Como ter uma gestão comportamental eficaz?

gestao comportamental intro
Atualizado em

Um novo tipo de gestão vêm ganhando cada vez mais força no mundo corporativo: a gestão comportamental. Sabe porquê?

Antigamente, a forma como as empresas lidavam com seus funcionários era bem diferente da que vemos hoje em dia. O foco na motivação dos colaboradores, em desenvolver suas habilidades, e em proporcionar um bom ambiente de trabalho por exemplo foram cada vez mais vistos nas empresas.

O departamento de recursos humanos, que antes desempenhava processos extremamente burocráticos, mudou drasticamente, e hoje se preocupa muito mais com questões como o bem estar dos funcionários, em reter talentos e motivá-los.

E uma das novas tendências que foram vistas nesse departamento com esses objetivos foi a gestão comportamental, que como seu próprio nome diz, foca no comportamento dos funcionários para gerar maior produtividade dos setores na busca por resultados. 

O principal objetivo dessa gestão é trabalhar o envolvimento, capacitação e desenvolvimento dos colaboradores de uma organização, promovendo o bem-estar desses profissionais. 

Mas quais são as características desse novo modelo, o que é necessário para implantá-lo, e quais benefícios proporciona? Você vai saber tudo isso e muito mais neste texto. 

Ao final, eu te garanto que você saberá tudo o que precisa para adotar a gestão comportamental, e estará mais do que convencido de que seu negócio com certeza só irá se beneficiar com esse modelo.

Como irei discutir vários assuntos, confira abaixo os tópicos que serão abordados:

O que é gestão comportamental?

A gestão comportamental é uma metodologia de gerenciamento que nos últimos anos tem sido colocada em prática por departamentos de recursos humanos com o objetivo de entender o comportamento dos colaboradores da empresa. 

Ela é uma abordagem mais estratégica que pode ser adotada não apenas pelo RH, mas também por todos os departamentos de uma empresa. Essa metodologia vêm se mostrando uma ferramenta eficiente no desenvolvimento de times e no que diz respeito à melhoria da performance e produtividade das equipes. 

Você vai concordar que toda empresa precisa ter uma boa gestão de pessoas, isso porque ela é capaz de otimizar os processos, diminuir a rotatividade dos colaboradores e promover o crescimento dos times.

A gestão comportamental uma ótima ferramenta para auxiliar os gestores em uma boa gestão justamente por englobar todos aspectos da participação de um colaborador na organização. 

O que eu quero dizer é que ela considera fatores comportamentais para contratar as melhores pessoas, alinhar esses perfis aos cargos certos e reduzir o retrabalho, seja com a contratação de novos funcionários ou na realização dos processos. 

Em outras palavras, auxilia os responsáveis no gerenciamento de seus colaboradores por meio de um conjunto de habilidades e estratégias para atrair, reter e desenvolver as potencialidades do seu capital humano.

Você deve estar se perguntando, mas o que essa metodologia tem de tão diferente que permite promover um melhor gerenciamento? 

Para isso precisamos entender que nem todos os colaboradores são iguais, não é mesmo? Cada um possui sua personalidade, gostos, rotina e habilidades. Já pensou o trabalho que dá saber lidar com tanta gente diferente?

Essa tarefa se torna mais fácil quando o RH consegue entender o perfil de cada colaborador, o que torna muito mais fácil estabelecer os melhores meios para desenvolver seus talentos. E se esse processo for feito da melhor forma, com certeza sua empresa terá grandes vantagens. Quer saber quais? Continue lendo!

Como ela pode ajudar sua empresa?

Um estudo feito pelo Instituto Locomotiva em 2017 afirmou que 56% dos trabalhadores que possuem carteira assinada estão insatisfeitos com seu emprego. Mas o que esse dado pode representar na prática? Preciso te dizer que a desmotivação pode trazer sérias consequências.

Só naquele ano por exemplo, o IBGE chegou a contabilizar mais de 14 milhões de brasileiros desempregados. Mas além disso, colaboradores que se sentem desmotivados podem fazer com que sua empresa sofra de maiores índices de turnover, ou até mesmo uma menor produtividade.

E é por isso que a gestão comportamental é tão importante. Quando sua empresa foca em desenvolver o capital humano, em criar programas e treinamentos para aprimorar os talentos dos funcionários e para engajar suas equipes, isso com certeza irá melhorar seu ambiente de trabalho.

Dessa forma, o principal benefício dessa prática é proporcionar uma melhora no clima organizacional e na cultura empresarial, já que pessoas motivadas tendem a trabalhar mais felizes e engajadas com o negócio.

Além disso, como um dos objetivos da gestão comportamental é atuar com uma maior proximidade à cultura da empresa, outro benefício dessa prática é fazer com que os colaboradores estejam mais alinhados aos valores da organização.

E isso também irá facilitar o processo de recrutamento e seleção, já que os responsáveis por realizar esse processo terão mais facilidade em selecionar candidatos que estejam mais alinhados à cultura da empresa.

Com um recrutamento e seleção mais assertivo, a contratação de funcionários será muito melhor, uma vez que as chances de contratar profissionais que não se encaixam na vaga em questão são menores.

E como consequência disso, além da gestão melhorar o clima organizacional da sua empresa, já que pessoas motivadas tendem a trabalhar mais felizes e engajadas com o negócio, você também pode ter uma redução significativa do índice de demissões e turnover

Isso porque além de fazer com que os funcionários se sintam motivados, o foco em desenvolver suas habilidades também fará com que eles se sintam importantes em suas funções, e queiram permanecer na empresa.

São muitos benefícios, não é mesmo? Para que sua empresa consiga ter essa vantagem, é fundamental elaborar algumas estratégias comportamentais.

O que são estratégias comportamentais?

gestao comportamental estrategias

Toda empresa deseja crescer e conquistar um maior número de clientes. Para isso, é necessário oferecer produtos de qualidade, conquistar os melhores fornecedores, e investir em estratégias de marketing. Mas nada disso terá resultado sem um bom planejamento.

Ter um planejamento estratégico é elaborar a estratégia de como sua empresa irá alcançar suas metas. Você precisa saber sua situação atual, aonde deseja chegar, e como fará isso. Mas como a gestão comportamental se relaciona com isso?

Simples: quando sua empresa for elaborar os métodos que serão utilizados para a gestão comportamental, esse processo deverá estar alinhado ao planejamento estratégico.

Ao definir exatamente os objetivos desejados, e colocá-los em uma planilha por exemplo, fica muito mais fácil saber se as estratégias comportamentais que estarão sendo desenvolvidas para os colaboradores estão de fato trazendo os resultados desejados, ou se será necessário realizar mudanças nas atividades desenvolvidas para que sua empresa consiga atingir suas metas.

É um trabalho de grande responsabilidade, não é mesmo? Por isso, sua empresa deve ter os melhores profissionais que serão responsáveis por essa área. Que tal ver o perfil que esse funcionário deve ter?

Qual o perfil do profissional de gestão de pessoas?

Gerir pessoas nunca é uma tarefa fácil, principalmente porque elaborar estratégias para desenvolver as habilidades de cada colaborador e os manter motivados é fundamental para garantir o funcionamento do seu negócio.

Por isso, o profissional que será responsável por essa área deve estar muito bem preparado e ter o perfil ideal para garantir esses resultados.

A primeira característica do perfil desse profissional é que ele deve entender exatamente como a empresa funciona, para que consiga ajudar a construir um ambiente de trabalho no qual os colaboradores se sintam mais eficientes, eficazes, produtivos, e que se sintam felizes.

E isso exige que ele seja uma pessoa ágil, dinâmica, criativa e inovadora. Mas além disso, ele também precisa ter uma visão mais humanizada sobre esse processo, já que ele irá lidar diretamente com diversos perfis dos funcionários.

De forma resumida, esse profissional precisa ser comunicativo, ter um bom relacionamento com todos os colaboradores, ser flexível nos processos, proativo, ter foco e saber ter um bom planejamento estratégico.

Afinal, dentre suas funções estão: planejar programas de treinamento e capacitação dos colaboradores; avaliar e implementar os melhores programas de benefícios; desenvolver e gerenciar as políticas de recursos humanos da empresa; e traçar estratégias para tornar o clima organizacional agradável e saudável.

Para que esse profissional consiga ter sucesso em todas essas tarefas, uma ótima forma é realizar uma avaliação de perfil comportamental, que eu vou explicar como funciona no próximo tópico.

O que é uma avaliação de perfil comportamental?

A avaliação de perfil comportamental é uma estratégia muito usada pelos responsáveis da gestão comportamental. Ela consiste em analisar as competências do colaborador e relacioná-las com o seu modo de ser e de agir, ou seja, com suas atitudes e comportamentos.

Isso pode ser aplicado em diversos processos, como no recrutamento e seleção e no desenvolvimento do funcionário na empresa, pois irá contribuir para a análise da reação do profissional no ambiente de trabalho.

Cada pessoa possui uma forma diferente de lidar com uma situação, e saber identificar isso é fundamental para que a empresa saiba adaptar sua comunicação e estratégia na gestão comportamental.

O perfil comportamental, dessa forma, pode ser definido como o conjunto de características que determina um modelo predominante de ser da pessoa. É como se fosse uma classificação, que ajuda a empresa a ver se o candidato se encaixa em uma determinada vaga.

Como exemplo, podemos citar características como proatividade, facilidade em se comunicar e ser bom em resolução de conflitos, que podem indicar traços de liderança. Traçar esse perfil é uma forma de compreender melhor o profissional e também de identificar como seus traços podem ser aproveitados da melhor forma.

Eu separei a seguir alguns dos típicos perfis que podem ser encontrados em uma empresa, para que você já os tenha em mente quando for aplicá-lo na sua organização. Confira no próximo tópico.

Aspectos comportamentais da gestão de pessoas

Eu criei abaixo uma tabela com 10 tipos de perfis que podem ser encontrados, e as características de cada um. Veja:

Perfil
Características

Líder

Disposição para realizar uma atividade sem precisar de alguém no comando.

Essa característica possibilita que o funcionário esteja sempre à frente dos demais colaboradores e ganhe destaque no ambiente organizacional exercendo uma liderança.

Criativo

Tem facilidade e atitude de inovar em qualquer situação. Essa capacidade de criar coisas novas é uma habilidade muito valorizada pelas empresas devido à dificuldade de contratar e reter esse tipo de profissional.

Agregador

Gosta de trabalhar em equipe e tem ampla capacidade de se adaptar aos diferentes perfis de pessoas. Gosta de unir esforços para atingir seu objetivo.

Aprendiz

Gosta de aprender coisas novas e participar de novas experiências. Tem facilidade de adaptar seu comportamento diante de fatos que requerem flexibilidade e busca entender o porquê das coisas.

Servidos

Se esforça em oferecer o melhor serviço para o cliente. Busca entender as necessidades e os desejos do consumidor para conseguir satisfazer seu público.

Comprometido

É o profissional comprometido com qualquer situação que seja. Realiza sua função no tempo previsto e com a qualidade esperada. É confiável e valorizado pelas empresas.

Experiente

É referência no setor pelo seu amplo conhecimento e experiência. Conhece os padrões e os processos internos com propriedade.

Preparado

O preparado é aquele profissional que focou sua carreira para desempenhar determinada função e possui o conhecimento necessário para realizar as tarefas de forma eficiente.

Ferramentas de gestão comportamental

Agora, além dessa divisão, ainda existem outras características que podem ser encontradas em qualquer um desses perfis. As que eu separei a seguir são algumas das que são mais valorizadas e buscadas pelas empresa para vários cargos. Confira:

  • Foco;
  • Conhecimento intrapessoal e interpessoal;
  • Criatividade;
  • Flexibilidade, resiliência, capacidade de adaptação (lidar com pressão e ser brando em diversas situações);
  • Congruência, coerência (alinhamento entre aquilo que a pessoa fala, pensa, sente e o que realmente faz);
  • Capacidade de ficar curioso (habilidade em ouvir alguém com que não concorda e ficar curioso com o que ela pensa, em vez de já julgá-la, decidindo se está certa ou errada);
  • Capacidade analítica e estratégica.

É uma grande variedade de perfis e comportamentos, não é mesmo? Por isso, sua empresa deve elaborar esse teste de perfil comportamental da melhor forma possível, para que consiga ter uma boa gestão comportamental.

E isso envolve: saber o perfil de candidato que deseja para a vaga em específico, o melhor método de avaliação e a forma que irá aplicá-lo.

Viu só como é importante saber os diferentes perfis dos seus colaboradores? Sem essa informação, fica praticamente impossível ter uma boa gestão de pessoas com base em seus comportamentos.

Vamos ver como colocar essa gestão na prática? Para isso, a primeira coisa que você precisa saber são as ferramentas disponíveis para essa função.

Ferramentas de gestão comportamental

gestao comportamental ferramentas

Antes de saber como colocar essa gestão em prática, para que ela tenha sucesso, sua empresa pode adotar algumas ferramentas de gestão de pessoas que podem auxiliar nesse processo.

Além de serem fundamentais na otimização dos processos de capacitação e desenvolvimento dos colaboradores, elas ajudam seus funcionários a encontrarem motivação na realização de suas tarefas e a estarem engajados com o objetivo da companhia. Confira algumas dessas ferramentas abaixo:

Avaliação de desempenho

Esse tipo de avaliação tem como objetivo avaliar e mensurar a performance e produtividade dos colaboradores. Ou seja, serve para ver se os funcionários dominam suas funções, se entendem os objetivos desejados e se estão desempenhando suas atividades de forma eficiente.

Mas além disso, com essa avaliação, sua empresa também consegue identificar as competências e habilidades dos funcionários e no que podem melhorar. Com essas informações, é possível ter uma melhor visão de como elaborar as estratégias da gestão comportamental.

Isso porque os gestores podem conversar com os funcionários sobre essas questões, realizar feedbacks e orientá-los da melhor forma possível sobre o desempenho de suas atividades.

Pesquisa de clima organizacional

Realizar uma pesquisa de clima organizacional é extremamente vantajoso para identificar o grau de satisfação e motivação dos colaboradores. Com ela, sua empresa  poderá criar ações que contribuam para o crescimento e desenvolvimento dos funcionários e para a melhoria da produtividade e qualidade da empresa.

Ela pode ser feita por meio de conversas diretas com seus colaboradores ou pelo preenchimento de formulários, nos quais os funcionários devem opinar sobre diversas questões da empresa e pontos que ela pode melhorar.

Programas de capacitação e desempenho

Os programas de treinamento e capacitação são ótimos para desenvolver as habilidades dos funcionários e para expandir as competências técnicas, emocionais e comportamentais.

Mas além disso, eles também servem para descobrir e reter os talentos, reconhecer o comprometimento e produtividade dos funcionários, fortalecer sua autoestima profissional e mostrar o comprometimento da empresa com a evolução contínua de todos. 

Com esses programas, os colaboradores serão mais produtivos, e a gestão comportamental com certeza será mais eficiente.

Plano de carreira

Ter um plano de carreira associado à um plano de cargos e salários é uma ótima estratégia para atrair e reter talentos.

Além de estruturarem os processos relacionados ao departamento de recursos humanos, esses planos permitem que os colaboradores saibam exatamente todos os cargos que existem na empresa, e o caminho necessário para alcançá-los.

Isso é uma ótima forma de fazer com que eles se sintam motivados a alcançarem novas e melhores posições na organização.

Se sua empresa adotar essas ferramentas, com certeza sua gestão comportamental será mais efetiva. Agora, vamos finalmente ver como colocá-la em prática.

Como colocá-la em prática?

gestao comportamental colocar em pratica

Eu separei a seguir algumas dicas de como sua empresa pode colocar esse tipo de gestão na prática, para que mais para frente, eu possa explicar como aplicá-la em questões específicas como no processo de recrutamento e seleção e na gestão de conflitos.

  1. Alinhar o perfil comportamental desejado

Cada vaga exige um perfil de profissional diferente, ou seja, não adianta escolher por exemplo uma pessoa que tenha um perfil de líder para ocupar um cargo que não corresponda com essa característica de autonomia, liderança e confiança por exemplo.

Por isso, sua empresa deve antes de tudo, alinhar o perfil comportamental que deseja. Isso porque caso você contrate um funcionário que não tenha o perfil ideal para uma determinada vaga, as chances dele se sentir desmotivado, que não se adapte à rotina e que não consiga realizar as tarefas da melhor forma são grandes.

Já com esse alinhamento, por sua vez, é possível não só direcionar o melhor colaborador para a vaga, como também aperfeiçoar suas habilidades.

  1. Analisar o perfil comportamental atual de suas equipes

Quando você sabe o perfil que deseja, é importante verificar os perfis que sua empresa já possui em seu quadro de funcionários. Essa avaliação pode ser de grande ajuda, pois pode evitar demissões desnecessárias.

Isso porque várias empresas acabam demitindo funcionários que não estavam trabalhando na melhor área ou pelo simples desconhecimento da gestão comportamental. Portanto, estudar a fundo quais são as melhores possibilidades para o seu negócio é outra estratégia que permitirá que sua empresa aproveite ao máximo cada talento contratado.

  1. Inclusão dos líderes nas análises

Apesar da gestão comportamental normalmente ser feita pelo departamento de recursos humanos, incluir os líderes das equipes também irá ajudar em todo esse processo.

Afinal, são eles que convivem diretamente com os funcionários e que compreendem exatamente como eles se comportam. Com a participação deles, ficará muito mais fácil realizar essa gestão.

  1. Definição de metas e métricas para análise

Aqui entra a questão do planejamento estratégico que mencionei acima.

Quando sua empresa for avaliar os perfis comportamentais de seus colaboradores, e comparar com os perfis desejados, todo esse processo deve estar alinhado ao planejamento estratégico da empresa. Isso é, mantê-lo alinhado às metas e objetivos desejados.

Para isso, é possível criar uma planilha para mostrar cada ação que será feita e como ela pode ser desmembrada em várias partes, além é claro das metas estabelecidas. Com essa organização, fica muito mais fácil avaliar se as estratégias adotadas estão de fato tendo resultados positivos, ou se é necessário adotar outra abordagem.

  1. Ter uma boa comunicação entre as equipes

Por fim, nada disso terá sucesso sem uma boa comunicação entre as equipes, e um grande exemplo disso é o feedback.

Manter conversas constantes com os colaboradores sobre seus trabalhos permite uma relação mais transparente entre as partes, além de fazer com que o funcionário entenda o impacto e importância do seu trabalho na empresa, assim como seus pontos fortes e fracos.

Essas são apenas algumas das formas que sua empresa pode adotar para ter sucesso na gestão comportamental. Mas além disso, eu ainda vou comentar melhor sobre como ela funciona em determinadas funções do RH.

Antes disso, confira alguns modelos dessa gestão.

Modelos de gestão comportamental

Toda empresa precisa que seus funcionários desenvolvam ao máximo seus talentos e habilidade para que o desempenho de suas tarefas seja o melhor possível. Para isso, existem diversos tipos de treinamentos que podem ser adotados.

Esse tipo de treinamento surgiu nos Estados Unidos nos anos 40, e partia da premissa de que os pensamentos e emoções tinham influência direta no comportamento das pessoas. 

Esse estudo foi levado até o ambiente corporativo, e ficou comprovado que parte das limitações e entraves de uma empresa estão relacionados ao comportamento geral dos colaboradores.

Com o auxílio do RH, foram criados diversos tipos de treinamentos que visam superar essas limitações e desenvolver as habilidades dos colaboradores. Confira alguns exemplos:

Desenvolvimento de liderança

gestao comportamental modelos desenvolvimento de liderança

Esse tipo de treinamento é ideal para os colaboradores que queiram conquistar cargos de liderança ou para aqueles que desejam desenvolver suas habilidades e competências de liderança de forma assertiva. Com ele, o funcionário terá uma série de benefícios.

Como exemplo, irá melhorar o relacionamento interpessoal na empresa, aumentar a produtividade, entender de forma eficaz as necessidades da empresa, traçar metas e objetivos eficientes, motivar sua equipe, alcançar melhores resultados e, consequentemente, garantir a longevidade do negócio.

Como falar bem em público

Ter vergonha ou medo de falar em público é algo muito comum, mas no mundo corporativo, diversos cargos exigem essa habilidade dos colaboradores, e isso pode se tornar um desafio para muitas pessoas.

Por isso, exigem alguns treinamentos que podem ajudar os funcionários a conseguirem falar com segurança em público, desenvolva habilidades de comunicação, saiba se expressar de forma clara, defenda pontos de vista e não tenha medo de encarar grandes grupos de pessoas.

Isso permitirá que ele reduza seu medo e timidez de falar em público, envolver o público com o qual irá se comunicar, controlar sua emoções e ter respostas rápidas para as perguntas que possam surgir.

Administração de tempo

gestao comportamental modelos administracao de tempo

Todo mundo já teve aquele dia que parece passar rápido demais, e que as 24 horas não são suficientes para fazer tudo o que deseja.

No mundo corporativo, não saber administrar seu tempo pode trazer sérias consequências tanto para o profissional, como ter prejuízo em sua saúde com um excesso de horas extras, quanto para a empresa, que não terá uma boa qualidade das tarefas desenvolvidas e um atraso na entrega de resultados.

O treinamento de administração do tempo ajudará o colaborador a entender o que de fato é o tempo, como desenvolver um planejamento estratégico das suas atividades e como priorizá-las, e saber identificar os motivos que o estão fazendo não administrar seu tempo.

Nós temos um texto completo sobre o que é gestão de tempo e algumas técnicas que você pode usar com essa finalidade. Clique e acesse: Gestão do Tempo: O que é, Treinamentos e como aplicar na empresa.

Inteligência emocional

Quando um funcionário possui um cargo de grande responsabilidade, que está constantemente sob pressão ou até mesmo que esteja sobrecarregado de tarefas, é comum ver situações em que eles se sintam extremamente estressados e não consigam lidar com todas essas tarefas, causando por exemplo o excesso de horas extras como disse acima.

Essa situação também pode fazer com que eles desenvolvam transtornos psicológicos, que podem prejudicar sua performance pessoal e profissional. Para evitar essa situação, é possível organizar um treinamento de inteligência emocional voltado para ajudar a lidar melhor com este grande estresse e com a pressão do dia a dia.

Ele proporciona que os colaboradores compreendam melhor seus sentimentos e emoções, de onde e por que cada um deles surge, e como controlá-los de maneira eficaz, evitando esse estresse pelas inúmeras situações que temos que nos deparar em nossa rotina de trabalho e também na pessoal.

Lidar com mudanças

Para que uma empresa consiga se destacar no mercado de trabalho, ela precisa estar constantemente atualizada às novas tendências e buscar sempre se inovar. Caso contrário, podem perder sua concorrência e ter prejuízos econômicos.

E para que a empresa não sofra com essa situação, ela deve envolver seus funcionários nessas mudanças e organizar treinamentos comportamentais que os ajudem a lidar com as constantes mudanças que acontecem no dia a dia.

Além de aprender a ser mais flexível, os colaboradores também aprenderão a não sofrer tanto com situações como essas, compreendendo que tudo isso faz parte de um movimento completamente natural neste mercado altamente competitivo em que as empresas estão inseridas.

Proatividade

Por fim, ter proatividade é uma habilidade que está sendo cada vez mais buscada pelas empresas. Por isso, organizar treinamentos que visem desenvolver a proatividade nos colabores é uma ótima estratégica.

Ou seja, fazer com que os profissionais se antecipem às suas demandas e busquem sempre inovar, e experimentando novos métodos para desempenhar cada vez melhor suas atividades por exemplo. Essas características são essenciais para que tanto o próprio colaborador desenvolva sua carreira quanto para que a empresa tenha melhores resultados.

Se sua empresa adotar qualquer um desses treinamentos, com certeza sua gestão comportamental será eficaz.

Gestão comportamental na prática

Já estamos quase no final deste texto, e para que você não tenha mais nenhuma dúvida sobre esse assunto, quero resumir como essa gestão pode ser usada em diversas atividades da sua empresa.

Como utilizá-lo para recrutamento e seleção?

Lembra quando eu disse que a sua empresa precisa avaliar o perfil comportamental adequado para cada vaga? Essa análise irá facilitar e muito o processo de recrutamento e seleção.

Isso porque quando você sabe o perfil que um colaborador precisa ter para exercer cada função, sua empresa consegue ter mais assertividade na contratação, além de reduzir as chances de que turnover e demissões.

Como utilizá-lo para desenvolvimento de lideranças?

Todas as equipes de uma empresa precisam de líderes que garantam com que os objetivos da organização sejam alcançados, que se preocupem em engajar os funcionários e que sempre os orientem para que tenham uma alta performance.

Por isso, é extremamente importante organizar treinamentos que façam com que seus colaboradores desenvolvam as habilidades necessárias de um líder, e uma das melhores metodologias disso é o DISC.

De acordo com William Moulton, o criador dessa metodologia, todos nós temos características relacionadas aos 4 tipos de perfil, mas algumas ficam mais em evidência do que outras. 

São eles: Dominância (D), pessoas com perfil controlador; Influência (I), perfil extrovertido e comunicativo; Estabilidade (S), calmas e tolerantes; e Conformidade (C), analíticos, sistemáticos e prudentes.

Ao aplicar um teste de perfil voltado para esse objetivo, será muito mais fácil saber quais dessas características seus colaboradores têm e como desenvolvê-las da melhor forma.

Como utilizá-lo para gestão de conflito?

gestao comportamental como utilizar para gestao de conflito

Existem diversos tipos de conflitos que podem ocorrer em uma organização, como pela divergência de pensamentos ou pela não aceitação de uma determinada postura ou comportamento por exemplo.

E mesmo que seja difícil evitar que esses conflitos ocorram, a gestão de comportamento pode ser usada para solucionar o problema e impedir que ele traga prejuízos para o funcionário ou para a própria empresa.

Quando os responsáveis por essa gestão conseguem entender o perfil dos colaboradores, fica mais fácil entender os sentimentos envolvidos no conflito e o que causou essa situação.

E com isso, a resolução desse conflito fica muito mais eficiente, uma vez que os gestores entenderão o ponto de vista de cada um dos envolvidos, e terão a capacidade de solucionar problema por meio da empatia e por buscar formas de deixar ambas as partes satisfeitas.

Como utilizá-lo para feedback?

Eu já mencionei aqui como o feedback é importante para sua empresa, pois é a partir dele que seu funcionário se sentirá importante no desempenho das suas tarefas e se elas estão sendo feitas da melhor forma.

Nesse momento, saber o perfil do colaborador será de grande ajuda especialmente em casos que algum colaborador não esteja desempenhando suas funções da melhor forma. 

Muitas vezes, isso pode acontecer pelo fato de que ele não tem o perfil ideal para aquela vaga, ou não sabe lidar com as responsabilidades impostas, e é somente a partir de conversas e feedbacks constante que é possível identificar essa situação e saber como solucioná-la.

Regras da gestão comportamental

Por mais que a gestão comportamental busque gerir os funcionários com base em seus comportamentos, sempre se preocupando em deixá-los felizes e adaptá-los à rotina da empresa, não podemos nos esquecer de uma coisa: toda organização possui suas regras.

Isso quer dizer que os responsáveis por essa gestão também precisam se preocupar em deixar claro a cultura organizacional da empresa, e verificar se os funcionários possuem um perfil que vai ao encontro das normas estabelecidas pela organização.

Isso também irá evitar processos de demissões, por casos de colaboradores que não se adaptaram ou não concordaram com as regras impostas.

Conclusão

gestao comportamental conclusao

Ao longo deste texto, eu quis deixar claro o porque ter uma gestão comportamental só irá trazer benefícios para a sua empresa. Afinal, funcionários que se sentem importantes e motivados são mais produtivos trazem maiores resultados para a organização.

Por isso, lembre-se de todas as dicas que dei como organizá-la,  e de todas as ferramentas que existem e que com certeza irão te auxiliar nesse processo.

Se você gostou deste texto, compartilhe nas redes sociais e continue sua visita em nosso blog, que estamos sempre produzindo os melhores conteúdos sobre RH e administração de empresas!

Rolar para cima
WhatsApp chat