Ownership: entenda como essa cultura ajuda as equipes a atingirem seu máximo potencial

imagem de um homem sorrindo segurando folhas de papel

Para a maioria das empresas, criar um ambiente de trabalho que gere um sentimento de pertencimento e engajamento dos colaboradores é algo que auxilia no desenvolvimento dos negócios. 

Porém, é sabido por todos que esse processo não é fácil, e muitas organizações se esforçam para superar os desafios, criando um sentimento que torne os funcionários mais envolvidos com as empresas onde trabalham, e é aí que entra o Ownership. 

Conhecido também como o “sentimento de dono” no contexto corporativo, o termo Ownership vem ganhando cada vez mais espaços nas corporações que se preocupam tanto com a cultura, quanto com o espaço organizacional e seu impacto no dia a dia das equipes de trabalho. 

Para que você entenda o que é ownership e como as organizações viram um aumento no engajamento dos funcionários depois de incluir essa prática em seus cotidianos, reunimos neste artigo todas as informações necessárias sobre o assunto. A seguir falaremos um pouco mais sobre: 

Aproveite a leitura!

banner frequência de funcionários

O que significa Ownership

imagem de uma mulher sentada escrevendo em um caderno

Traduzindo para o português, a palavra ownership significa propriedade, sendo assim, a aplicação de ownership no dia a dia tem forte relação com a questão de apropriação.

Quando falamos dessa prática de gestão em organizações, a ideia é justamente criar um sentimento de propriedade em cada colaborador, estimulando que eles tenham atitudes de donos no ambiente onde trabalham.

O senso de ownership faz com que cada trabalhador de uma empresa tenha atitudes em prol do negócio, agindo, trabalhando e tomando decisões como se fosse dono da empresa. Isso gera muito mais responsabilidade para os colaboradores, independentemente do seu nível hierárquico.

Nesse sentido, apropriar-se do local de trabalho e incentivar atitudes ownership garante a capacidade dos profissionais de maximizar suas contribuições no negócio.

Qual sua relação com o meio corporativo?

Grande parte dos negócios que estão em fase de crescimento tendem a contratar um quadro maior de trabalhadores para auxiliar na rotina da organização. A partir disso, a tendência das relações se tornarem apenas superficiais e hierárquicas aumenta, já que a cultura da organização, que envolve todo o entusiasmo e missão da companhia, se perde. 

Nesse cenário corporativo, Ownership é introduzido como um plano estratégico voltado ao gerenciamento interno, com a intenção de incentivar nos colaboradores essas “atitudes de dono”. 

Além disso, com a implementação dessa abordagem, a organização contará com uma equipe de pessoas proativas e engajadas em seus cargos e tarefas, o que mostra que encorajar o sentimento de Ownership no trabalho representa mais satisfação, propósito, alta performance e o fortalecimento dos objetivos da empresa.

Diferenças entre Ownership, Responsibility e Accountability

Ownership, accountability e responsibility são três termos semelhantes com significados que podem ser facilmente confundidos quando não compreendidos da maneira correta. 

Quando tratamos de responsibility, estamos falando da atribuição de papéis, funções e processos necessários para atingir um objetivo. Em seu sentido literal, a responsibility está ligada ao dever e capacidade de um profissional em completar as tarefas que lhe são atribuídas, seguindo regras e procedimentos.

Já o termo accountability está atrelado à capacidade e ao compromisso de um profissional em assumir uma tarefa e desempenhar a sua função. A proatividade se torna uma das suas principais características sendo orientada por resultados. 

Ou seja, o accountability foca-se principalmente na boa execução das tarefas definidas como necessárias para atingir um objetivo, comprometendo-se com o resultado. 

Dessa forma, uma pessoa pode ter responsibility sobre uma atividade ou projeto e ao mesmo tempo não apresentar accountability.

Em negócios com visões hierárquicas e com gestão vertical, os colaboradores desenvolvem suas responsabilidades com o intuito de evitar punições. Ambos os termos carregam um sentimento de pressão interna e relação não saudável quando mal atribuídos, pelas regras e cobranças que as tarefas podem trazer.  

Agora quando falamos de ownership, as atividades são desempenhadas para gerar resultados positivos. Essa característica também está atrelada ao comprometimento nos serviços, mas tem seu foco principal em personalidade entusiástica, que visualiza o sucesso da organização como um interesse coletivo.

Por que a atitude de dono é importante?

Antes, o pensamento de “atitude de dono” do trabalho não era bem interpretado, pois os líderes viam esse tipo de sentimento como forma de bajulação dentro das instituições. 

Apesar disso, com o surgimento do conceito de ownership no ramo empresarial, esse pensamento ganhou um novo significado, e isso pode ser notado principalmente na mudança de comportamento de profissionais que antes só desempenhavam as tarefas que eram delegadas, mas hoje fazem muito mais.

Essa metodologia se tornou peça-chave para os líderes, que hoje conseguem identificar muito mais facilmente os funcionários que se identificam com os valores da empresa, e realizam suas atividades sempre alinhados com os objetivos do negócio.

Quando os profissionais têm senso de ownership, eles se tornam muito mais propensos a tomar decisões certas e coerentes, mesmo quando ninguém está por perto para orientá-los. Isso porque eles se sentem investidos no sucesso da equipe, visando sempre o bem-estar geral. 

Além disso, o “sentimento de dono”: 

  • Fornece uma fonte constante de motivação para o trabalho;
  • Garante o alinhamento de projetos ou tarefas de trabalho com os objetivos da empresa;
  • Ajuda a promover relacionamentos positivos no local de trabalho;
  • Incentiva o crescimento da carreira.

Quais benefícios o ownership traz para um time?

Um ambiente de trabalho agradável é um grande atrativo em qualquer empresa, mas isso só é possível quando os líderes conseguem estimular a colaboratividade, criatividade, inovação, e o ownership em seus liderados.

Assumir o ownership no trabalho pode beneficiá-lo de várias maneiras. Confira a seguir as principais vantagens!

Senso de responsabilidade 

A cultura ownership só nasce com o empoderamento profissional. A soma de responsabilidades com maior autonomia inclui também o senso de antecipar possíveis problemas futuros e desenvolver soluções, pedir esclarecimentos sobre prazos, tarefas e para minimizar o estresse ou a confusão durante os dias de trabalho.

A responsabilidade é importante porque fornece um senso de propósito, além de construir resiliência em meio a adversidades em nível pessoal e profissional.

Autonomia

O aumento na produtividade, a agilidade nos processos, possibilidade de desenvolvimento de novas habilidades, melhorias no ambiente de trabalho como um todo, entre outros atributos, são desempenhados a partir da autonomia.

Pessoas que trabalham em ambientes com senso de ownership serão naturalmente mais autônomas, tendo flexibilidade para agir nas mais distintas situações, além de tomarem decisões mais efetivas.

Engajamento com a empresa

Sem dúvidas, uma organização que apoia e incentiva o engajamento dos funcionários terá um crescimento geral melhor. 

Com um sentimento de dono a motivação se torna maior ao desempenhar serviços, contribui para um clima organizacional mais positivo, além de buscar sempre traçar metas e objetivos mais desafiadores para as suas tarefas. O time será: 

  • Mais produtivo; 
  • Contará com uma cultura organizacional mais favorável;
  • Terá uma satisfação maior em relação às tarefas desempenhadas.

Como estimular o senso de Ownership na empresa?

imagem de dois homens se cumprimentando

Empresas com senso de ownership em suas culturas organizacionais, tendem a ser mais bem-sucedidas do que negócios que são menos estruturados. Isso porque essas companhias priorizam sistemas que promovem o desempenho, a produtividade e o engajamento dos funcionários. 

Quando o sentimento de dono é estimulado entre os profissionais de uma organização, a empresa se torna mais direcionada para o sucesso, pois os trabalhadores costumam desempenhar suas atividades com mais determinação.

Para implementar o senso de ownership em um negócio, é necessário que o direcionamento seja muito claro. Sendo assim, se o intuito da empresa é ter uma equipe engajada e um alto potencial de desenvolvimento, é muito importante que isso esteja bem alinhado. 

Por esse motivo, separamos algumas estratégias que podem auxiliar os gestores a implementar o senso de ownership, veja abaixo!

Comece pelo planejamento

Um bom planejamento é indispensável em qualquer negócio, e deve ser o primeiro passo realizado sempre.

É importante reunir as lideranças e equipes para que eles exponham o quadro atual de cada departamento é a primeira etapa do planejamento, que deve guiar o senso ownership. 

A partir disso, será possível criar planos de ações e projetos futuros voltados às problemáticas apontadas durante o levantamento de ideias. 

Ao enfatizar a necessidade de liderança entre seus funcionários, é importante também estar atento aos sentimentos dos funcionários, discutir as principais falhas da empresa e expor quaisquer problemas que estejam no caminho de seu sucesso.

Fomente a cultura ownership dentro da organização

As equipes de trabalho são a prova viva da cultura da sua empresa e é importante que essa  base seja sólida.

Num ambiente com senso de ownership, os funcionários têm uma compreensão compartilhada das principais metas e objetivos, tornando-os mais responsáveis ​​por seu comportamento. 

Esse senso de responsabilidade e propriedade impulsiona o engajamento e a produtividade. 

Invista no treinamento de lideranças

Não podemos esquecer que, os melhores líderes estabelecem metas e deixam os demais profissionais escolherem a melhor forma de alcançá-las. Resultados e ideias devem ser coletivos, reunindo habilidades e competências individuais, e essas atitudes englobam diretamente o conceito de Ownership. 

Para isso, treinar as lideranças é algo fundamental para eles poderem compreender a finalidade desse “sentimento de dono” e conduzir bem as etapas de implementação. 

Além disso, também é importante treinar os colaboradores, pois, todo profissional que tenha uma atitude de dono ajudará a disseminar essa cultura por toda a empresa, inspirando esse sentimento nos demais colaboradores.

Normalmente, programas de treinamento são oferecidos como estímulo de melhoria para os profissionais, sendo papel do RH das empresas criarem esses programas.

Adote rotinas de avaliações de desempenho e feedbacks

O feedback da equipe é crucial nos negócios para identificar as metas da empresa e gerenciar o progresso. 

Para ser eficaz quando relacionado ao senso de ownership, o feedback deve ser intencional, construtivo e envolvente. Ao entender a importância do feedback da equipe e aprender as técnicas mais eficazes, as empresas conseguem melhorar essa aplicação. 

Esse fator também ajuda a determinar quais áreas as empresas devem melhorar para serem mais bem-sucedidas.

Fortaleça a comunicação interna

Se sua equipe já foi montada e você deseja implementar uma cultura de propriedade, a comunicação é a chave para isso. Falhas de comunicação no local de trabalho podem ter consequências terríveis, e será a partir da comunicação transparente e objetiva que a empresa transmitirá o ownership. 

De diversas formas possíveis, o principal papel da comunicação interna é ajudar a tornar a cultura da sua empresa evidente. Quando bem feita, isso dará vida à cultura do seu local de trabalho e irá oferecer às pessoas uma visão mais holística da organização.

Conclusão

imagem de um homem segurando um computador

No decorrer da leitura, foi possível entender o quanto os colaboradores são o motor por trás do sucesso de qualquer organização. 

Vimos que alimentar uma cultura Ownership é uma das maneiras de fazer seu empreendimento crescer e também cria um ambiente de trabalho muito mais harmonioso e descontraído.

Além disso, foi possível perceber o quanto é vital fornecer o apoio e os recursos necessários para que os líderes e os colaboradores se desenvolvam, graças ao estímulo do “sentimento de dono”, capaz de melhorar a relação dos negócios com seus funcionários.

E aí, se identificou com o ownership? Deu para perceber que uma cultura de propriedade não é cultivada da noite para o dia, mas é um processo que vale a pena ser estudado nas organizações.

Considere as etapas ensinadas e decida quais são as mais adequadas para sua empresa, pois, como vimos, quando os colaboradores têm uma participação ativa nas empresas, o crescimento é uma consequência positiva.

Para continuar acompanhando assuntos como este, assine a newsletter do blog da PontoTel, e não esqueça de compartilhar esse conteúdo nas redes sociais!

controle de jornada digital e gestao de pessoas

Compartilhe em suas redes!
Rolar para cima