Descubra os tipos de mudança organizacional e quando sua empresa precisa de uma!
BLOG
Time Pontotel 4 de abril de 2024 Departamento Pessoal
Descubra os tipos de mudança organizacional e quando sua empresa precisa de uma!
A mudança organizacional é toda alteração na estrutura de uma empresa motivada por pressão de fatores internos ou externos.
Imagem de Descubra os tipos de mudança organizacional e quando sua empresa precisa de uma!

A gestão de uma mudança organizacional é um desafio que todas as empresas enfrentam em algum momento. No entanto, nem sempre essas mudanças são bem recebidas ou vistas como necessárias por todos. A resistência à mudança é um fenômeno comum e compreensível, mas não é o ideal para uma gestão corporativa.

Gestores e demais líderes corporativos que não estão preparados para lidar com mudanças podem acabar sendo surpreendidos por pressões externas ou internas. Por isso, é importante compreender os tipos de mudanças organizacionais e saber como planejá-las.

Este artigo é um guia sobre os principais tipos de mudança organizacional, desde as mudanças incrementais, que visam melhorias graduais, até as revolucionárias, que representam uma transformação radical. Continue para conferir os principais pontos que serão explicados mais adiante sobre as mudanças organizacionais:

Continue e descubra tudo que está por trás de mudanças organizacionais bem planejadas!

O que é a mudança organizacional?

Mudança organizacional é uma expressão comum do vocabulário corporativo que se refere a toda alteração realizada na estrutura de uma empresa para responder às pressões externas ou internas. Essas mudanças são desde ajustes em procedimentos internos até alterações nas estratégias de negócios ou na cultura organizacional.

Algumas das principais pressões internas que podem provocar mudanças organizacionais são ineficiências operacionais, falhas nos processos de produção, necessidade de redução de custos, redução na satisfação dos funcionários, declínio na qualidade dos produtos ou serviços e mudanças na liderança ou na estrutura da equipe.

Já as pressões externas que podem provocar mudanças organizacionais envolvem a concorrência intensa, flutuações econômicas, regulações governamentais, tendências de mercado, mudanças nas práticas de sustentabilidade, alterações nas preferências dos consumidores e avanços tecnológicos que afetam a rotina do segmento.

É importante saber que as mudanças organizacionais não são apenas respostas a problemas ou crises, já que muitas novidades são impulsionadas pela busca por oportunidades de crescimento e vantagem competitiva. 

À medida que o ambiente de negócios evolui, as organizações precisam se adaptar e inovar para permanecerem relevantes perante stakeholders. Portanto, a mudança organizacional tornou-se uma parte da gestão empresarial.

Qual a importância da mudança organizacional?

A capacidade de uma empresa se adaptar e evoluir é uma necessidade para a sua sobrevivência em um cenário em constante mutação. Mudanças bem planejadas oferecem benefícios como a capacidade de ajustar a empresa às demandas do mercado, estimular a inovação e melhorar a produtividade.

Contudo, esses benefícios ainda não são uma realidade para a maioria das empresas no Brasil. Recentemente, uma pesquisa da consultoria Falconi lançou luz sobre a fragilidade na gestão de médias organizações, que faturam entre R$4,8 e R$300 milhões por ano.

Segundo os resultados da pesquisa (divulgados no portal InfoMoney), entre as 100 empresas brasileiras entrevistadas, somente 10% declararam possuir uma estratégia bem definida para os próximos três a cinco anos, com visão, missão, valores e metas sólidas para o desenvolvimento do negócio. 

Essas empresas que negligenciam o planejamento estratégico enfrentam uma série de desafios diante de mudanças organizacionais, como ausência de uma visão clara, perda de direção e estratégias ineficazes ou incoerentes com seus resultados. 

Isso significa que somente com gestão cuidadosa, estratégias bem definidas, visão e missão claras, e objetivos e metas estabelecidos, é possível colher os benefícios de mudanças organizacionais enquanto se minimizam os principais riscos.

Quais são os tipos de mudanças organizacionais?

Três pessoas se olhando e segurando papeis

Uma maneira simples de classificar as mudanças organizacionais é utilizar quatro categorias: incremental, transformacional, evolucionária e revolucionária. Entender a natureza de cada mudança pode oferecer insights sobre como planejá-la e como lidar com os desafios e os riscos envolvidos. Confira logo abaixo.

Incremental

A mudança incremental é caracterizada por pequenos ajustes e melhorias graduais na rotina de uma empresa. Um exemplo prático de mudança incremental acontece quando uma empresa atualiza seu sistema de gerenciamento de clientes. 

Esse tipo de mudança é implementado aos poucos, sem grandes perturbações nas operações, tornando-o relativamente fácil de ser aceito pelos funcionários.

Transformacional 

A mudança transformacional é uma remodelação profunda que ocorre em resposta a uma crise ou à necessidade de se reposicionar no mercado. Por exemplo, quando uma empresa tradicional de varejo decide se reinventar como uma operação exclusivamente online, isso envolve uma reestruturação completa. 

Essa mudança afeta todos os aspectos da organização, desde a cultura empresarial  até a estratégia de negócios, e pode encontrar resistência por parte dos funcionários.

Evolucionária 

A mudança evolucionária é um processo de crescimento gradual e controlado para médio ou longo prazos. Nesse caso, a empresa visa expandir suas operações, mantendo sua posição no mercado atual, envolvendo a identificação de oportunidades de crescimento e a implementação de novos projetos.

Uma empresa de tecnologia pode expandir sua linha de produtos para atender a novos mercados sem afetar seu core business, por exemplo. Essa mudança é mais aceita por colaboradores, por ser vista como um desenvolvimento natural dos negócios existentes.

Revolucionária 

A mudança revolucionária é a mais impactante. Ela é necessária quando a empresa se encontra em uma situação crítica e não encontra alternativas. É uma transformação radical que afeta a gestão, os Recursos Humanos e a posição da empresa no mercado. 

Esse tipo de mudança acontece, por exemplo, quando uma instituição financeira enfrenta uma crise financeira severa e é forçada a passar por uma reestruturação massiva, incluindo demissões em larga escala, fechamento de filiais e outras mudanças em suas operações.

Embora a mudança revolucionária seja desafiadora, ela pode trazer uma nova vida à empresa. A chave é gerenciar essa mudança com cuidado, fornecer apoio aos funcionários e manter comunicação clara sobre os motivos e os objetivos por trás da transformação.

Como identificar a necessidade de uma mudança organizacional?

Embora em situações de crise a necessidade de mudança organizacional possa ser evidente, em muitos casos, é necessário um planejamento estratégico para determinar quando, por qual motivo e como implementar uma mudança. Aqui estão algumas dicas sobre como identificar a necessidade de mudanças organizacionais:

Avaliação da situação atual 

Uma das maneiras mais diretas de identificar a necessidade de mudança é realizar uma avaliação dos indicadores-chave de desempenho, como lucratividade, produtividade, satisfação do cliente e eficiência operacional. Se os resultados não estão alinhados com as expectativas da empresa, isso indica a necessidade de mudança.

Análise de tendências de mercado 

Quando uma empresa está perdendo participação de mercado, não está se adaptando a novas tecnologias ou está sendo superada pela concorrência, algo está errado, e os gestores devem pensar em estratégias para manter a organização competitiva.

Feedback dos funcionários 

A coleta de feedback dos colaboradores pode revelar problemas operacionais, lacunas de comunicação, preocupações com a cultura corporativa e oportunidades de melhoria. Esse processo pode acontecer por meio de pesquisas, reuniões e interações diretas.

Feedbacks externos 

Além do feedback interno, é importante considerar a opinião de clientes, fornecedores e outros parceiros de negócios. As reclamações sobre o produto ou serviço da empresa, o nível de satisfação do cliente e as opiniões de parceiros comerciais podem fornecer informações sobre áreas que precisam de mudanças. 

Como planejar uma mudança organizacional?

Quatro pessoas anotando em papeis

A identificação da necessidade de mudanças organizacionais é uma tarefa que recai sobre os líderes e gestores, ainda que o processo de mudança dependa da colaboração de todos os membros da organização. Uma vez identificada essa necessidade, o planejamento é o próximo passo. A seguir, veja algumas dicas para esse momento.

Definição de metas claras

O primeiro passo no planejamento de uma mudança organizacional é a criação de metas claras e diretamente relacionadas às necessidades que já foram identificadas. Uma excelente metodologia para planejar objetivos é o SMART.

A metodologia SMART consiste em planejar metas que tenham cinco características: específico, mensurável, alcançável, realista e temporal (medido em um prazo determinado). A partir desses critérios, torna-se mais fácil transformar ideias em objetivos práticos. 

Considere o caso de uma empresa com uma equipe numerosa que identificou problemas como faltas, atrasos e horas extras de seus funcionários devido a um sistema de controle de ponto desatualizado. Para resolver esses problemas, os gestores e o RH decidem implementar uma nova plataforma de gestão de ponto.

Uma meta definida com o SMART poderia ser: “Reduzir em 90% o número de faltas e atrasos e controlar as horas extras até o final do próximo trimestre”. Essa meta está diretamente ligada aos problemas de faltas, atrasos e excesso de horas extras, porque é uma resposta direta às necessidades da organização.

A definição de metas fornece uma direção clara para o planejamento e a execução de uma mudança organizacional, garantindo que a empresa esteja alinhada com seus objetivos e as necessidades identificadas.

Alocação de recursos e orçamentos

Um orçamento realista e bem estruturado deve ser estabelecido para garantir que a mudança possa ser executada. No entanto, isso engloba não apenas recursos financeiros, mas também humanos e tecnológicos.

Por exemplo, se a mudança planejada envolve a implementação de um novo sistema de ponto na empresa, é essencial considerar o custo do software, o treinamento da equipe e qualquer infraestrutura de TI necessária. Nesses casos, garantir que os recursos sejam alocados é uma etapa indispensável para o sucesso da mudança.

Avaliação contínua

O acompanhamento do progresso em relação às metas estabelecidas é necessário ao longo de todo o processo de mudança. Por exemplo, se a meta é melhorar a pontualidade no trabalho, a avaliação contínua pode incluir o acompanhamento regular das entradas de ponto, a análise das tendências de atrasos e o cálculo da taxa de pontualidade. 

Caso os resultados não estejam conforme as metas estabelecidas, pode haver a necessidade de ajustes no processo ou no treinamento.

Qual o papel do RH na mudança organizacional?

O departamento de Recursos Humanos (RH) normalmente está ao lado dos gestores e das outras lideranças em todas as etapas de uma mudança organizacional, seja um simples ajuste operacional ou mudanças mais profundas na cultura da organização.

A equipe de RH pode, por exemplo, identificar problemas como alta rotatividade de funcionários, baixa produtividade, conflitos internos ou deficiências de habilidades. Com base nos diagnósticos, os profissionais do setor geralmente trabalham em estreita colaboração com a alta administração para desenvolver estratégias e planos de ação.

O RH também pode colaborar no desenvolvimento de planos de comunicação para informar os funcionários sobre a natureza das mudanças, seus benefícios e como elas impactam as responsabilidades de cada um.

Uma vez que a mudança esteja em andamento, o RH também pode estar à frente do treinamento dos funcionários. A ideia nessa etapa é fazer com que todo o time adote com sucesso os novos processos ou comportamentos desejados pela empresa.

Conclusão

No mundo dos negócios, é necessário ser flexível e aberto a novas ideias. Aqueles que sabem como se adaptar e tirar o melhor proveito das mudanças estão mais preparados para o futuro com maiores chances de sucesso.

Compreender os tipos de mudança organizacional, desde as pequenas até as grandes, ajuda as empresas a escolher a estratégia certa. Mas isso também não é o suficiente. Como foi visto, planejar é o que garante que as mudanças sejam bem-sucedidas.

Se quiser acompanhar mais insights sobre gestão corporativa, tecnologia para as empresas e estratégias para a gestão de pessoas, confira as últimas novidades do blog Pontotel.

próximos passos para realizar o controle de ponto com a pontotel
Compartilhe em suas redes!
Mais em Departamento Pessoal VER TUDO
INICIAR TOUR!