Saiba o que é o profissional overemployed, quais são as consequências e estratégias para prevenção
BLOG
Time Pontotel 8 de fevereiro de 2024 Departamento Pessoal
Saiba o que é o profissional overemployed, quais são as consequências e estratégias para prevenção
Overemployed: entenda por qual motivo profissionais estão acumulando dois empregos e quais são as formas de mitigar os efeitos desta prática.
img of Saiba o que é o profissional overemployed, quais são as consequências e estratégias para prevenção

Muitas vezes impulsionado por necessidades financeiras ou aspirações de trabalho, o profissional overemployed enfrenta uma série de desafios e consequências que ultrapassam sua carreira, atingindo outros aspectos profissionais.  

Afinal, são inúmeras as complexidades envolvidas nesse malabarismo profissional. Além da sobrecarga de tarefas a serem feitas, devem ser consideradas ainda todas as consequências que afetam o bem-estar e o desempenho daqueles que adotam este tipo de rotina.

Neste sentido, uma gestão adequada feita pelo profissional overemployed é crucial para garantir um equilíbrio saudável entre trabalho e vida pessoal. Estratégias como a definição de limites de horas de trabalho, a priorização de tarefas e a prática de cuidados com a saúde devem fazer parte desta rotina.

Por esse motivo, este artigo irá abordar o tema integralmente. Além da discussão sobre os fatores que resultam no overemployment, serão abordadas maneiras para que o profissional encontre equilíbrio no desafio de conciliar dois empregos. Para melhor entendimento, o texto foi dividido nos seguintes tópicos:

Boa leitura!

O que é overemployed?

Mulher utilizando um notebook

O termo overemployed é empregado para designar profissionais que atuam em mais de uma empresa em período integral em segredo. Eles também são chamados de super-empregados. 

A palavra overemployed é bastante usada no ambiente corporativo mundial e tem origem no inglês, sendo uma combinação de “over”, que significa excesso, e “employed”, que é o mesmo que estar empregado ou trabalhando. 

Tal prática, por causar acúmulo de demanda, pode resultar em fadiga, estresse excessivo e falta de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, já que a carga horária de ambos trabalhos costuma ser integral. 

Importante lembrar que overemployed é bastante confundido com sobrecarga de trabalho ou com a situação de profissionais que aliam seus trabalhos formais a outras maneiras de obter renda extra, mas não se trata do mesmo assunto. 

Para ser considerado um profissional overemployed, é preciso que o indivíduo tenha um vínculo empregatício e a dedicação esperada de um trabalho único, mesmo atuando em duas posições em empresas diferentes. Sendo assim, o profissional que está nesta situação normalmente tem duas equipes, dois materiais de trabalho e o dobro de demanda.

Como surgiu o termo overemployed?

O surgimento de termos como overemployed é um reflexo das mudanças nas dinâmicas de trabalho e nas condições econômicas. À medida que a sociedade evolui e as demandas no local de trabalho se transformam, existe a percepção de que é possível aliar mais de um emprego.

Além disso, as transformações econômicas que elevaram o custo de vida e a recente pandemia da covid-19, que tornou o trabalho remoto comum, elevaram a possibilidade e levantaram a necessidade de profissionais buscarem por oportunidades duplas.

A problematização do overemployed, por sua vez, provavelmente ganhou destaque à medida que as preocupações com a carga de trabalho excessiva e o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal se tornaram mais proeminentes nas discussões do mundo corporativo atual.

Quais são as causas e os fatores do profissional overemployed?

São várias as causas e os fatores que aumentam o overemployment, podendo ser impulsionados por necessidades financeiras ou meramente profissionais. Em setores ou indústrias em que a demanda por mão de obra é alta, por exemplo, os profissionais podem se sentir pressionados a assumir múltiplos empregos para atender a essa demanda crescente.

Já a instabilidade financeira, causada pela pandemia e pelas crises econômicas no mundo todo, é outro fator que pode levar as pessoas a buscar várias fontes de renda para garantir sua segurança econômica.

Há, ainda, as pressões sociais, fazendo com que alguns indivíduos imponham a si padrões elevados e assumam mais de um emprego para poderem se sentir validados como profissionais.

A falta de limites também é outro fator. Se os limites entre o trabalho e a vida pessoal não são claramente definidos, os profissionais podem ter dificuldade em se desligar do trabalho, tendo uma carga excessiva de tarefas.

Quais são as consequências de ser um profissional overemployed?

Ser um profissional overemployed, ou seja, dedicar-se a mais de um trabalho, normalmente sob pressão, pode ter diversas consequências negativas, que afetam tanto a vida profissional quanto a pessoal. As principais delas são:

Impactos na saúde mental

O excesso de trabalho pode levar ao burnout, uma síndrome caracterizada por exaustão física e mental, despersonalização e diminuição do senso de realização no trabalho. Além disso, a saúde pode ser afetada com distúrbios do sono, aumento do estresse, problemas cardiovasculares e comprometimento do sistema imunológico.

A sobrecarga traz também maior dificuldade nas relações pessoais. A falta de tempo devido ao trabalho excessivo pode prejudicar as relações pessoais, causando isolamento social e problemas familiares.

Queda da produtividade

Atuar em mais de uma demanda pode trazer perdas ao profissional overemployed, em vez de deixá-lo mais produtivo. A fadiga resultante do trabalho excessivo pode prejudicar o desempenho no trabalho, levando a erros e falta de concentração.

O esgotamento cognitivo causado pela condição de overemployed também pode prejudicar a criatividade e o potencial de inovação do profissional, fazendo com que o trabalhador não encontre as soluções necessárias para os desafios que se apresentam no dia a dia de trabalho.

Falta de equilíbrio entre vida pessoal e profissional

O excesso de ocupação em mais de um ambiente de trabalho  geralmente resulta na  falta de equilíbrio entre o trabalho e vida pessoal, levando a uma qualidade de vida inferior. Isso acontece, pois, quando a maior parte da vida de alguém é dedicada ao trabalho, suas outras necessidades são pouco sanadas.

Além disso, o excesso de trabalho pode fazer com que os profissionais percam de vista suas metas de carreira em longo prazo, concentrando-se apenas nas demandas imediatas, sem planejar sua vida na totalidade. 

Quais são as estratégias para lidar com o overemployment?

Homem escrevendo em um papel

Apesar de ser bastante desafiador lidar com o overemployment, já que o fenômeno é composto por fatores diversos e não homogêneos, há algumas estratégias que podem auxiliar o profissional a lidar melhor com esta situação:

Estabelecer prioridades e metas realistas

É importante avaliar a quantidade de trabalho que é possível gerenciar de forma realista. Assim, é possível entender até onde se pode ir com o trabalho e quais são as tarefas que podem ser feitas, remanejadas ou delegadas. 

Por isso, deve-se criar metas, identificar as próprias capacidades e estabelecer limites razoáveis para evitar sobrecarga. Ter estratégia na hora de lidar com as demandas pode ser essencial para conciliar os trabalhos com sucesso. 

Implementar estratégias de delegação eficazes

Já que as tarefas são diversas e podem coincidir entre si, é importante identificar as tarefas mais importantes e priorizá-las. Por isso, é importante concentrar-se no que é essencial e/ou adiar as tarefas menos urgentes, se possível.

No caso de estar em posição de liderança, em que é possível delegar, é necessário distribuir tarefas entre a equipe e evitar sempre que possível aquelas que são mais operacionais. A colaboração eficaz pode ajudar a aliviar a carga de trabalho para todos.

Adotar métodos de gerenciamento do tempo

É importante aprimorar as habilidades de gerenciamento do tempo para ser mais eficiente e produtivo durante o horário de trabalho, permitindo cumprir as próprias responsabilidades sem estender excessivamente as horas trabalhadas.

Há alguns métodos que podem ajudar, como a Técnica Pomodoro, que divide o trabalho em intervalos de 25 minutos; a Matriz de Eisenhower, que classifica as tarefas com base na urgência e importância; e o método Getting Things Done, que preconiza a organização de tarefas em listas claras, dividindo-as em ações concretas, projetos e metas.

Promover intervalos de descanso

Intervalos de descanso são essenciais e fundamentais para prevenir a fadiga e melhorar a produtividade e o bem-estar geral. Se possível, é indicado realizar uma caminhada, fazer algum alongamento e se hidratar durante essas paradas.

As pausas no trabalho não precisam tomar muito tempo e podem ser curtas, feitas de 5 a 10 minutos a cada hora de trabalho. Isso ajuda a manter a concentração e evitar que o profissional se sinta sobrecarregado. Apesar de tentador, é de suma importância evitar telas durante esses intervalos.

Qual o papel do RH na prevenção do overemployment?

O departamento de Recursos Humanos (RH) desempenha um papel crucial na prevenção do overemployment e na promoção de um ambiente de trabalho saudável. Sendo assim, cabe a esta equipe criar iniciativas que consigam mitigar este problema que pode acometer seus funcionários.

Ao RH, cabe, por exemplo, oferecer formas de valorizar o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, além do descanso adequado. Assim o funcionário é capaz de entender melhor a importância de adotar este tipo de postura.

A equipe deve, ainda, revisar as políticas de remuneração e promoção para garantir que o reconhecimento e o avanço estejam alinhados com a produtividade sustentável, e não com a quantidade de horas trabalhadas. Assim, há menos chances de que o profissional opte por buscar mais de uma ocupação de trabalho.

Planos de carreira são sempre bem-vindos pois funcionários que enxergam um futuro claro e promissor em uma empresa são mais propensos a permanecer a longo prazo em uma única empresa.

É recomendado também que se realizem pesquisas regulares de engajamento para obter feedback dos funcionários sobre sua satisfação no trabalho, identificando as áreas de melhoria e entendendo as principais preocupações.

O RH pode também proporcionar serviços de apoio psicológico que podem auxiliar os funcionários a lidar com o estresse e evitar a fadiga exagerada. Dessa forma, a saúde mental é preservada e as estratégias de bem-estar são trabalhadas.

A avaliação contínua dos níveis de engajamento e estresse dos funcionários é fundamental para manter um ambiente de trabalho saudável e produtivo. Por meio desses dados, é possível ter uma visão mais clara da saúde mental e das condições em que se encontram os funcionários.

Conclusão

Neste artigo, foi possível entender um pouco mais sobre o que é o profissional overemployed, uma condição que tomou força na pandemia e que diz respeito ao trabalhador que mantém dois empregos simultaneamente.

Foram abordadas a origem e as causas deste fenômeno, que têm a ver com a ascensão do trabalho remoto na pandemia e com a insegurança econômica causada pelas crises nos países. Além disso, há novos panoramas sobre o trabalho e a forma de estar presente no mercado.

Discutiu-se, ainda, algumas táticas para prevenir os efeitos de ter dois trabalhos. Saber gerenciar as demandas, priorizá-las e delegá-las quando necessário são algumas tarefas que podem beneficiar estes profissionais.

Por fim, também foi mencionado o papel da equipe de RH neste processo, responsável por criar práticas que promovam o equilíbrio e a saúde mental dos funcionários. 

Incentivo à cultura de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, criação de políticas de bem-estar e avaliação contínua de níveis de engajamento e estresse estão entre as estratégias indicadas.

Gostou do conteúdo? Confira outros artigos sobre gestão de pessoas e mundo corporativo no blog Pontotel

Compartilhe em suas redes!
Mais em Departamento Pessoal VER TUDO
INICIAR TOUR!