Employee experience: saiba o que é e como promover na sua empresa!

imagem de pessoas reunidas em um ambiente corporativo

Você sabia que a experiência do colaborador é essencial para a qualidade da empregabilidade de uma empresa? 

O termo “employee experience” nasceu da necessidade de se ter um olhar mais atento para o colaborador, a fim de compreender as emoções, performance, e até mesmo o tipo de relacionamento que se tem com uma empresa.

Ela também é importante para compreender a qualidade do engajamento e da motivação dos colaboradores.

Afinal, se as expectativas são bem atendidas, as experiências são mais positivas, tanto para a empresa, quanto para os colaboradores.

Além de ser benéfico para a gestão empresarial, cuidar das experiências e da jornada do colaborador dentro da empresa é fundamental para os seus resultados profissionais.

Se você quer saber o que é employee experience, como o RH e os gestores podem adotar algumas estratégias e melhorar a qualidade de vida de seus colaboradores, continue a leitura!

banner calculos automaticos

Employee experience: o que é e qual a importância?

O “Employee Experience”, ou “EX” é um termo inglês que significa experiência do colaborador, ou jornada do colaborador, e se tornou tendência a partir de uma publicação de Denise Lee Yohn na revista Forbes, em 2018. 

Trata-se sobre o conjunto de percepções, sentimentos e experiências do colaborador em relação a uma empresa, desde o momento da aplicação para uma vaga até as etapas de entrevista, contratação, onboarding e toda sua vivência na empresa até o momento do desligamento.

A análise apontou que as iniciativas empresariais para melhorar experiência do colaborador possibilita que as empresas alcancem resultados melhores e um ambiente mais propício a inovação e criatividade.

Uma boa experiência e a alta a qualidade de vida no ambiente de trabalho resultam na melhora do engajamento dos funcionários. E, por meio dos resultados individuais dos colaboradores, a empresa pode alcançar os seus resultados coletivos e organizacionais. 

Contudo, a experiência do colaborador não se resume apenas a se sentir bem com os colegas de trabalho ou a empresa realizar festas para mostrar aos profissionais que são importantes. 

Você já deve ter escutado alguém dizer que as pessoas são tão – ou mais – importantes para a empresa do que os próprios clientes e consumidores. Aliás, cuidar do cliente interno é importante para a marca e a cultura da empresa no mercado, fomentando assim sua competitividade e empregabilidade.

As empresas sempre estão em busca de resultados melhores e processos mais eficazes. Em sua publicação para a Forbes, Denise ainda ressaltou que o Employee Experience é a nova fronteira competitiva do mercado, e que seria a prioridade das empresas naquele ano – e continua sendo.

Por que a experiência do funcionário é tão importante atualmente?

A Experiência é o conjunto de sensações e memórias que se formam quando interagimos com pessoas, marcas, empresas, entre outras coisas. 

E o employee experience significa promover experiências saudáveis para o profissional desde o momento em que ele tem interesse em aplicar para a vaga da sua empresa. Isso inclui criar um canal pra mostrar a missão, visão, valores, e tudo que compete à cultura da empresa.

A jornada do colaborador começa a partir de o momento que ele é candidato e realiza uma pesquisa sobre a organização, considerando o clima, a cultura organizacional e a avaliação de colaboradores.

Pense como um cliente: o que você espera de uma empresa que gosta muito? Qual tipo de tratamento quer receber? Qual experiência quer ter? O que a empresa ou a marca podem te proporcionar? Quais benefícios o produto final precisa ter?

Deve-se pensar o mesmo dos colaboradores e tratá-los como clientes, já que eles são os clientes internos da empresa. 

A experiência tem se tornado importante em diversos sentidos, tanto para os consumidores e em sua jornada para adquirir e utilizar o produto ou serviço, como para os colaboradores e sua jornada na empresa e o conjunto de vivências e aprendizados. 

E, já que o employee experience é o desenho da experiência ao longo da jornada do profissional, pode ser considerada uma ferramenta para gerenciar as expectativas e experiências de seus colaboradores com a empresa e marca.

As organizações estão cada vez mais atentas às opiniões de seus colaboradores: ouvir e tomar ações significativas para atender às demandas comuns, pode promover um ambiente de desenvolvimento pessoal e profissional das pessoas.

Por isso, áreas de RH alinhadas à gestão do negócio como cultura organizacional, clima, inovação, recrutamento, seleção e retenção de talentos, gestão de turnover, cultura de feedback, gestão benefícios e capacitação de lideranças é fundamental para pensar na jornada do profissional na empresa.

A experiência do colaborador é um conjunto de:

  • Experiências através de avaliações de outras pessoas em relação a marca, produto ou serviço
  • Comprometimento e adesão às novas tecnologias para melhoria de gestão e processos na empresa
  • Qualificação e engajamento por parte do colaborador com a empresa, e vice-versa
  • Cultura Organizacional 
  • Cultura da Inovação 
  • Cultura da comunicação e feedback 
  • Política de jornada de trabalho
  • Gestão de benefícios 
  • Conexão e relacionamento individual e coletivo, fomentando o relacionamento da empresa para o colaborador e vice-versa

O EX ainda busca movimentar as pessoas de tempos em tempos, isto é, promover um ambiente de aprendizados, desenvolvimentos e ciclos contínuos de promoção, além de oferecer ferramentas para que os próprios colaboradores gerenciem suas carreiras.

Por que investir no employee experience?

Uma excelente maneira de ganhar mercado e tornar-se mais competitivo é aderir ao employee experience. 

Segundo relatório do Social Base, apenas 13,4% das corporações afirmam estar dispostas a ter um orçamento voltado a execução de estratégias direcionadas ao público interno.

Para uma gestão eficaz, as métricas e KPI’s são importantes para a aprimorar a qualidade do engajamento e produtividade da empresa. O EX é capaz de fidelizar os colaboradores e otimizar o trabalho da empresa.

Além disso, o EX está ligado a prática dos valores empresariais no dia a dia. Isso quer dizer que se uma empresa busca cumprir seu objetivo, é necessário que possua estratégias para que seu próprio pessoal seja capacitado para realizar seu trabalho baseando-se na visão, missão, valores e propósito da empresa.

O autor de best-sellers e palestrante, Jacob Morgan, aponta alguns resultados que a empresa pode ter ao adotar estratégias de employee experience.

Segundo ele, as empresas possuem:

  • Mais de 2 vezes de maiores chances de entrar para a lista das empresas mais inovadoras da revista Forbes (World’s Most Innovative Companies);
  • 2 vezes maior probabilidade de melhorar a qualidade de atendimento ao cliente;
  • Quase 4,5 vezes mais probabilidade de se tornar uma empresa querida dos usuários do LinkedIn com maior número de demanda de aplicações em vagas;
  • 11 vezes maior probabilidade de ser uma das melhores empresas para se trabalhar – E ser uma Glassdoor’s Best Places to Work;
  • 28 vezes maior probabilidade de ser uma empresa exponencial.

Além disso, os benefícios também se referem ao recrutamento e seleção, já que as empresas em destaque possuem redução de 43% no investimento e custo com contratações, possuem alta demanda de aplicação, isto é, mais chance (92%) de encontrar verdadeiros talentos, e maior chance de o candidato conhecer a marca empregadora

Quais os benefícios do employee experience para a empresa?

Basicamente, o employee experience atinge as pessoas, e consequentemente toda a área de gestão e tratamento com os colaboradores. 

Isso resulta em diversos benefícios tanto para os colaboradores, como para a qualidade da marca, e os resultados que a empresa colhe por ter profissionais engajados e com alta performance. 

Ao adotar um trabalho de EX, a empresa promove:

  • Respeito e envolvimento entre a empresa e o colaborador;
  • Maior engajamento e produtividade;
  • Qualidade em atração, recrutamento, seleção e retenção de talentos;
  • Aumento na qualidade de vida do colaborador;
  • Satisfação dos clientes internos reflete resultados externos;
  • Desenvolvimento e crescimento;
  • Fomento da marca e qualidade competitiva no mercado ;
  • Formação de novos líderes e fomento do Intraempreendedorismo.

Redução da taxa de absenteísmo e turnover

O absenteísmo e o turnover podem revelar algumas falhas no tratamento da gestão de pessoas dentro de uma empresa. 

Caso a experiência do colaborador não esteja sendo boa, há grandes chances que o nível de produtividade e o engajamento caia. Isso acontece devido a falta de motivação ou reconhecimento do profissional.

O absenteísmo por um lado, pode significar a falta de interesse do colaborador. Atrasos e faltas em excesso são sinais de que existe algo de errado e que a empresa deve agir para resgatar o profissional motivado e produtivo. 

E, por outro lado, o turnover é a porta de saída de excelentes profissionais que não encontraram motivação, espaço para inovação, criatividade, ou desenvolvimento pessoal. 

As expectativas no começo da jornada do colaborador se alteram desde a aplicação da vaga. A vivência na empresa, seus resultados e suas avaliações são fundamentais para que a empresa trabalhe para melhorar sua cultura organizacional e possa reter os talentos que tem.

Infelizmente as altas taxas de absenteísmo e turnover têm sido realidade nas empresas devido a falta de cuidado com a qualidade das experiências dos colaboradores, e a gestão de suas competências e expectativas.

O Employee Experience pode ser uma excelente ferramenta para auxiliar na redução dessas taxas e reverter o quadro. A retenção de talentos é a consequência de um trabalho árduo e necessário para manter a qualidade do engajamento dos colaboradores. 

Bons profissionais podem ser perdidos pela falta de cuidado com sua qualidade de vida no ambiente de trabalho, e com isso, aumentar a competitividade da concorrência com os mesmos profissionais que já foram da sua empresa. Já parou para pensar nisto?

Retenção de talentos

Já a retenção de talentos é basicamente criar estratégias preventivas e remediadoras para que o profissional não saia da empresa. O processo de desligamento acontece muito antes do profissional assinar sua carta de demissão. 

O somatório de experiências ruins, ou situações que precisam ser melhoradas, podem motivar um talento a diminuir seu engajamento e desligar-se.

Para reter talentos, as empresas devem investir em EX para fomentar uma boa comunicação no tratamento com sua carreira e futuro dentro da empresa.

Constrói um bom clima organizacional

O Employee Experience pode construir um bom clima organizacional já que visa considerar a opinião e as avaliações da empresa por parte de seus colaboradores.

As pessoas são formadas por diferentes interesses, percepções, sensações e impressões sobre a empresa, seus processos, a maneira como lida ou considera a opinião dos seus colaboradores, e até mesmo como reage a feedbacks negativos. 

É importante ressaltar que a jornada do colaborador deve ser realizada pelos gestores em conjunto com o RH, já que o clima organizacional depende da comunicação constante entre os setores e as áreas de gestão. 

O clima organizacional é a perspectiva dos colaboradores em relação à empresa, e com uma preocupação com o presente e o futuro dos seus talentos, existe uma maior probabilidade de que a empresa tenha um bom clima. 

Promove um ambiente de crescimento e valorização profissional

O desenvolvimento organizacional e profissional constante deve acontecer na sua empresa. Isso, porque onde há movimento deve haver crescimento. 

No início da contratação existe muita expectativa de aprendizado e desenvolvimento profissional. Sua empresa prestou atenção à essas expectativas, e ainda hoje trabalha para atendê-las?

Profissionais são valorizados pelo seu engajamento e pelos seus resultados para com a empresa. Mas, as empresas são valorizadas pela atenção às suas necessidades e expectativas para com o profissional. 

O EX trabalha no sentido de garantir o desenvolvimento constante e também, a valorização desse profissional, seja através de ações individuais ou coletivas, pela gestão por competência, feedbacks, clima, e até mesmo colher as avaliações em um outplacement para melhorar.

Outro ponto negligenciado, porém, que se torna também uma experiência positiva ou negativa para o profissional, se trata de salário e gestão de benefícios. Colaboradores bem remunerados são naturalmente mais engajados, dispostos e motivados para contribuir com bons resultados para a empresa.

Aumento de engajamento e produtividade

Desde o início deste artigo, estamos abordando que a gestão das expectativas é fundamental para melhorar a experiência do colaborador. E isso impacta diretamente o engajamento e a produtividade do profissional na empresa. 

Cada colaborador possui habilidades e comportamentos diferentes. Cabe aos departamentos responsáveis realizar um trabalho para diminuir as diferenças da equipe a respeito das competências. 

Além de um mapeamento comportamental que vai ajudar os gestores e o RH a tomarem medidas para atender diversos públicos e necessidades.

Outro ponto importante para uma boa jornada do colaborador que fomenta o bom engajamento e uma alta performance produtiva, diz respeito a qualidade de vida no ambiente de trabalho.

As empresas devem verificar sempre as avaliações dos colaboradores, estruturar estratégias para lidar com as necessidades de seus colaboradores, e melhorar a estrutura processual, técnica e organizacional para garantir que se tenha condições para executar o trabalho. 

Por falar em necessidades, a empresa deve também aderir a um fit cultural que contemple a diversidade na empresa e que saiba recrutar e desenvolver os novos profissionais da Geração z, que já chegam com demandas com um olhar mais tecnológico, complexo e inovador.

Contudo, o employee experience pode também contar com ferramentas de people analytics, que atualmente são muito mais do que simples tendências, mas sim, realidade nas empresas devido a busca por otimização nos processos administrativos e burocráticos.

Tanto as ferramentas tecnológicas como as técnicas de gestão e o exercício de empatia e resolução de conflitos, podem ser essenciais para que a empresa colha resultados cada vez mais significativos.

Qual o papel do RH no employee experience?

O que os colaboradores encontram ao iniciar na sua empresa? E ao deixar a empresa, será mesmo o fim de um relacionamento?

Essas duas perguntas são fundamentais para que o RH possa compreender com plenitude as motivações de um profissional ao entrar e o sair de uma empresa. Será que as expectativas ainda não foram atendidas?

O EX é uma estratégia de alto impacto para as organizações e exige dos profissionais de RH um olhar mais empático, inovador, analítico e transformador.

A área de gestão de pessoas e o departamento de Recursos Humanos deve se atentar a jornada do colaborador e compreender suas etapas, seus processos, e otimizá-los por meio de novas ferramentas e novas tecnologias. 

Basicamente, o RH é responsável por gerir as etapas do EX, que são: 

  • Atração
  • Recrutamento e seleção 
  • Onboarding
  • Desenvolvimento e gestão por competências
  • Promoção e gestão de carreira
  • Retenção 
  • Outplacement

Entre a empresa e colaborador existe um ambiente de troca funcional e emocional. 

Ao trabalhar em uma empresa que possuí alto nível e qualidade de empregabilidade, isto é, ao que compete a qualidade de vida e experiências positivas de outros colaboradores, o candidato, e depois, o profissional ganha status, pertencimento à uma tribo ou família, além de oportunidade de crescimento e desenvolvimento.

Com isso, os colaboradores se sentem:

  • Completos, preenchidos e com o sentimento de expectativas preenchidas
  • Produtivos, engajados, motivados e felizes.

Uma excelente maneira de verificar a qualidade do trabalho do RH no tratamento com o employee experience é adotar pequenas ações para problemas complexos, por exemplo, como perguntar para o próprio RH:

Se o seu colaborador receber uma boa proposta de outra empresa, ou de um concorrente, ele vai trocar só por causa do salário?

Se você é um profissional de RH, sabe melhor do que ninguém que de nada adianta um bom salário se o profissional não se sente orgulhoso com o seu trabalho e com os seus resultados. 

O sentimento de gratidão sempre é comemorado com barulho, no entanto, se não estamos seguros com nossos próprios trabalhos, nós protestamos silenciosamente ou subconscientemente.

Caso a sua organização esteja cheia de pessoas que permanecem em silêncio – apenas cumprindo seus trabalhos e não se envolvendo na empresa – o maior problema é a comunicação travada. 

A comunicação travada acontece quando não nos sentimos ouvidos, respeitados ou considerados no ambiente de trabalho. 

Quando nossas ideias são ignoradas, tendemos a experimentar uma ameaça de identidade e reagimos mal, com o sentimento de não pertencimento ao trabalho, com sua cultura ou com seu propósito.

Nossa reação subconsciente é deixar de nos importar tanto com o nosso trabalho e com as pessoas ao nosso redor. Por isso, o RH precisa fazer um exercício diário. 

Como adotar o employee experience na empresa?

Você sabia que o sucesso não significa a ausência de problemas, mas sim, que se possui os melhores problemas?

Bons resultados são provenientes de boas resoluções de bons problemas. Por isso, encontre em primeiro lugar quais são os problemas da sua empresa que o trabalho de EX pode resolver da melhor maneira.

A primeira dica é entender qual é o desafio de negócio que se quer resolver – ou qual é o time está resolvendo. 

A partir disso, a empresa deve promover ações assertivas e se questionar se a tecnologia vai ajudar esse processo. A organização deve ter consciência do benefício que a tecnologia traz, e como utilizá-la de maneira produtiva para otimizar os processos.

Realize também pequenas ações e um projeto piloto para transformações mais complexas. Uma resolução simples, que resolve uma etapa do problema pode ser benéfica para que a empresa possa otimizar seu tempo e ajustar o projeto à medida que ele acontece.

As implementações hoje em dia são realizadas através do auxílio das tecnologias, e dessa maneira é possível realizar alterações em tempo real para garantir excelentes resultados e maior velocidade para amplia-lo para toda empresa, já que os erros podem ser consertados ainda no projeto piloto inicial.

Para que a empresa possa implementar um projeto de Employee Experience, é necessário aderir a algumas estratégias:

  • Alinhamento das expectativas;
  • Busque informações e ideias sobre sobre EX;
  • Crie estratégias de melhorias da qualidade de vida, ou otimize as existentes;
  • Agenda a implementação das ideias com os objetivos definidos;
  • Reúna-se com os diretores de cada área pra alinhar objetivos.

Veja mais a seguir.

Alinhamento das expectativas

Alinhar as expectativas dos colaboradores com as da empresa e do RH pode ser uma boa estratégia a ser seguida. 

Normalmente, as resoluções de salários, benefícios e investimentos, além de questões processuais e adesão a tecnologia por exemplo, não levam em consideração avaliações dos próprios colaboradores para de fato atender às suas expectativas.

A área de gestão precisa alinhar todas as expectativas e traçar novas rotas para gerenciá-las de maneira adequada.

Busque informações e ideias sobre sobre EX

Exemplos de empresas bem sucedidas e mal sucedidas são importantes para que a empresa estabeleça uma estratégia que possa sanar os problemas existentes no campo da gestão de pessoas.

Alinhe ao DNA da empresa a constante busca por informações e inovação, tanto por parte das áreas de gestão, como especialmente dos colaboradores.

Crie estratégias de melhorias da qualidade de vida, ou otimize as existentes

Uma boa empresa é aquela que:

  • Contrata com foco na cultura e recebe bem o novo colaborador;
  • Inspira as pessoas;
  • Fala a verdade e escuta com atenção;
  • Cuida e respeita as individualidades;
  • Desenvolve profissionais;
  • Agradece pelo bom trabalho;
  • Celebra as conquistas; 
  • Compartilha os resultados de forma justa;
  • Possui programas de reconhecimento e valorização;
  • Faz uma boa gestão de recursos e investimentos; 
  • Promove a qualidade de vida pessoal e profissional;
  • Foca em praticar o propósito da empresa por meio da cultura organizacional;
  • Gerencia as habilidades e competências, a fim de melhorar a qualidade profissional.

Agende a implementação das ideias com os objetivos definidos

De nada adianta ter ideias sem colocá-las em prática. Os resultados não vão aparecer também, caso a empresa negligencie uma agenda de implementações que busca atingir seus objetivos e acompanhar o progresso das ações na empresa. 

É necessário que a empresa possa criar mecanismos para ter certeza de que as estratégias são bem sucedidas, e que as implementações terão o efeito esperado.

Reúna-se com os diretores de cada área pra alinhar objetivos

A gestão deve estar completamente alinhada aos gestores dos departamentos e de acordo com as resoluções do RH. 

Aqui é necessário discutir possíveis investimentos para garantir a conclusão de projetos que sejam benéficos tanto para a marca da empresa, como principalmente para a qualidade de vida e valorização do profissional no ambiente de trabalho.

Implementação

Invista em People Analytics e HR Tech

Você compreende e conhece os seus colaboradores? Através de plataformas de HR Tech é possível ter métricas e indicadores sobre o comportamento dos seus colaboradores. 

O People Analytics é uma tendência de 2021, segundo o relatório do LinkedIn “Global Talent Trends Report 2020” que aponta a análise de pessoas como a segunda principal tendência nas empresas.

Faça uma análise completa dos benefícios, desenho de cargos e salários, jornada de trabalho, gestão por competência e indicadores de desempenho para verificar os benefícios que cada colaborador pode oferecer.

Ao compreender os dados dos seus colaboradores, execute um plano de ação para fomentar a motivação e engajamento deles.Mas, lembre-se de que a comunicação interna e o feedback são imprescindíveis para compreender o profissional como um todo.

Faça o desenho da jornada

O segundo passo, é realizar o desenho da jornada do colaborador para verificar qual é o ciclo de cada cargo, quais são as taxas de turnover e até mesmo melhorar o onboarding.

É importante que a empresa pense em quais seriam as maneiras de atrair novos talentos para uma determinada vaga, e quais são as necessidades empresarias para realizar um excelente trabalho ao desenhar a jornada do colaborador.

Verifique e identifique quais são os gaps, ou seja, as diferenças entre um colaborador e outro, e em relação às equipes e à empresa. Por meio desse exercício, você pode identificar os pontos de melhoria.

Transforme a experiência em um jogo e ofereça benefícios

A gamificação é uma tendência mundial para estabelecer novas experiências, seja para realizar tarefas simples ou complexas. 

Um jogo possui tudo o que o nosso cérebro gosta: desafios e recompensas. 

O employee experience requer que os colaboradores possuam experiências positivas ao longo de sua jornada, no entanto, é necessário também que a satisfação seja promovida através de reconhecimento, monetários ou não, contanto que seja um benefício.

Não apenas em relação a um bom salário, mas no conjunto das experiências, e da oportunidade de recompensa, especialmente as novas gerações procuram ambientes de trabalho que promovam a qualidade de vida, a flexibilidade e excepcionalmente sempre uma relação de ganha-ganha.

Desenvolva novos líderes

A diferença entre líder e chefe se dá em relação ao exemplo e a capacidade de inspirar a mudança para um grupo de pessoas. 

As empresas devem criar programas para desenvolver o Intraempreendedorismo e fomentar a capacidade de autogestão dos colaboradores. 

A ideia aqui não é diminuir a responsabilidade dos gestores, mas sim, promover a cultura colaborativa e comunicativa que resultam em um ambiente mais empático, que valoriza o profissional e desenvolve a inovação.

Como um controle de ponto online flexível ajuda nesse processo?

Um controle de ponto inteligente pode apresentar tanto para o colaborador quanto para o gestor um panorama sobre o seu desempenho em relação a sua jornada de trabalho. Tanto em relação a taxas de absenteísmo, como banco de horas ou horas extras.

Uma plataforma que utiliza a tecnologia e dados para identificar eventuais problemas ou oportunidades, pode ajudar e muito no tratamento com a qualidade de suas atividades e a produtividade do colaborador. 

O controle de jornada através de um software inteligente é capaz de humanizar o processo de tratamento do ponto, e dar a possibilidade para que o próprio colaborador possa fazer a sua gestão de jornada, perceber e corrigir suas possíveis falhas.

Já para os gestores, a plataforma realiza cálculos automáticos o que otimiza a gestão e o fechamento da folha de ponto

O PontoTel é uma plataforma móvel que pode ser acessada na palma da mão, de diversas maneiras e em diversos dispositivos. Saiba como a sua empresa pode aderir a solução que otimiza o processo de gestão de ponto e reduz custos para o seu RH.

Agende uma demonstração gratuita!

Conclusão

O employee experience é a maneira como a empresa trata o conjunto de experiências do colaborador. 

O objetivo é fomentar estratégias para melhorar a experiência dos profissionais, e como resultado, os colaboradores se envolvem mais com a empresa, seu propósito e aumentam ainda sua performance no ambiente de trabalho.

Profissionais motivados e que se relacionam com a empresa que trabalham realizam a publicidade gratuita da empresa, e aumentam a competitividade da marca no mercado. 

Compartilhe em suas redes!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Rolar para cima