Salário emocional: conceito, importância e como implementar na empresa!

salario emocional

Nos últimos anos temos visto uma grande virada de cultura e pensamento no mercado de trabalho. Hoje em dia, os profissionais estão cada vez mais em busca de empresas que proponham um ambiente de trabalho seguro, com uma cultura forte e que ofereça a possibilidade de crescimento. Ou seja, o conjunto de fatores motivacionais e emocionais têm sido o principal fator de atração e retenção de talentos, e o nome dado a este conjunto é salário emocional.

Foi-se a era em que as pessoas escolhiam as empresas que trabalhavam, levando em consideração apenas o valor do salário propriamente dito.

Vale destacar que, a importância dos tipos de remuneração, se fixa e variável, para o trabalhador não diminuiu, mas ele começa a colocar outros pontos como prioridade.

A busca por profissionais qualificados está cada vez maior, e as empresas que querem se destacar perante o mercado oferecem muito mais que um salário fixo competitivo.

As empresas mais desejadas por esses profissionais, geralmente oferecem um plano de carreira bem estruturado, a possibilidade de adquirir novos conhecimentos e de desenvolvimento pessoal, além de um bom plano de saúde, e outros benefícios garantidos pela CLT.

Por ser um momento muito delicado, o “novo normal” tem feito com que muitas empresas melhorem os pacotes de benefícios oferecidos aos colaboradores, essa estratégia tem melhorado indicadores como turnover e atratividade de vagas, além da melhora na qualidade de vida dos colaboradores.

Preparamos esse conteúdo para que você entenda tudo sobre o salário emocional, um tema que está cada vez mais em evidência. Confira os principais tópicos que serão abordados neste material:

banner frequência de funcionários

Conceito de salário emocional

O salário emocional é relativo de empresa para empresa. Não existe uma regra de quais benefícios e possibilidades devem ser oferecidos aos colaboradores para que a empresa possa dizer que oferece esse tipo de salário.

Ele é composto pela soma de benefícios subjetivos como a perspectiva de crescimento dentro da empresa, cultura das pessoas do time, reconhecimentos e um ambiente que possibilite aumento na curva de aprendizado e desenvolvimento de habilidades profissionais.

Em linhas gerais, os principais objetivos que as empresas possuem em oferecer o salário emocional, são: melhorar o engajamento dos colaboradores, diminuir o volume de demissões voluntárias, aumentar a produtividade das equipes e aumentar a atratividade para as vagas abertas.

O pacote desses benefícios subjetivos e intangíveis podem variar de acordo com as características dos funcionários da empresa ,e com as necessidades que a mesma possui.

Geralmente eles são oferecidos por organizações que possuem a visão de que os colaboradores são o principal motor de eficácia dos negócios, ou seja, o seu recurso mais valioso.

Além de tudo, segundo Chiavenato, os profissionais podem satisfazer as suas necessidades através do trabalho que prestam às organizações, então oferecer o salário emocional pode ser uma estratégia para que os colaboradores realmente se sintam bem e satisfeitos. Fazer a gestão dos cargos e salários é fundamental.

Quais os principais tipos de salário emocional?

Como falamos acima, cabe a cada organização decidir o que oferecerá como salário emocional aos seus funcionários. Vale lembrar que, esse pacote de benefícios intangíveis deve ser estruturado de acordo com o perfil dos colaboradores da empresa.

Abaixo, pontuamos alguns dos exemplos mais comuns de salário emocional oferecido pelas empresas, veja:

  • Ambiente profissional agradável, positivo, saudável e estimulante;
  • Reconhecimento por parte da liderança;
  • Rotina de treinamentos focados na motivação e desenvolvimento dos colaboradores;
  • Comunicação sem ruídos;
  • Possibilidade de criar networking com profissionais que são referências de mercado;
  • Plano de carreira bem estruturado, possibilitando crescimento interno;
  • Flexibilidade na rotina de trabalho;
  • Estímulos a novos desafios;
  • Programas de lazer;
  • Liderança inspiradora e eficiente;
  • Planos de Desenvolvimentos Individuais (PDI);
  • Cuidado com o colaborador no ambiente externo à empresa.

Como pudemos observar, todos os benefícios mencionados acima não possuem um valor representado por uma cifra ($), e não são mencionados nos contratos de trabalho. Por este motivo, é importante que as empresas consigam passar credibilidade de confiança durante o processo de contratação de novos colaboradores.

Como promover e implementar o salário emocional na organização?

downsizing o que é

Na teoria, a implementação do salário emocional dentro da empresa pode parecer algo simples. Na prática, os profissionais de RH sabem que esse é um desafio e tanto.

A implementação do salário emocional é um desafio complexo, porque precisa de fatores pessoais para dar certo. Por exemplo, para que a empresa tenha uma cultura forte, ela depende que os funcionários tenham esse valor enquanto pessoas.

Ou seja, se o processo seletivo possuir alguma brecha, podem ocorrer contratações de profissionais que não tenham a cultura alinhada com a empresa, e isso com certeza vai impactar de maneira negativa no clima organizacional.

Para que isso não aconteça na sua empresa, trouxemos algumas dicas de como implementar o salário emocional:

  1. Liderança engajada: Os gestores devem trabalhar focados no desenvolvimento dos profissionais de suas equipes. Esse é o primeiro passo para que seja estabelecido um clima organizacional positivo. Caso a liderança não consiga engajar seus liderados de maneira que o ambiente de trabalho seja transformado, dificilmente os resultados alcançados, nesse quesito, serão satisfatórios.
  1. Sem distinções entre os colaboradores: Todos devem receber a mesma oportunidade de crescimento dentro da empresa. É claro que os fatores promotores de cada posição serão relativos, mas é necessário que 100% dos colaboradores tenham a chance de se desenvolver e, consequentemente, serem promovidos para posições mais estratégicas. Isso deve acontecer de maneira completamente imparcial, desconsiderando gênero, religião, orientação sexual, raça e idade.
  1. Departamentos com objetivos alinhados: Oferecer o salário emocional é uma das formas de envolver todas as áreas da empresa em um mesmo propósito. Os diferentes departamentos devem agir de maneira conjunta, buscando tornar o ambiente de trabalho cada vez mais leve e alinhado.
  1. Perfil dos colaboradores: Para saber quais serão os benefícios subjetivos que motivam os membros das equipes, é necessário entender qual é o perfil desses profissionais. Acompanhar a satisfação dos funcionários por meio de pesquisas é de suma importância, para que o salário emocional seja cada vez mais assertivo.
  1. Rotinas de treinamentos: Manter uma rotina de treinamentos com os colaboradores faz com que eles sintam que estão aprendendo e se desenvolvendo. A partir daí, eles começam a entender que a importância de suas entregas se tornam cada vez maior para a empresa. Isso é um dos fatores que manterá seus funcionários motivados e engajados em seus papéis.

Qual a relação de salário emocional com cultura organizacional? 

O salário emocional está diretamente relacionado com o engajamento e, consequentemente, com a cultura da organização como um todo.

A partir do momento em que as empresas propõem para os seus colaboradores um ambiente seguro, motivador, leve, saudável e principalmente, com os processos organizados, a satisfação e entregas dos funcionários tendem a ser melhores.

Qual a importância do salário emocional para os colaboradores? 

Os colaboradores que possuem a possibilidade de se aperfeiçoarem, desenvolverem e de trabalharem em um ambiente seguro, tendem a ter uma  satisfação maior com seu trabalho. Isso é muito importante para a saúde e bem-estar dos membros da equipe.

E quais os benefícios que o salário emocional traz para as empresas?

As empresas que proporcionam o salário emocional, geralmente conseguem reduzir o turnover, que é um dos principais indicadores de performance da área de RH, aumentar a atratividade das vagas e, mais importante, conseguem melhorar os índices de engajamento dos colaboradores.

O salário emocional aumenta a valorização da empresa por parte dos colaboradores?

Uma vez que for bem implementado, o salário emocional pode sim aumentar a valorização da empresa aos olhos dos colaboradores. Muitas vezes, os profissionais que trabalham em empresas que possuem este tipo de salário, pensam duas vezes antes de abrir mão de suas posições.

Papel do RH na implementação do salário emocional

A área de recursos humanos tem um papel fundamental na implementação do salário emocional. Vale reforçar que, ele é um dos principais responsáveis por entender o perfil dos colaboradores, saber quais são os tipos de benefícios intangíveis que os agradam, fazendo com que os mesmos se sintam motivados e engajados com os papéis de suas funções.

É claro que, toda essa responsabilidade não fica somente nas mãos do RH. Como vimos acima, a implementação desse tipo de salário é uma das estratégias de fazer com que a empresa como um todo fique mais unida, propondo um ambiente mais saudável para os seus funcionários.

banner pontotel acompanhamento em tempo real

Conclusão

Como pudemos observar no texto acima, o salário emocional tem ganhado um peso cada vez maior nas empresas. Ele é estratégico tanto para aumentar a atratividade de vagas quanto para reter os talentos do time.

Para que ele seja bem sucedido, as empresas devem conhecer muito bem os perfis, necessidades e desejos de seus colaboradores. Desta forma, elas conseguem implementar benefícios subjetivos que, realmente, façam a diferença no rendimento e motivação dos funcionários.

Essa motivação faz com que as pessoas tornem o clima organizacional mais leve e os ganhos com isso são grandiosos. Uma vez que for bem estruturado e implementado da forma correta, as empresas conseguem alcançar melhoras significativas nos seus indicadores-chave de performance.

A cultura da empresa fica cada vez mais consistente, é um fator muito importante visto por talentos que estiverem buscando novas oportunidades no mercado.

Em suma, o valor do salário fixo vem deixando de ser uma prioridade aos profissionais, e o pacote de benefícios tangíveis e intangíveis vem ganhando um maior posicionamento nessa escala. Como você e sua equipe têm se preparado para esse movimento?

Esperamos que tenha saído daqui com todas as suas dúvidas sanadas. Continue acompanhando os nossos conteúdos!

Compartilhe em suas redes!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Rolar para cima