Trabalhe o employee voice 

E por falar em dar voz ao funcionário, o employee voice (voz do funcionário, em inglês) é uma forma de facilitar o processo de comunicação dentro da empresa. 

Ele consiste em promover a comunicação dos colaboradores com o empregador e a participação coletiva nas decisões da empresa. Estimula-se uma resolução de problemas de baixo para cima, ou seja, os colaboradores são os primeiros a apresentarem soluções viáveis. 

4. Tenha uma cultura de feedbacks recorrentes

Feedback não é apenas uma palavra da moda; é uma ferramenta essencial para refinar as relações de trabalho e nortear o colaborador na direção que a empresa deseja. 

Ao estabelecer uma cultura de feedbacks recorrentes, é possível proporcionar à equipe uma cultura de desenvolvimento profissional pautada pela visão construtiva do outro. 

É importante frisar que feedbacks negativos, ou embasados pela técnica da psicologia reversa, não produzem os resultados almejados. Para que se alcance o bem-estar no trabalho, os feedbacks precisam partir de um lugar de cuidado e positividade. 

5. Promova a prática de ginástica laboral 

Outro ponto muito importante quando o assunto é o bem-estar do colaborador é a sua saúde física. O estímulo da prática de exercícios físicos pode começar pela ginástica laboral. Para isso, alguns minutos durante o expediente de trabalho serão suficientes. 

Além de promover alongamento e condicionamento físico, a ginástica laboral também pode auxiliar com os danos causados por problemas ergonômicos no ambiente de trabalho, como cadeiras desconfortáveis, a posição do teclado e a ausência de apoio para os pés. 

6. Promova momentos de descontração e de pausas 

Uma das formas de humanizar as relações de trabalho e valorizar as individualidades dos seus colaboradores é promovendo momentos de respiro na empresa. 

A Google, por exemplo, é referência na cultura de satisfação dos colaboradores ao promover espaços para recreação e relaxamento em seus escritórios. 

Isso pode ser alcançado ao estimular jogos, atividades cooperativas, rodas de conversas e estimular o coffee break ao longo da jornada de trabalho. 

7. Tenha um bom plano de carreira

Lembre-se de que o colaborador tem suas próprias ambições e anseios, que são prévios à sua entrada na empresa e podem facilmente ser alinhados aos seus objetivos e metas. Por isso, ter um bom plano de carreira é essencial. 

Promoções internas, upgrade de patamar salarial, reconhecimento por mérito e por tempo de serviço são algumas formas de alavancar a carreira dos seus funcionários. Assim, a sensação de pertencimento aumenta e o colaborador “veste a camisa” da empresa. 

8. Cuide do bem estar financeiro

Além do plano de carreira, é importante também assegurar que os seus funcionários estejam satisfeitos em relação aos seus salários. Uma forma de assegurar que os pagamentos sejam justos é consultar o Plano de Cargos e Salários (PCS) da empresa. 

Quando o colaborador se sente amparado economicamente, ele não pensa em aceitar propostas da concorrência, o que reduz o turnover. Além disso, ele também se sente mais engajado para trabalhar, diminuindo os índices de presenteísmo

9. Tenha uma cultura de horários flexíveis 

imagem de uma mulher sentada na frente de um computador e olhando para seu relógio de pulso

Uma das heranças mais prejudiciais das relações de trabalho do passado é o excesso de rigidez. Entende-se que, ao submeter o funcionário a um regime meticuloso de horários, ele será mais produtivo. 

No entanto, a realidade é outra. Estudos apontam que 29% dos trabalhadores brasileiros que deixaram seus empregos em 2021 alegam a falta de flexibilidade como a razão da sua decisão. 

Além de uma necessidade de mercado, promover flexibilidade de horários nas empresas também atende uma demanda crescente pela modalidade home office impulsionada pela pandemia do COVID-19. 

10. Estimule a interação entre equipes e colaboradores

O principal mecanismo para a promoção do bem-estar no trabalho é lembrar que os seres humanos são criaturas sociais. Por isso, estimular a interação entre as equipes rende bons frutos, como otimização da comunicação entre setores e maior coletividade nas decisões. 

A empresa é um quebra-cabeças que forma uma imagem só. Por isso, não faz sentido separar suas peças e tratá-las como se fossem imagens individuais. Estimular a colaboração e a parceria é uma forma de construir essa consciência de grupo. 

Como isso tudo pode impactar na empresa?

A empresa começará a identificar alguns impactos causados pela promoção do bem-estar no trabalho ao seguir cada uma dessas 10 dicas. Algumas mudanças virão no âmbito social, outras, nos números e métricas da empresa. Por exemplo: 

  • Controle do estresse: conhecida como a doença do século, o estresse no trabalho é um dos maiores causadores de problemas cardíacos, depressão e ansiedade. Logo, ao promover o controle do estresse, a empresa também investe na prevenção de enfermidades futuras;
  • Redução do absenteísmo: um funcionário motivado, que se sente visto e ouvido pela empresa onde trabalha, não terá razões para faltas injustificadas. Ele fará o possível para estar presente, pois entende que é parte de um todo e que sua presença é importante;
  • Diminuição dos riscos de doenças ocupacionais: além da redução do estresse, outras doenças também são prevenidas através do foco no bem-estar, como a LER (lesão por esforço repetido) e os DORT (distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho). 
  • Redução de gastos para contratar e treinar novos funcionários: com a diminuição do turnover, a rotatividade de funcionários é menor e os desfalques na equipe são prevenidos. 

Conclusão

Bem-estar no trabalho não é um luxo. É possível compreender que quando a relação entre o colaborador e a empresa é de respeito e cuidado, ambas as partes lucram no processo. 

Não cabe repetir os erros do passado, como rigidez, burocracia, salários imutáveis e pressão por resultados. É preciso pavimentar uma nova forma de se construir relações de trabalho, e compreender que os tempos mudaram. 

As empresas, hoje, entendem a necessidade de conciliar a vida profissional e pessoal ao fazer do trabalho um ambiente harmônico, onde o funcionário possa sentir-se valorizado. Por isso, use e abuse dessas 10 dicas e faça acontecer a transformação na sua empresa! 

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe em suas redes sociais e continue acompanhando o blog da PontoTel

banner conheça o aplicativo pontotel

Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima